Número de folhas para modelar a área foliar de mucuna cinza por dimensões foliares

Autores

  • Alberto Cargnelutti Filho Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Santa Maria http://orcid.org/0000-0002-8608-9960
  • Marcos Toebe Universidade Federal de Santa Maria
  • Cláudia Burin Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Santa Maria
  • Ismael Mario Marcio Neu Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Santa Maria
  • Bruna Mendonça Alves Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711732018571

Palavras-chave:

Stizolobium cinereum, dimensionamento amostral, modelo potência.

Resumo

Para modelos fidedignos de estimação de área foliar, é importante que as estimativas de seus parâmetros sejam precisas, e, para isso, devem ser geradas com número adequado de folhas. O objetivo deste trabalho foi determinar o número de folhas necessário para modelar a área foliar de mucuna cinza (Stizolobium cinereum) determinada por fotos digitais (Y), em função da largura do limbo do folíolo central da folha (x), por meio do modelo potência (Y=axb), gerado por processo iterativo. Em seis períodos de desenvolvimento da cultura (29, 43, 57, 73, 87 e 101 dias após a emergência) foram coletadas, aleatoriamente, total de 790 folhas. Cada folha é composta pelos folíolos esquerdo, central e direito. Foi mensurada a largura do limbo do folíolo central (x) e determinada a área foliar (soma da área dos folíolos esquerdo, central e direito) por meio do método de fotos digitais (Y). O número de folhas, necessário para a estimação dos parâmetros a e b do modelo potência e do coeficiente de determinação do modelo (R2), foi determinado por reamostragem, com reposição. Em mucuna cinza, o modelo potência (Ŷ=4,4019x1,8697, R2=0,9821) da largura do limbo do folíolo central (x) é adequado para estimar a área foliar obtida por fotos digitais (Y). Mensurar 240 folhas é suficiente para construção de modelos precisos do tipo potência, da área foliar de mucuna cinza determinada por fotos digitais (Y) em função da largura do limbo do folíolo central da folha (x).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberto Cargnelutti Filho, Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Santa Maria

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1993), mestrado em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1995) e doutorado em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (2002). Atualmente é Professor Associado I do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria. Atua na área de Estatística Experimental, com ênfase em Técnicas Experimentais, Planejamento de Experimentos, Biometria aplicada ao Melhoramento Genética Vegetal e Amostragem, atuando principalmente nos seguintes temas: planejamento experimental, precisão experimental, modelos biométricos, amostragem, estatística aplicada, avaliação de cultivares.

Marcos Toebe, Universidade Federal de Santa Maria

Prof. Dr. Universidade Federal de Santa Maria

Campus de Frederico Westphalen - UFSM

Cláudia Burin, Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Engenharia Florestal

Ismael Mario Marcio Neu, Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Santa Maria

Mestrando no no Programa de Pós Graduação em Agronomia

Referências

ANTUNES WC et al. 2008. Allometric models for non-destructive leaf area estimation in coffee (Coffea arabica and Coffea canephora). Annals of Applied Biology 153: 33-40.

ARGENTON J et al. 2005. Comportamento de atributos relacionados com a forma da estrutura de Latossolo Vermelho sob sistemas de preparo e plantas de cobertura. Revista Brasileira de Ciência do Solo 29: 425-435.

BLANCO FF & FOLEGATTI MV. 2005. Estimation of leaf area for greenhouse cucumber by linear measurements under salinity and grafting. Scientia Agricola 62: 305-309.

CARGNELUTTI FILHO A et al. 2012a. Estimação da área foliar de mucuna cinza por meio de método não destrutivo. Ciência Rural 42: 238-242.

CARGNELUTTI FILHO A et al. 2012b. Estimativa da área foliar de nabo forrageiro em função de dimensões foliares. Bragantia 71: 47-51.

CARGNELUTTI FILHO A et al. 2015. Number of leaves needed to model leaf area in jack bean plants using leaf dimensions. Bioscience Journal 31: 1651-1662.

DEMIRSOY H et al. 2005. Improved model for the non-destructive estimation of strawberry leaf area. Fruits 60: 69-73.

JANDEL SCIENTIFIC. 1991. User’s Manual. California. 280p.

POMPELLI MF et al. 2012. Allometric models for non-destructive leaf area estimation of Jatropha curcas. Biomass and Bioenergy 36: 77-85.

R DEVELOPMENT CORE TEAM. 2017. A language and environment for statistical computing. Disponível em: http://www.R-project.org/ Acesso em: 22 Jun. 2017.

SILVA GBF et al. 2013. Superação da profundidade de semeadura e densidades de palha para Mucuna aterrima, Mucuna deeringiana e Mucuna cinerea. Planta Daninha 31: 313-317.

STEEL RGD et al. 1997. Principles and procedures of statistics: a biometrical approach. 3.ed. New York: McGraw-Hill. 666p.

TEODORO RB et al. 2011. Aspectos agronômicos de leguminosas para adubação verde no Cerrado do Alto Vale do Jequitinhonha. Revista Brasileira de Ciência do Solo 35: 635-643.

TOEBE M et al. 2012. Modelos para a estimação da área foliar de feijão de porco por dimensões foliares. Bragantia 71: 37-41.

Downloads

Publicado

2018-11-14

Como Citar

CARGNELUTTI FILHO, A.; TOEBE, M.; BURIN, C.; NEU, I. M. M.; ALVES, B. M. Número de folhas para modelar a área foliar de mucuna cinza por dimensões foliares. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 17, n. 4, p. 571-578, 2018. DOI: 10.5965/223811711732018571. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/9960. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados