Historicizar indumentária (e moda) a partir do estudo de artefatos: reflexões acerca da disseminação de práticas de pesquisa e ensino no Brasil

Autores

  • Rita Morais de Andrade Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x07142014072

Palavras-chave:

ensino de história da indumentária no Brasil, estudo de artefatos, cultura material

Resumo

Há quase duas décadas disseminou-se uma metodologia de pesquisa para o estudo de indumentária que vem crescentemente influenciando o ensino de história da moda (mais do que da indumentária) e os projetos de pesquisa em cursos de pós-graduação no Brasil. Tratase do estudo com base na observação e análise de artefatos, do inglês “object-based
research”. Método amplamente empregado por profissionais de áreas como arqueologia, antropologia, conservação de bens culturais e museologia, o estudo de artefatos é comumente relacionado à cultura material, às questões ligadas ao patrimônio histórico-cultural e à
memória. Neste ensaio, proponho uma reflexão acerca da disseminação de metodologias de estudo de indumentária por meio da análise de artefatos visando a pesquisa e ensino de história da moda no Brasil. Conceitos e aportes teóricos bastante citados em artigos científicos e de divulgação no país, a exemplo do método proposto por Jules Prown (1982), bem como desafios à patrimonialização da indumentária no país serão tratados e revisados considerando-se um amadurecimento necessário para este campo de investigação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, R. M. Boué Soeurs RG 7091: a biografia cultural de um vestido. 2008. Tese (Doutorado em História Cultural) - Departamento de História, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

APPADURAI, A. Introduction: commodities and the politics of value. In: APPADURAI, A. The Social Life of Things: Commodities in Cultural Perspective. Cambridge, Cambridge University Press, p.3-63, 1986.

CÂNDIDO, M. M. D. Gestão de museus, diagnóstico museológico e planejamento: um desafio contemporâneo. Medianiz, 2013.

KOPYTOFF, I. The cultural biography of things: commoditization as process. In: APPADURAI, A. The Social Life of Things: Commodities in Cultural Perspective.Cambridge, Cambridge University Press, p. 64-91, 1986.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. Memória e Cultura material. In: Revista Estudos Históricos, vo.11, n.21, 1998, p.89-103. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/issue/view/287.

MILLER, Daniel. Consumo como cultura material. In: Horizontes Antropológicos. Porto Alegre, ano 13, n. 28, p. 33-63, jul./dez. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ha/v13n28/a03v1328.pdf.

MITCHELL, W. J. T. Mitchell. What Do Pictures Want? Essays on the Lives and Loves of Images. Chicago: University of Chicago Press, 2005)

PAULA, T. C. T. (Org.) . Tecidos e sua conservação no Brasil: museus e coleções. 1. ed. São Paulo: Museu Paulista da USP, 2006. v. 01. 384 p

PROWN, J. Mind in Matter: An Introduction to Material Culture Theory and Method. Winterthur Portfolio, The University of Chicago, vol. 17, n. 1, p. 1-19, 1982. SGUISSARDI, Valdemar; SILVA JÚNIOR, João dos Reis. Trabalho intensificado nas federais: pós-graduação e produtivismo acadêmico. São Paulo: Xamã, 2009

TAYLOR, L. The Study of Dress History. Manchester University Press, 2002. ____________. Establishing Dress History. Manchester University Press. 2004.

Downloads

Publicado

2014-07-01

Como Citar

ANDRADE, Rita Morais de. Historicizar indumentária (e moda) a partir do estudo de artefatos: reflexões acerca da disseminação de práticas de pesquisa e ensino no Brasil. Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 7, n. 14, p. 72–82, 2014. DOI: 10.5965/1982615x07142014072. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/5099. Acesso em: 14 abr. 2024.