Siegmunds Liebeslied: presença da ópera no gênero fantasia no século XIX

Autores

  • Larissa de Abreu Galvão Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Guilherme Sauerbronn de Barros Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312906082011470

Palavras-chave:

ópera, fantasia, música de salão, piano, Gustav Lange

Resumo

O objeto de análise desse artigo é a Fantasia Siegmunds Liebeslied Op. 143, do compositor alemão Gustav Lange (1830-1889). Nesta obra é claramente identificável o encadeamento de temas da ópera Die Walküre, de Richard Wagner. A execução e análise (motívica, estrutural, rítmica e textural) da Fantasia de Lange têm por objetivo identificar e relacionar elementos musicais e sócio-culturais vinculados à ópera com as composições instrumentais feitas por virtuoses do piano e executadas nos salões burgueses. Na peça em questão, a sonoridade orquestral da ópera é transferida para o piano por meio de uma engenhosa “redução” pianística. Podemos identificar ainda a utilização de efeitos brilhantes característicos do pianismo romântico, tais como escalas, arpejos, cruzamento de mãos, alternância de dinâmicas e intensidades, entre outros, que, somados à citação de motivos operísticos de gosto popular, proporcionam desafios para o intérprete e interesse para os ouvintes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-25

Como Citar

GALVÃO, L. de A.; BARROS, G. S. de. Siegmunds Liebeslied: presença da ópera no gênero fantasia no século XIX. DAPesquisa, Florianópolis, v. 6, n. 8, p. 470-487, 2018. DOI: 10.5965/1808312906082011470. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/14029. Acesso em: 31 jul. 2021.

Edição

Seção

Música