Teatro de animação na escola: procedimentos e reflexões

Autores

  • Eder Sumariva Rodrigues Prefeitura Municipal de Florianópolis

DOI:

https://doi.org/10.5965/2595034701202019123

Resumo

Tem-se por objetivo neste artigo a apresentação de reflexões pedagógicas desenvolvidas com as linguagens do Teatro de Animação em escolas da rede municipal de ensino de Florianópolis/SC com alunos do quinto ao nono ano. Estas experiências pedagógicas que incluem o Teatro de Sombras e o Teatro de Máscaras ocorreram entre 2016 e 2018 na rede municipal de ensino de Florianópolis. Na primeira parte desse texto, descrevo os procedimentos pedagógicos utilizados durante as aulas de artes cê- nicas e, no segundo momento, reflexões acerca da ausência/presença e da importância do Teatro de Animação na escola. 

Palavras-chave: Pedagogia. Teatro de Máscaras. Teatro de Sombras. Teatro de Animação. Escola. 


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eder Sumariva Rodrigues, Prefeitura Municipal de Florianópolis

Doutor pelo Programa de Pós- -Graduação em Teatro CEART/UDESC. Mestre em Teatro pela UDESC e formado em Artes Cênicas pela mesma universidade, na qual foi bolsista dos projetos de pesquisa: A encenação no Brasil entre o período de 1964-1975: o Tropicalismo no teatro sob orientação do professor Edélcio Mostaço e O teatro de grupo e a construção dos modelos de trabalho de ator sob orientação do professor André Carreira. Experiência em produção teatral e foco de estudos na História do Teatro Brasileiro e História do Teatro. Foi técnico de cultura da unidade do SESC Concórdia e produtor executivo do Festival Internacional de Teatro de Animação em Florianópolis. Atualmente é professor do quadro do magistério da Prefeitura Municipal de Florianópolis, lecionando a disciplina de Artes/Teatro no Ensino Fundamental.

Downloads

Publicado

2019-11-14

Como Citar

RODRIGUES, E. S. Teatro de animação na escola: procedimentos e reflexões. Móin-Móin - Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, Florianópolis, v. 1, n. 20, p. 123-152, 2019. DOI: 10.5965/2595034701202019123. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/moin/article/view/1059652595034701202019123. Acesso em: 26 set. 2022.