(Chamadas abertas para publicação das edições n° 24 e nº 25, 2021) - Prorrogação chamada nº 24 até 18/06

2021-02-25
  1. 1, n.24 (2021) – Experiências de formação no ciberespaço e processos criativos em isolamento social 

Nesta edição, almejamos refletir sobre os processos de ensino-aprendizagem e experiências artísticas realizadas em 2020, em decorrência das condições de isolamento social impostas pela crise sanitária causada pela propagação do Covid 19. 

Encontros e mostras realizados virtualmente, cursos de curta duração online, aulas remotas: O uso de plataformas virtuais e metodologias diferenciadas causaram profundas reflexões nos formadores/professores, estudantes e artistas de teatro de animação. Que vantagens ou desvantagens ofereceram/oferecem? Que dificuldades apresentaram/apresentam? Quais os aspectos positivos e negativos que a formação no ciberespaço demonstrou/demonstra? De que forma e em que medida o uso de novas tecnologias pode impactar o ensino-aprendizagem em teatro de animação? Quais os desafios impostos? 

Em que e como o ciberespaço pode contribuir para o desenvolvimento da arte da animação? Quais os prejuízos? Existe ainda o preconceito? Em que aspectos essas práticas se distanciam da formação tradicional? O que podem conservar da tradição e como? Quais experiências foram realizadas no último ano e que resultados produziram? Houve alguma inovação ou remodelação significativa nos processos de ensino-aprendizagem ou apenas uma resistência contra os efeitos do isolamento social? Quais as perspectivas que os experimentos/processos criativos realizados em isolamento social apresentam/podem apresentar para a arte da animação teatral? De que modo as experiências vividas poderão influenciar a formação e os processos criativos/produções no futuro? O que será incorporado nos processos daqui para frente?

Esperamos que as provocações instiguem não apenas as questões aqui levantadas, mas que abram novas indagações e problemáticas em diferentes perspectivas dentro da temática proposta. Os autores(as) podem apresentar pesquisas históricas ou empíricas, ensaios teóricos, traduções inéditas, relatos de experiências, análise de processos criativos e entrevistas.

Prazo para envio de artigos: 18 de junho de 2021

.....................................................................................................

 

 

  1. 2, n. 25 (2021) –Teatro de Animação, ecologia e sustentabilidade 

 

A degradação da natureza e a mudança climática são pautas urgentes para as políticas econômicas e sociais.  Com efeito, representações, contestações ou outras ações advindas da percepção da exploração dos recursos naturais, do curto ciclo de vida dos produtos, da poluição, do desmatamento, das transformações genéticas e do consumismo já estão presentes há bastante tempo na arte, a qual também é afetada pelos efeitos que temos vivido em razão a ingerência do homem sobre o planeta. A arte possui a capacidade de explorar diversos aspectos que envolvem essa relação: a experiência estética que nos perpassa pela obra artística é capaz de relativizar nosso lugar no mundo e propor questionamentos, novos modelos ou reflexões sobre nosso comportamento. Concernente à arte da animação teatral contemporânea, como essa prática artística pode colaborar para a conscientização e para o ativismo? Qual seu papel? Qual seu potencial? 

Percebemos que os temas da ecologia e da sustentabilidade surgem em várias produções de teatro de bonecos, como conteúdo pedagógico e sensibilização às crianças. Mas, para além do tema incorporado na fábula dos espetáculos, como o artista pode refletir e incorporar essas questões em suas práticas criativas cotidianas? Será que uma percepção ecológica profunda é capaz de servir como base filosófica para o teatro de animação? Como pensar o material, sua funcionalidade, durabilidade e seu impacto na natureza a partir de uma perspectiva artística consciente? Quais estratégias adotar para uma conservação ecológica do acervo material? De que forma o teatro de animação pode ser influenciado por essas questões, pensar, realizar e influenciar novas posturas? Quais projetos (de artistas, de companhias ou de instituições) vem sendo pensados, com o intuito de relacionar arte, sociedade e meio ambiente? Como o teatro de animação tem se relacionado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)? Como gerar ideias e provocar diálogos que afetem o público? 

Esperamos que as provocações instiguem não apenas as questões aqui levantadas, mas que abram novas indagações e problemáticas em diferentes perspectivas dentro da temática proposta. Os autores(as) podem apresentar pesquisas históricas ou empíricas, ensaios teóricos, traduções inéditas, relatos de experiências, análise de processos criativos e entrevistas.

Prazo para envio de artigos: 01 de setembro de 2021

.....................................................................................................

 

Fluxo contínuo de recebimento de textos

Para o envio de textos que não se enquadrem nos temas anteriormente citados, é possível fazê-lo a qualquer tempo, pois a plataforma aceita a submissão de textos em fluxo contínuo. Os textos que não se refiram a um dos temas poderão ser publicados em outro número da revista, respeitando a pertinência à temática.  

.....................................................................................................

 

Informações gerais

Podem ser apresentados artigos, relatos, ensaios, resenhas, entrevistas e traduções.

A revista trabalha com a política de avaliação anônima por pares para qualquer texto submetido. 

 ....................................................................................................

 

Diretrizes para envio de trabalhos

Para publicar na Revista Móin-Móin o(a) interessado(a) deve primeiro cadastrar-se como autor(a) e, em seguida deverá submeter o artigo na plataforma OJS no link da MÓIN-MÓIN – REVISTA DE ESTUDOS SOBRE TEATRO DE FORMAS ANIMADAS:

http://revistas.udesc.br/index.php/moin/user/register

As submissões devem estar de acordo com os padrões do periódico e devem
ser postadas diretamente no sistema de submissão para seguir o processo
geral de avaliação do periódico.

Lembramos que o periódico não cobra taxas de submissão, nem de
publicação e utiliza o sistema duplo-cego de revisão por pares. O texto
pode ser enviado em português, espanhol, inglês ou francês e, no caso de textos em francês e inglês, eles serão publicados em sua língua original com tradução para o português.

Maiores informações podem ser encontradas em nosso website,
http://www.revistas.udesc.br

Os artigos devem ser encaminhados de acordo com as Diretrizes para os autores, no link:

http://www.revistas.udesc.br./index.php/moin/about/submissions#authorGuidelines


Contato: revistamoinmoinudesc@gmail.com