Sobre a Revista

Periódico de Teatro de Formas Animadas vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Teatro, do Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina. Ação do Programa de Extensão Formação Profissional no Teatro Catarinense.
Periodicidade: semestral
Ano de criação: 2005

 

Notícias

(Chamadas abertas para publicação das edições n° 24 e nº 25, 2021) - Prorrogação chamada nº 24 até 18/06

2021-02-25

A Revista Móin-Móin (ISSN 1809-1385 / e-ISSN 2595-0347) é uma revista de estudos sobre Teatro de Formas Animada que representa uma das ações do Programa de Extensão Formação Profissional no Teatro Catarinense, da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Publica, desde 2005, edições monotemáticas dedicadas a divulgar artigos inéditos resultantes de pesquisas acadêmicas sobre as distintas linguagens do Teatro de Animação, bem como reflexões e processos criativos de artistas.

Abaixo, seguem os dados das chamadas para publicação em 2021, assim como sobre o fluxo contínuo de recebimento de textos e informações gerais para submissão. 

.....................................................................................................

Saiba mais sobre (Chamadas abertas para publicação das edições n° 24 e nº 25, 2021) - Prorrogação chamada nº 24 até 18/06

Edição Atual

v. 2 n. 23 (2020): A atuação das mulheres no Teatro de Animação
Foto da capa: Espetáculo Desde el azur, de Inés Pasic. Fotógrafo: Jesús Atienza.
Mesmo que personagens femininas permeiem o universo do Teatro de Bonecos popular, por que em muitas culturas o ofício de quem anima ainda é predominantemente exercido por homens, como ocorre no Karaghiozis, no Wayang e no Mamulengo, por exemplo? Assim, onde e como podemos encontrar as mulheres inseridas no grêmio dos animadores? Como elas subverteram/subvertem essa ordem? Seja na transmissão familiar, seja no ensino, na construção, na dramaturgia, na direção ou na produção: a mulher aparece em diferentes graus de visibilidade em todos os processos relativos ao teatro de figuras animadas. Quem são essas mulheres? De que modo impactaram/impactam a evolução e a coesão dos espaços de transmissão e promoção da arte bonequeira? Quais são as mulheres que atuam hoje no Teatro de Animação? Quais mulheres estão sendo representadas, e como? Quais são os desafios assumidos pelas bonequeiras? Que situações traspassam os diversos corpos das mulheres na cena animada em tempos de tecnologias da presença e lutas por direitos sobre o próprio corpo? Que resistências e desafios enfrentam no plano profissional? Que espaços são mantidos ou conquistados? Com respeito às próprias lutas das mulheres, em nível mundial, em clamor à justiça de gênero, segurança, saúde e equidade: Como o Teatro de Animação dialoga com essas questões? Que articulações, representações e poéticas emergem das produções de mulheres e sobre mulheres? Esperamos que estas provocações instiguem a reflexão em diferentes perspectivas dentro da temática proposta.  
Publicado: 2020-12-18

Edição completa

Expediente

Editorial

Artigos

Ver Todas as Edições