O Uso da Informação no Processo Criativo de Design: análise da aplicação de tendências de moda em empresas autorais na cidade de Recife

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x11222018332

Palavras-chave:

Design, Moda, Tendências

Resumo

O presente artigo tem por finalidade apresentar uma análise acerca das etapas iniciais do processo de desenvolvimento de produtos de moda-vestuário, buscando delinear como as informações são utilizadas pelo designer, como profissional responsável pela criação. Tendo como locus de pesquisa a cidade de Recife e como objeto de investigação empresas do setor criativo de Design de Moda (vestuário, calçados e acessórios), é apresentado como questão norteadora a seguinte abordagem: como os profissionais da Indústria Criativa de Moda conciliam criatividade e inspiração com as informações que lhes são externas, tais como tendências de moda e de mercado, no processo de criação desse setor? A partir de um levantamento de caráter exploratório e descritivo, fundamentado em entrevistas semiestruturadas com profissionais responsáveis pelo desenvolvimento criativo nas empresas, foi possível levantar considerações sobre o processo criativo desses profissionais e os mecanismos que envolvem o exercício constante que envolve a manutenção de informações estratégicas na elaboração de projetos criativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Débora Fernandes Pontes, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, PE, Brasil

Doutoranda em Design pela Universidade Federal de Pernambuco. Mestrado em Design pela Universidade Federal de Pernambuco (2014) com ênfase de pesquisa em Economia Criativa, Indústria Criativa de Moda, Metodologias do Design e do Design de Moda. Uso da informação no processo criativo em Design. Graduada em Design pela Universidade Federal de Pernambuco, UFPE (2011). Áreas de interesse: Dinâmicas das Indústrias Criativas, Pesquisa e monitoramento de tendências, Gestão da informação na indústria, Criatividade e processos criativos em Design, Desenvolvimento da moda e dos costumes nas sociedades, História do Design e da Indumentária. Processos de comunicação em Design. Experiência profissional em desenvolvimento de produtos de moda e docência.

Maria Alice Vasconcelos Rocha, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Departamento de Ciências Domésticas, Recife/PE - Brasil

Doutora em Design de Moda - PhD in Fashion Design - University for the Creative Arts / University of Kent (2007); Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Pernambuco (1999); Especialista em Comunicação de Moda pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992); Estilista de Moda em Confecção Industrial pelo Senai CETIQT-RJ (1992) e Arquiteta pela Universidade Federal de Pernambuco (1989). Atualmente é professora do Departamento de Ciências Domésticas da Universidade Federal Rural de Pernambuco, onde também atua como supervisora da área de Arte, Habitação e Vestuário. É membro do corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social da Universidade Federal Rural de Pernambuco e do Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Federal de Pernambuco. Tem experiência na área de Desenho Industrial e Economia Doméstica, com ênfase em Design de Moda, Design Têxtil e Design de Vestuário, atuando principalmente nos seguintes temas: comportamento, consumo, desenvolvimento de produto, tecnologia, gestão e estratégia

Referências

BAXTER, M. Projeto de Produto: guia prático para desenvolvimento de novos produtos. São Paulo: Edgard Blücher, 2000.

CALDAS, Dario. Observatório de Sinais: teoria e pratica da pesquisa de tendências. Rio de Janeiro: Editora Senac Rio, 2004.

CELASCHI, Flaviano; DESERTI, Alessandro. Design e innovazione: strumenti e pratiche per la ricerca applicata, 2007. Disponível em <http://www.newitalianlandscape.it/wordpress/wpcontent/uploads/2007/12/Design&Innovazione_strumenti%20e%20pratiche%20per%20la%20ricerca%20applicata.pdf>Acesso em 13/12/2012.

CHOO, Chun Wei. A organização do conhecimento: como as organizações usam a Informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Ed. SENAC, 2003.

DERVIN, Brenda. Chaos, Order and Sense-Making: a proposed theory for information design. In: Robert E. Jacobson (Org), Information Design. Cambridge, MA: MIT Press, 1999.

