Estrutura da cadeia produtiva da Moda

Autores

  • Sandra Regina Rech Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x01012008007

Palavras-chave:

Cadeia Produtiva, Moda, Compretitividade

Resumo

O termo cadeia produtiva da moda expressa o sistema têxtil e de confecção que se configura como uma filière, governada pelo comprador e caracterizada por elevado grau de complementaridade, da qual depende boa parte do sucesso que o produto obtém no mercado. Engloba diversos setores produtivos, desde as atividades manufatureiras de base até os serviços avançados de distribuição; e, apresenta certas especificidades: heterogeneidade estrutural e tecnológica; segmentação produtiva; relações de subcontratação; bifurcação entre as atividades produtivas (materiais) e as funções corporativas (imateriais). Atualmente, atravessa um período de profundas mudanças face ao processo de globalização e a abertura de novos mercados. Os componentes mais sensíveis destas transformações são o deslocamento da produção devido aos custos operacionais; a exasperação da concorrência; a redução do ciclo de
vida dos produtos de moda; o incremento veloz das tecnologias e modificações complexas na estrutura dos mercados. O exame desta nova conjuntura mundial é essencial para a formatação de ações pró-competitividade que se alicerçam, basicamente, no emprego de um grupo de elementos dinâmicos que assegurem a obtenção de vantagens comparativas sólidas frente às
novas exigências mercadológicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Regina Rech, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

ESTRUTURA DA CADEIA PRODUTIVA DA MODA

Referências

ABIT. Carta ABIT 2000. São Paulo: Associação Brasileira da Indústria Têxtil, 2000.

_____. Departamento de Economia. Disponível em < www.abit.org.br > Acesso em 25/04/2005.

BASTOS, C..P.M. Competitividade da Indústria do Vestuário - Nota técnica setorial do complexo têxtil. (Coord.) In: COUTINHO, L.G. et al. Estudo da Competitividade da Indústria Brasileira. Campinas: UNICAMP, 1993.

CAMPOS, R.R.; CÁRIO, S.A.F.; NICOLAU, J.A. Arranjo Produtivo Têxtil-Vestuário do Vale do Itajaí/SC (Nota técnica 20). In: CASSIOLATO, J.E.; LASTRES, H.M.M. Arranjos e Sistemas Produtivos Locais e as Novas Políticas de Desenvolvimento Industrial e Tecnológico. Contrato BNDES/FINEP/FUJB. Universidade Federal do Rio de Janeiro, IE. RJ, dez, 2000 (p. 338-425).

CENESTAP. Ficha de Mercado: Brasil ITV. Observatório Têxtil do CENESTAP - Centro de Estudos Têxteis Aplicados. Vila Nova de Famalicão, Portugal: CENESTAP, 2003.

CNI. Produtividade do Capital na Indústria Brasileira. Brasília: CNI - Confederação Nacional da Indústria, 2001 (texto para discussão, 2).

CORRÊA, M.K. A Reestruturação das Indústrias do Vestuário na Década de 1990: município de Brusque (monografia). Especialização lato-sensu em Moda: Criação e Produção - Universidade Estadual de Santa Catarina. Florianópolis, SC: UDESC, 2004.

COSTA, S.; BERMAN, D.; HABIB, R.L. 150 Anos da Indústria Têxtil Brasileira. Rio de Janeiro: Senai-Cetiqt/Texto&Arte, 2000.

EURATEX. European Technology Plataform: for the future of textiles and clothing - a vision for 2020. Brussels, Bélgica: European Apparel and Textile Organization, Dezember, 2004.

GARCIA, R. de C. Vantagens Competitivas de Empresas em Aglomerações Industriais:

um estudo aplicado à indústria brasileira de calçados e sua inserção nas cadeias produtivas globais. (Tese de Doutoramento). Instituto de Economia - Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP: IE - UNICAMP, 2001.

GORINI, A.P.F. Panorama do Setor Têxtil no Brasil e no Mundo: reestruturação e perspectivas. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, nº 12, set. 2000 (p. 17-50).

GUPTA, S. Textile and Apparel Design Education: issues and challenges facing the

developing nations. (Anais...) III International Textile and Apparel Conference. Rio de

Janeiro: Cetiqt, 2003 (1 Cd-rom).

HAGUENAUER, L.; BAHIA, L.D.; CASTRO, P.F. de; RIBEIRO, M.B. Evolução das

Cadeias Produtivas Brasileiras na Década de 90. Texto para discussão nº 786, IPEA, abril, 2001.

IEMI. Relatório Setorial da Indústria Têxtil Brasileira. São Paulo: Instituto de Estudos e

Marketing Industrial, Brasil Têxtil, 2001.

_____. Estudos Setoriais: o mercado e a indústria de vestuário no Brasil. São Paulo: Instituto de Estudos e Marketing Industrial, 2002.

JORNAL TÊXTIL. Liberalização - benefício ou prejuízo? Nº 85, jan., 2005™.

KILDUFF, P.; PRIESTLAND, C. Strategic Transformation in the US Textile & Apparel Industries: a study of business dynamics with forecast up to 2010. North Carolina State University. Raleigh, NC. May, 2001.

LEAL, J.J. Um Olhar sobre o Design Brasileiro. São Paulo: Joice Joppert Leal, 2002.

LIMA, M. C. Monografia: a engenharia da produção acadêmica. São Paulo: Saraiva, 2004.

LUPATINI, M. P. As Transformações Produtivas na Indústria Têxtil-Vestuário e seus

Impactos sobre a Distribuição Territorial da Produção e a Divisão do Trabalho Industrial (Dissertação de Mestrado). Instituto de Economia - Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP: IE - UNICAMP, 2004.

_________________. Relatório Setorial Preliminar: setor têxtil e vestuário. Finep - Rede DPP. Disponível em Acesso em 14/05/2005.

RECH, S.R. Moda por um Fio de Qualidade. Florianópolis: UDESC, 2002.

__________Cadeia Produtiva da Moda: um modelo conceitual de análise da competitividade no elo confecção (Tese de doutoramento). Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC: UFSC, 2006.

REVISTA TÊXTIL. Números divulgados pela ABIT e pelo IEMI revelam um ano de retomada de crescimento, mas as perspectivas para 2005 ainda são incertas com o fim do acordo Multifibras. Disponível em < www.revistatextil.com.br > Acesso em 08/05/2005.

SAVIOLO, S.; TESTA, S. Le Imprese del Sistema Moda - il management al servizio della creativit·. Milano, Itália: LGL Peschiera Borromeo, febraio, 2000.

SCTDE/SP. Setores Têxtil e Vestuário. Secretaria da Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo. Disponível em < www.spdesign.sp.gov.br/textil > . Acesso em 04/07/2005.

SOBOTTA, A. Brazil Fashion: a survey of the Brazilian clotihing and fashion industry. London, UK: Bristish Council, aug., 2001.

TURMINA, S.C. Base Institucional e Competitividade do Cluster de Confecção de Criciúma (SC) (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Economia - Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC: UFSC, 1999.

Downloads

Publicado

2008-01-01

Como Citar

RECH, Sandra Regina. Estrutura da cadeia produtiva da Moda. Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 1, n. 1, 2008. DOI: 10.5965/1982615x01012008007. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/7565. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>