Engajamento Ambiental Como Artifício de Branding de Moda


Marcus Teixeira Cardoso, Edmundo Brandão Dantas

Resumo


Resumo. O presente artigo trata de observar a estratégia de marca da grife carioca Osklen com o lançamento da coleção ASAPAs Sustainable As Possible (em uma tradução livre: o mais sustentável possível), para a estação de inverno do ano de 2018. Para isso, foi desenvolvida análise qualitativa de comunicação, ambientação de loja, escolhas e decisões de estilo para a composição da coleção, bem como o discurso construído em função desse lançamento: seja na voz do diretor criativo, seja por meio de peças e anúncios da campanha publicitária desta coleção. De acordo com o estudo bibliográfico desenvolvido, com método exploratório, é possível identificar a construção desse discurso – o da responsabilidade ambiental – como artifício de branding ante ao consumidor, com apoio bibliográfico de teóricos da área como Mary Douglas, Baron Isherwood, Marshal Sahlins e Kevin Roberts. 

Palavras-chave: Moda, Branding, Responsabilidade Ambiental


Palavras-chave


Moda; Design; Fashion; Sustentabilidade; Responsabilidade ambiental; Engajamento; Branding; Marketing

Texto completo:

PDF PT

Referências


Referências

APPADURAI, Arjun. (Org.). A vida social das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural. Niterói: Editora da UFF, 2008.

BROWN, Lester. Eco-Economia. UMA – Universidade Livre da Mata Atlântica. Disponível em: . Acesso em: 20 de mai. 2018.

DISITZER, Marcia. ASAP (As Sustainable As Possible): Osklen desfila coleção no SPFW. 2018. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2018.

DOUGLAS, Mary; ISHERWOOD, Baron. O mundo dos bens. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2004.

______. O mundo dos bens, vinte anos depois. 2007. Disponível em: . Acesso em: 3 jun. 2018.

DUARTE, Pedro. Entrevista. Revista Cause. Rio de Janeiro, n. 5, p. de 142-153, jul. 2017.

ECOCULT. Fashion is the 8th most polluting industry? 2017. Disponível em: . Acesso em: 12 jun. 2018.

INSTITUTO E. Sobre. Disponível em: < http://institutoe.org.br/sobre/>. Acesso em: 14 jun. 2018.

KELLER, K. L.; LEHMANN, D. R. Brands and branding: research findings and future priorities. Marketing Science, v. 25, n. 6, p. 740-759, 2006.

MARTINELLI, F.; SANTA CRUZ, L. Cultura como estratégia de mercado das marcas socialmente responsáveis. In: 3º CONGRESSO DE ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO, UERJ, Rio de Janeiro, 2008.

______. O engajamento social como estratégia de comunicação: consumo e responsabilidade no discurso empresarial. In: II ENCONTRO ESPM DE COMUNICAÇÃO E MARKETING, São Paulo. Anais... São Paulo, 2007, p. 3

MUNDIM, M. Ecologia: por um ambiente inteiro: Sustentabilidade e desenvolvimento sustentável. 2012. Disponível em: . Acesso em: 14/06/2018.

OSKLEN. [Anúncio Publicitário] Elle, 2018, p. 20.

OSKLEN. Campanha ASAP. 2018. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2018.

ROBERTS, Kevin. Lovemarks – o futuro além das marcas. São Paulo: Makron Books, 2004.

SAHLINS, Marshall. Cultura e razão prática. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003.

SANTOS, Jair Ferreira dos. Notas sobre a alegria como commodity. ECO-PÓS, v. 9, n. 2, p.13-19, agosto-dezembro 2006.

SLATER, Don. Cultura do consumo e modernidade. São Paulo: Nobel, 2002.

VEBLEN, Thorstein. A teoria da classe ociosa: um estudo econômico das instituições. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/982615x1224201900148

Direitos autorais Marcus Teixeira Cardoso, Edmundo Brandão Dantas

Licença Creative Commons

      http://www.revistas.udesc.br/public/site/images/rocha1/ceart1.png