Moda e Fabricação Digital: Pesquisa Empírica Sobre a Viabilidade de Possíveis Benefícios em Adotar os Laboratórios de Fabricação Digital como Campo de Estudo, Produção e Pesquisa de Moda no Brasil

Autores

  • Rafaela Blanch Pires Professora do curso de Direção de Arte na Universidade Federal de Goiás. Doutorado em Universidade de São Paulo (Usp-SP) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x12262019117

Palavras-chave:

Processos produtivos, Design de Moda, Design

Resumo

Este artigo apresenta parte de resultados de pesquisa de doutorado na qual uma pesquisa empírica com coleta de dados realizada a partir de curso de extensão intitulado “Moda e Fabricação Digital”, oferecido pelo departamento de [Omitido para revisão cega] em colaboração com o Fab Lab Libre Casa da Memória foi oferecido. Buscou-se analisar nesta pesquisa qual a viabilidade e benefícios em adotar práticas e ferramentas de fabricação digital como máquinas de corte a laser e impressão 3D em desenvolvimento de produtos de moda. Dentre os principais objetivos da análise feita a partir de relatos e entrevistas, está observar qual nível de absorção do conteúdo passado, como participantes irão utilizar máquinas de corte a laser e impressoras 3D em suas produções, quais grupos poderão se beneficiar destas técnicas, quais as possibilidades de impactos produtivos no contexto brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafaela Blanch Pires, Professora do curso de Direção de Arte na Universidade Federal de Goiás. Doutorado em Universidade de São Paulo (Usp-SP) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Doutorada em Design e Arquitetura pela Universidade de São Paulo (Usp-SP). Atualmente é professora do curso de Direção de Arte na Universidade Federal de Goiás. Realizou mestrado em Têxtil e Moda na Escola de Ciências e Humanidades da Usp. Possui bacharelado em Moda e Estilismo pela Universidade do Estado de Santa Catarina e Letras Alemão pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

BRUNO, F.. “A quarta revolução industrial do setor têxtil e de confecção: a visão de futuro para 2030”. São Paulo: Editora Letras e Cores, 2016

ECHYENNE, F.; NEVES, H. Fablab: a vanguarda da nova revolução industrial. Creative Commons, 2013

FABLAB LIVRE SÃO PAULO. Disponível em: fablablivresp.art.br . Acesso em 30.03.2017

FAB TEXTILES ACADEMY. Disponível em: https://fabtextiles.org/what/. Acesso em: 23.03. 2017. 12h32min

SENNET, R. O artífice. Rio de Janeiro: Editora Record, 2008

SMITH, A; HIELSCHER, S.; DICKEL, S.; SÖRDERBERG, J.; OOST, H. Grassroots digital fabrication: reconfiguring, relocating and recalibrating innovation? In: Science and TechnologyPolicy Research. Disponível em: <https://www.sussex.ac.uk/webteam/gateway/file.php?name=2013-02-swps-aps-sh-gdf-working-paper.pdf&site=25> . Acesso em 03.04.2017. 16h

TEXTILE AND CLOTHING BUSINESS LAB (TCBL). Disponível em: tcbl.eu . Acesso em: 23.03.2017, 14h21min

Downloads

Publicado

2019-10-01

Como Citar

PIRES, R. B. Moda e Fabricação Digital: Pesquisa Empírica Sobre a Viabilidade de Possíveis Benefícios em Adotar os Laboratórios de Fabricação Digital como Campo de Estudo, Produção e Pesquisa de Moda no Brasil. Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 12, n. 26, p. 117-145, 2019. DOI: 10.5965/1982615x12262019117. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/14782. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Entrevista