Método para Pesquisa de Tendências: uma revisâo do modelo Futuro do Presente

Autores

  • Amanda Queiroz Campos Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC
  • Sandra Regina Rech Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x09172016027

Resumo

Este estudo apresenta, de forma revisada, o método de pesquisa de tendências desenvolvido e aplicado pelo projeto FPLab – Futuro do Presente. O desenho metodológico proposto, inicialmente como modelo conceitual, é de natureza qualitativa e envolve processos indutivos e dedutivos, baseando em pressupostos e abordagens das Ciências Humanas. De modo específico, a principal referência para este método é a Teoria Fundamentada nos Dados, de Glaser e Strauss (1967), que define a necessidade de as hipóteses surgirem dos dados e rejeita a ida à campo para a confirmação, ou rejeição, de hipóteses formuladas anteriormente à coleta de dados. O investimento na Teoria Fundamentada como referência de pesquisa também influencia as etapas de análise – codificação – dos dados, uma vez que é o procedimento mais importante da pesquisa de tendências. O método foi desenvolvido para o projeto de pesquisa em questão, mas pode, feitos os devidos ajustes, ser aplicado em outros contextos para fins de pesquisa prospectiva.

Biografia do Autor

Amanda Queiroz Campos, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC

Doutoranda em modalidade cotutela (doutorado binacional) no Programa de Pós-Graduação em Design e Expressão Gráfica da Universidade Federal de Santa Catarina e do Doutorado (Dr. Phil) em Design da Berguische Universität Wuppertal. Mestre em Gestão Estratégica do Design Gráfico no mesmo programa. Graduada no curso de Bacharelado em Moda com habilitação em Estilismo pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Também bacharel em Design com habilitação em Design Gráfico pela Universidade Federal de Santa Catarina. É integrante dos Grupos de Pesquisa LOGO (Laboratório da Gênese Organizacional) e SIGMO (Significado das Marcas, Informação e Comunicação Organizacional), ambos da Universidade Federal de Santa Catarina. Atua principalmente nos seguintes temas: moda, pesquisa de tendências, cultura, branding e gestão do design.

Sandra Regina Rech, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Licenciatura em Educação Artística pela Universidade de Caxias do Sul (1991), Mestrado (2001) e Doutorado (2006) em Engenharia da Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente, cursa Pós-Doutoramento junto ao CIAUD/Universidade de Lisboa. É docente associado da Universidade do Estado de Santa Catarina - Centro de Artes - Departamento de Moda e líder do grupo de pesquisa Design de Moda e Tecnologia (UDESC/CNPq). Coordena o projeto de pesquisa FPLab - Futuro do Presente (http://www.fplab.com.br). Tem experiência na área de Design, com ênfase em Pesquisa de Moda, Gestão do Design e Metodologia Projetual, e desenvolve projetos na área de prospecção de tendências. 

Downloads

Publicado

2016-01-01