Das leis da inclusão social à concretização de direitos: dilemas vivenciados na escola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984317813022017199

Palavras-chave:

Inclusão, Educação, Formação, Escola,

Resumo

Este artigo tem por objetivo problematizar questões da educação especial com as políticas públicas considerando as experiências de docência no contexto escolar.  Conta com a análise do contexto sócio-histórico, apoiando-se nas concepções de Mészáros (2005), Saviani (2008), Mazzeo (2015), Evangelista (2014) e Bueno (1999). Analisa anotações do diário de campo construído no cotidiano escolar, confrontando com as leis de inclusão da pessoa com deficiência, encontradas com facilidade nas esferas municipal, estadual e federal com a realidade vivenciada na escola, em particular na Escola de Educação Básica Frei Caneca do município de Lebon Régis-10a Gerência, Caçador-SC. Espera-se que o artigo contribua para ampliar a compreensão da realidade vivenciada não somente pelos alunos com deficiência, mas também pelos professores e comunidade escolar. Como resultados dessa análise pode-se evidenciar entre outros aspectos: que o governo necessita ampliar os investimentos e acelerar os processos de gestão; que há necessidade de uma reflexão voltada ao fato do governo responsabilizar unicamente a escola e os professores pela inserção de qualidade das pessoas com deficiência nas escolas; negação da divisão de classes e interesses por parte de organismos nacionais e internacionais por meio de um discurso político distorcido que prega que escola inclusiva gera sociedade inclusiva. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane do Prado, Universidade do Estado de Santa Catarina

Possui graduação em Pedagogia Educação Infantil e Séries Iniciais pela Universidade do Contestado (2003), Especialização em Educação Infantil e Séries Iniciais também pela Universidade do Contestado no ano de 2006 com ênfase (monografia) em História do Contestado. Foi funcionária efetiva de rede municipal de educação do município de Lebon Régis-SC. Atualmente é funcionária estadual efetiva da EEB Frei Caneca como Assistente Técnico Pedagógico desde o ano de 2006. Sua experiência na Educação é no ensino regular e na Educação Especial onde trabalhou por cinco anos. Com base na importância da formação continuada concluiu a especialização em Orientação Pedagógica pela Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC em agosto de 2015. Concluiu especialização em Arte no Campo pela Universidade do Estado de Santa Catarina-UDESC, bolsista do CNPq e outra especialização em Educação Especial Inclusiva pela UNOPAR . Atualmente cursa Mestrado em Educação pela UDESC, Universidade Estadual de Santa catarina, na linha de pesquisa Políticas Educacionais, Ensino e Formação. Título do trabalho de pesquisa:AS ARTES VISUAIS NA SUPERAÇÃO DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM/LEITURA NOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.

Maria Cristina da Rosa Fonseca da Silva, Universidade do Estado de Santa Catarina

Possui graduação em Educação Artística pela Universidade do Estado de Santa Catarina (1988), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998) e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004) na linha de mídia e conhecimento. Em 2010 realizou Estágio de Pós-doutorado na Universidad de Sevilla/Espanha desenvolvendo pesquisa junto a Escola da Organización Nacional de Ciegos Espanõles. Em 2011 desenvolveu Estágio de Pós Doutoramento na Universidad Nacional Del Arte - IUNA em Buenos Aires, Argentina . Desenvolveu pesquisa junto ao setor educativo do MALBA - Museu de Arte Latinoamericano de Buenos Aires. É professora titular do Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina. Atua como professora do Mestrado e doutorado em Artes Visuais da UDESC. Linha de investigação Ensino de Arte. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Inclusiva, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, ensino de artes, educação inclusiva e a distância. É Coordenadora do Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores - LIFE da UDESC. É autora do livro A Formação de Professores de Arte: diversidade e complexidade pedagógica. Desenvolve programa de Extensão junto ao NUPEART de Assessoria para professores da rede pública de ensino. Coordenou o Programa de Pós-graduação em Artes Visuais - UDESC de 2011 a 2014 e o Projeto bilateral intitulado: Observatório da Formação de Professores no âmbito do Ensino de Arte: estudos comparados entre Brasil e Argentina - (OFPEA/BRARG). Atualmente coordena em conjunto com a professora doutora Regina Finck Chambeck o PIBID Interdisciplinar da UDESC.

Referências

BANCO MUNDIAL. Social protection sector strategy: from safety net to springboards. Washington, DC, jan.2001.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Plano plurianual 20082011: projeto de lei / Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Brasília, DF: MP, 2007a. 540p.; v.2

BRASIL. Decreto Legislativo Nº 186, 2008. Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/ constituicao/congresso/dlg/dlg-186-2008.htm Acesso em 15 de janeiro de 2017.

BUENO, J. G. S. Crianças com necessidades Educativas Especiais, Política Educacional e a formação de professores: Generalistas ou Realistas?Revista Brasileira de Educação especial, INSS 141-6538 3 (5), 7-25. 1999. Disponível em: http://www.abpee.net/homepageabpee04_06/artigos_em_pdf/revista5numero1pdf/r5_art01.pdf. Acesso em 17 de janeiro de 2017.

EVANGELISTA, O. Organizadora. O que revelam os slogans na política educacional, 1 ed. Araraquara, Junqueira;Marin, 2014.

GARCIA, R.M.C.; MICHELS, M. H. In.: EVANGELISTA, O. Organizadora. O que revelam os slogans na política educacional, 1 ed. Araraquara, Junqueira;Marin, 2014

Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015 (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em 15 de janeiro de 2017.

MAZZEO, A. C. Estado e burguesia no Brasil: origens da autocracia burguesa, 3 ed. São Paulo, Boitempo, 2015.

MÉSZÁROS, ISTVÁN. A Educação para além do Capital. Trad. TAVARES, Isa. São Paulo, Boitempo, 2005.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica, 10 ed. Ver. Campinas, 2008.

_____. Secretaria de Estado da Educação, Ciência e Tecnologia. Fundação Catarinense de Educação Especial. Política de educação especial no estado de Santa Catarina. São José: FCEE, 2006.

_____. Secretaria de Estado da Educação, Ciência e Tecnologia. Fundação Catarinense de Educação Especial. Programa Pedagógico. São José: FCEE, 2009.

SILVA, M. M. Percursos profissionais e a justeza das políticas públicas e inclusão e qualificação: O público alvo do Projovem trabalhador. In______ . Jovens Trabalho e Educação. Campinas: Mercado de Letras, 2012. Cap. 2, 71-109.

Downloads

Publicado

2017-08-01

Como Citar

DO PRADO, E.; FONSECA DA SILVA, M. C. da R. Das leis da inclusão social à concretização de direitos: dilemas vivenciados na escola. Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 13, n. 2, p. 199-219, 2017. DOI: 10.5965/1984317813022017199. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/9553. Acesso em: 29 jan. 2023.