IMAGENS DE SI: O AUTORRETRATO COMO PRÁTICA DE CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE

Autores

  • Roselene Maria Rauen Uniarp - Universidade Alto Vale do Rio do Peixe
  • Daniel Bruno Momoli Uniarp - Universidade Alto Vale do Rio do Peixe

DOI:

https://doi.org/10.5965/198431781112015051

Palavras-chave:

Autorretrato. Identidade. Rembrandt. Frida Kahlo, Cindy Sherman. Vik Muniz

Resumo

Esta pesquisa tem como tema “Imagens de si: o autorretrato como prática de construção da identidade”. Apresenta como campo problemático os caminhos possíveis para uma discussão: Pensar a nossa identidade vai além de simplesmente responder a pergunta: Quem sou eu? Vai além de um nome, idade, sexo, profissão, grau de escolaridade? Ao desenvolvermos atividades que estimulem o processo de exploração de si mesmo proporcionaremos que o individuo identifique e demonstre suas próprias características, seus anseios, vontades, percepções, buscando explicitar de forma concreta seu “eu”? O autorretrato pode contribuir no processo de construção da identidade? O objetivo geral do trabalho é desenvolver um estudo sobre o autorretrato para a prática de construção da identidade desenvolvendo a observação e sensibilidade do olhar em relação a si mesmo no ensino de artes visuais. No capítulo dois intitulado “Conceituação e contexto” apresentamos algumas definições importantes sobre o retrato e o autorretrato na história da arte, tais como, conceitos e contexto histórico, além de discorrermos sobre o autorretrato como prática de construção da identidade. No capítulo três “Autorretratos em estudo: autorrepresentação, dualidade, multiplicidade e ilusão” analisamos a produção de autorretratos dos artistas Rembrandt, Frida Kahlo, Cindy Sherman e Vik Muniz a fim de buscar compreender o gênero autorretrato e explorá-lo para verificar se essa prática pode auxiliar na busca da construção da identidade. E no quarto capítulo, “Caminhos metodológicos” caracterizamos e explicamos a nossa pesquisa, além de apresentarmos o universo e os sujeitos da pesquisa de campo. Consideramos o autorretrato como a forma expressiva da imagem, representação, apresentação, expressão e conhecimento de si para si mesmo. Consideramos como categorias de análise: o fazer (processo de produção poética e de constituição/afirmação da identidade do sujeito), o exprimir (sentido, significação, apresentação e representação), os elementos visuais e os relatos pessoais do sujeito (conhecimento de si). Tomamos aqui a arte como um espaço social construtor de subjetividades. O indivíduo ao se autorretratar organizou seus pensamentos, seus sentimentos, com o objetivo de dar significado a sua imagem. Trata-se de um processo complexo que envolve pensar, expressar, interpretar, criar e transmitir.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

02-10-2015

Como Citar

RAUEN, Roselene Maria; MOMOLI, Daniel Bruno. IMAGENS DE SI: O AUTORRETRATO COMO PRÁTICA DE CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE. Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 11, n. 1, p. 51–73, 2015. DOI: 10.5965/198431781112015051. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/6157. Acesso em: 15 abr. 2024.