Lifehacking e Biohacking tendências impulsionadas pela pandemia de covid-19 e a moda

Autores

  • Taisa Vieira Sena Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Curitiba, PR

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630532021363

Palavras-chave:

Tendências, Moda, Lifehacking e Biohacking

Resumo

A pesquisa de tendências que, mostra-se mais relevante na atualidade, diz respeito a observações
e ponderações acerca da sociedade consumidora, principalmente, nos novos
núcleos e nichos de consumo. Diferentes autores afirmam que profissionais da pesquisa
prospectiva mapeiam diversas áreas de predomínio atualmente em cena e avaliam suas
principais implicações para o futuro. As pesquisas de tendências observam o comportamento
das pessoas e o contexto em que ele acontece. Embora já estivessem ganhando
cada vez mais espaço e interesse das pessoas, a busca por conteúdos ligados ao lifekacking
e ao biohacking se ampliou de forma significativa durante a pandemia de Covid-19.
Neste sentido a pesquisa busca analisar como este momento e contexto específico puderam
impulsionar estas tendências de comportamento e refletir sobre possíveis impactos
sobre a moda.

Biografia do Autor

Taisa Vieira Sena, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Curitiba, PR

Doutora em Comunicação e Semiótica PUCSP (2015), mestre em Design pela Universidade Anhembi Morumbi (2011), especialista em Marketing e Gestão Empresarial pela UFSC (2001) Bacharel em Moda Com Habilitação em Estilismo pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2000). Atualmente é diretora executiva da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisa em Moda, vice-presidente do Congresso Brasileiro de Iniciação Científica em Design e Moda, coordenadora da Pós-graduação de Modelagem Plana e Moulage para Moda e professora da graduação em Design de Moda da Pontifícia Universidade Católica do Paraná-PUCPR.

Referências

BRASILIANO, Antônio Celso Ribeiro. Mundo Vica. Volátil. Incerto. Complexo. Ambíguo. Rio de Janeiro: QualityMark. 2014

BUARQUE DE HOLANDA, A. Novo Dicionário Aurélio. Rio de Janeiro: Editora Nova Fonte, 1999.

CALDAS, Dário. Observatório de sinais: teoria e prática da pesquisa de tendências. Rio de

Janeiro: Senac Rio,2004.

__________, Vestígios do Futuro: Estilos de vida, consumo e tendências. São Paulo: Observatório de Sinais; Edição.2017.

COZER, Carolina. Biohacking é tendência para o Vale do Silício. Disponível em: https://www.whow.com.br/inovacao/biohacking-tendencia-2020/em 31 de janeiro de 2020. Acesso em set 2020.

ERNER, Guillaume. Vítimas da moda? Como a criamos e porque a seguimos. Editora Senac: São Paulo, 2006.

_________, Sociologia das tendências. São Paulo: GG. 2014. CÂMERA, Rafael. Você sabe o que é DIY? Disponível em:https://blog.fazedores.com/voce-sabe-o-que-e-diy/ 21 de julho de 2017. Acesso em set. 2020

KOTLER, P.; KELLER, K. L. Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

LINDKVIST, Magnus. O guia do caçador de tendências. Como identificar as forças invisíveis que moldam os negócios, a sociedade e a vida. São Paulo: Editora Gente, 2010.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: A Moda e o seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

____________; ROUX, E. O luxo eterno - Da idade do sagrado ao tempo das marcas. São Paulo, Companhia das Letras,2005.

___________; SERROY, Jean. A estetização do mundo. São Paulo: Companhia das Letras.2015

MAUÉS, Adriana. A internet das coisas nas novas tendências de moda. 2018. Disponível em:https://studioestrategia.com.br/2018/04/05/a-internet-das-coisas/Acesso em ago, 2020.

MIRANDA, Ana Paula de. Consumo de moda: a relação pessoa-objeto. São Paulo: Estação das Letras e Cores,2008.

MORACE, Francesco. Consumo Autoral: os novos núcleos geracionais. São Paulo: Estação das Letras e Cores,2018.

RASQUILHA, Luís. Coolhunting e pesquisa de tendências: observar, identificar e mapear as tendências e mentalidades emergentes do consumidor São Paulo: Actual. 2015.

RAYMOND, M. Tendências: que son, cómo identificarlas, em qué fijarnos, cómoleerlas. London: Promopress, 2010.

SANT’ANNA, M. R. Teoria de Moda: sociedade, imagem e consumo. Florianópolis: Estação das Letras e Cores, 2007.

SANT’ANNA, Patrícia & BARROS, André Ribeiro de. Pesquisa de tendências para moda. In Anais do VII Colóquio de Moda. São Paulo. CD room, 2010.

SOLOMON, Michael R. O comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. Porto Alegre: Bookman, 2002.

THOMPSON, Derek. Hit Makers: como nascem as tendências. Nova Iorque: Harper Collins Brasil (Amazon). 2018

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

SENA, T. V. Lifehacking e Biohacking tendências impulsionadas pela pandemia de covid-19 e a moda. Revista de Ensino em Artes, Moda e Design, Florianópolis, v. 5, n. 3, p. 363-376, 2021. DOI: 10.5965/25944630532021363. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/20128. Acesso em: 8 dez. 2021.