FREITAS, Ranielder F.; et al. Análise de metodologias em Design: a informação tratada por diferentes olhares. In Estudos em Design | Revista (online). Rio de Janeiro, v.21, n.1, 2010, p.1-15. Disponível em http://www.maxwell.lambda.ele.puc-rio.br/21785/21785.PDFXXvmi=Cb1afDjSW5oe5zDw4aJeNiJLcFmjwr7aD9kTMENJJdZPMDnRN87BqQmDwKX4c5eQfzK2ezMZMLOAodsclAOMrcqZWp4auj1LTMN8lA79mWJMad0vNOjg1LfZbk9HEasxWgGjRNsfKd2Vq2sfRMvSxMSK72rMdUkbc2u5PZkBdmwFp0VhNsbmf47n7AbluwwIz3Op391gwzWXASfnlrLCvS1Etc00JwIiBwJEHKVfkSdVMtj8V6Kr0M7tZ7tIFd2h> Acesso em 18/10/2013.

GIL, Antônio C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2012.

LESCA, H; ALMEIDA, F.C. Administração estratégica da informação. Revista de Administração, São Paulo, v.29, n.3, p.66-75, 1994.

LINDKVIST, Magnus. O guia do caçador de tendências: como identificar forças invisíveis que moldam os negócios, a sociedade e a vida. São Paulo: Editora Gente, 2010.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: a moda e seus destinos nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

LÖBACH, Bernd. Design industrial: bases para a configuração dos produtos industriais. São Paulo: Edgard Blücher, 2001.

MACHADO, M. C.; TOLEDO, N. N. Gestão do processo de desenvolvimento

de produtos: uma abordagem baseada na criação de valor. São Paulo:

Atlas, 2008.

MARCIAL, Elaine; COSTA, Alfredo L. O uso de cenários prospectivos na estratégia empresarial: vidência especulativa ou inteligência competitiva? In: XXV Encontro da Ampad (Enampad). Rio de Janeiro: Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ANPAD), 2001. Disponível em <http://www.enap.gov.br/downloads/ec43ea4fENANPAD-MarcialCosta_Final.pdf> Acesso em 30/03/2013.

MASI, Domenico de. O ócio criativo. Rio de Janeiro: Sextante, 2000. MCGEE, J. V.; PRUSAK, L. Gerenciamento estratégico da informação: aumente a competitividade e a eficiência de sua empresa utilizando a informação como uma ferramenta estratégica. 12. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

MENDES, Mariuze D; et al. Consumo e Design: projetos e metamorfoses sociais mediando estilos de vida sustentáveis. In: Design e Consumo. Org.: Marilda Lopes Pinheiro Queluz. Curitiba: Peregrina, 2010.

MERLO, Márcia; NAVALON, Eloize. Processos projetuais para a criação em design de moda: pesquisas teóricas e referenciais. 9º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design, 2010.

MONTENEGRO, G. A. A Invenção do Projeto: a criatividade aplicada ao desenho industrial, arquitetura, comunicação visual. São Paulo: Edgard Blücher, 2004.

MORAES, Dijon de. Metaprojeto como modelo projetual. In: Strategic Design Research Journal, v.3, nº2, p. 62-68. Mai/Ago 2010.

NEVES, Manuela; BRANCO, João. A previsão de tendências para a indústria têxtil e do vestuário. Minho (Portugal): Grafigamelas Indústria Gráfica, 2000.

PIGNATARI, Décio. Informação Linguagem Comunicação. São Paulo: Ateliê Editorial, 2002.

RENFREW, Elinor; RENFREW, Colin. Desenvolvendo uma coleção. Porto Alegre: Bookman, 2010.

RICHARDSON, Roberto J. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

RIEZU, Marta Domínguez. Coolhunters: caçadores de tendências na moda. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2011.

TREPTOW, Doris. Inventando moda: planejamento de coleções. 5ªed. São Paulo: Edição da Autora, 2013.

Downloads

Publicado

2018-07-01

Como Citar

PONTES, M. D. F.; ROCHA, M. A. V. O Uso da Informação no Processo Criativo de Design: análise da aplicação de tendências de moda em empresas autorais na cidade de Recife. Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 11, n. 22, p. 332-362, 2018. DOI: 10.5965/1982615x11222018332. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/11903. Acesso em: 18 ago. 2022.