Editorial

Autores

  • Maria Cristina da Rosa Fonseca da Silva

Resumo

EDITORIAL

Considerando a atualidade do tema Educação, Arte e Inclusão a revista pretende auxiliar professores, estudantes da pós-graduação e pesquisadores na tarefa de ampliar, sistematizar, e veicular a produção científica na interface educação, arte e inclusão. Consideramos que o tema pode também articular-se com a prática pedagógica do professor na rede escolar qualificando sistemáticas e metodologias que possibilitem a qualidade da permanência na escola.
A REVISTA EDUCAÇÃO, ARTE E INCLUSÃO, é uma revista científica do Grupo de Pesquisa “Educação, Arte e Inclusão” vinculado a UDESC (Universidade do Estado de Santa Catarina) e ao CNPq (Conselho Nacional de Pesquisa). A proposta da Revista está ancorada na intenção de intercambiar as produções de investigadores dentro e fora do Brasil. O grupo prioriza os temas que relacionam educação e arte com a temática da inclusão. Neste sentido tomamos o tema da inclusão numa abordagem ampla, que tangencie a inclusão social, tecnológica, inter-étnica e das pessoas com necessidades especiais.
Partilhamos um referencial teórico-prático que se propõe a diagnosticar, analisar e propor mudanças para a área. Ainda contribuindo na intenção de ampliar as condições da inclusão no Brasil, suas políticas públicas, as práticas culturais na escola e as inovações no campo da educação.
O grupo de pesquisa atua na educação, no âmbito das inovações escolares e na interface com o campo do Ensino de Arte no que diz respeito a produção de objetos pedagógicos para a inclusão. Uma parcela de suas pesquisas apresenta foco na formação do professor de arte e da produção artística de crianças em classes inclusivas.
Pretendemos qualificar a seleção dos textos publicados, para que possam veicular uma produção singular na interface, educação, arte e inclusão objetivando o entrelaçamento das produções locais, com investigações de outros grupos de pesquisa, no Brasil e no exterior, onde existam parcerias com o grupo de pesquisa a exemplo de Portugal (Universidade do Minho) e Espanha (Universidade de Cádiz). Para que isso aconteça de forma plena e transparente contamos com a participação de seis doutores que atuam na área de educação, arte e inclusão, três brasileiros e três espanhóis que compõe o Comitê Científico da revista. Neste primeiro número brindamos o leitor com uma entrevista com a Professora doutora Amanda Tojal um dos maiores expoentes do ensino de arte para grupos especiais em espaços não formais. Amanda desenvolve seu trabalho na Pinacoteca do estado de São Paulo onde implantou o projeto PEPE (Programa Educativo Públicos Especiais).
Na secção artigos científicos apresentamos o texto de autoria de Claudia Natália Saes Quiles da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), intitulado “A RELAÇÃO ESCOLA, TECNOLOGIA, ENSINAR E APRENDER: A TEORIA CRÍTICA COMO SUPORTE DE ANÁLISE” onde a autora propõe uma reflexão a partir de sua dissertação de mestrado considerando os debates acerca do currículo, da escola crítica e da tecnologia, do ponto de vista da sociologia da educação.
No segundo texto, intitulado: “ A FORMAÇÃO ESTÉTICA DO PROFESSOR: CONCEITOS DE ARTES VISUAIS” as autoras: Maria Luiza Nunes e Carla Carvalho, ambas da UNIVALI (Universidade do Vale do Itajaí), relatam uma formação desenvolvida com professores buscando pesquisar os aspectos estéticas de sua formação. Já o terceiro texto com o título: “ MATERIAIS PEDAGÓGICOS DE BAIXO CUSTO PARA O ENSINO DE CORRENTE ELÉTRICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL” de autoria do professor Fábio Lombardo evangelista, mestrando da UFSC, que relata o estudo de caso de sua dissertação de mestrado abordando a construção de materiais pedagógicos de baixo custo para ensinar correntes elétricas para estudantes cegos no ensino médio.
No quarto texto “EU NÃO TIVE FORMAÇÃO: UMA REFLEXÃO SOBRE AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE ARTES VISUAIS EM TURMAS ONDE ESTUDAM EDUCANDOS CEGOS” a mestranda da FURB (Fundação Universidade de Blumenau), Tatiana dos Santos da Silveira, apresenta as reflexões de sua dissertação de mestrado em andamento, com objeto de estudo nas práticas pedagógicas de ensino de arte em classes regulares com crianças cegas.
LEONILSON: O PREDESTINADO, é o quinto texto apresentado pela professora Maria Lucila Horn, mestre pela UDESC (Universidade do Estado de Santa Catarina), fruto de sua dissertação de mestrado, onde a autora analisa a vida do artista plástico Leonilson a luz da teoria hermenêutica, considerando as reflexões sobre o mito do artista.
No sexto texto com o título “ARTES VISUAIS E INCLUSÃO: O SIMBOLISMO NA EXPRESSÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS” os autores a professora Ana Luiza Ruschel Nunes (Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG – PR), e os estudantes Aline Horst e Michele Spall, UFSM (Universidade federal de Santa Maria), apresentam uma detalhada pesquisa com crianças com necessidades especiais, a partir de um estudo de caso analisando os processos artísticos, simbólicos e expressivos. Finalizamos este editorial apresentando o último texto, na secção Relato de experiência, intitulado “A FORMAÇÃO DE PROFESSORES ATRAVÉS DA ARTE E INCLUSÃO” que relata uma experiência prática, num projeto de extensão desenvolvido no Museu de Artes de Santa Catarina com público cego, de autoria da mestranda do PPGAV da UDESC, Adriane Cristine Kirst orientado pela professora Maria Cristina da Rosa Fonseca da Silva. A equipe editorial espera que o conjunto dos trabalhos possa contribuir e qualificar os estudos desenvolvidos na área e coloca-se a disposição para receber contribuições para o próximo número da revista.

Maria Cristina da Rosa Fonseca da Silva
Editora Chefe da revista

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-03-20

Como Citar

FONSECA DA SILVA, M. C. da R. Editorial. Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 2, n. 1, 2010. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/1638. Acesso em: 30 nov. 2022.