Resíduos agrícolas incorporados a substrato comercial na produção de mudas de repolho

Autores

  • Lorena Aparecida Merlo Meneghelli Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa
  • Paola Alfonsa Vieira Lo Monaco Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa
  • Marcelo Rodrigo Krause Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa
  • Caroline Merlo Meneghelli Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa
  • Louise Pinto Guisolfi Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa
  • Juliana Menegassi Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711732018491

Palavras-chave:

Brassica oleracea, moinha, fibra de coco, casca de ovo.

Resumo

Na produção de hortaliças de qualidade a formação de mudas é uma das fases mais importantes para o ciclo da cultura, influenciando diretamente no desempenho final da planta, tanto do ponto de vista nutricional como produtivo. Um dos fatores decisivos para obtenção de mudas com qualidade e consequente aumento de produtividade é o tipo de substrato utilizado. O estudo objetivou avaliar o efeito de proporções crescentes de resíduos da secagem de grãos de café (moinha) em substratos alternativos compostos de fibra de coco, casca de ovo e substrato comercial, nas variáveis de crescimento de mudas de repolho. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e dez repetições, sendo os tratamentos: T0: substrato comercial (testemunha); T1: 10% de moinha (MO) + 15% fibra de coco (FC) + 5% casca de ovo (CO) + 70% substrato comercial (SC); T2: 20% de MO + 15% FC + 5% CO + 60% SC; T3: 30% de MO + 15% FC + 5% CO + 50% SC; T4: 40% de MO + 15% FC + 5% CO + 40% SC. As variáveis avaliadas foram condutividade elétrica do substrato, diâmetro de coleto, número de folhas, altura de plantas e matérias secas da parte aérea, raiz e total de planta. Os maiores valores obtidos das variáveis analisadas foram obtidos no tratamento 4, no qual se utilizou-se 40% de moinha + 15% fibra de coco + 5% casca de ovo + 40% substrato comercial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorena Aparecida Merlo Meneghelli, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa

Graduanda em Agronomia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa

Paola Alfonsa Vieira Lo Monaco, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa

Engenheira Agrícola, D.S. em Engenharia Agrícola, Professora do Ifes – campus Santa Teresa

Marcelo Rodrigo Krause, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa

Graduando em Agronomia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa

Caroline Merlo Meneghelli, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa

Engenheira Agrônoma, Mestranda em Produção Vegetal pela Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Agrárias, Alegre.

Louise Pinto Guisolfi, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa

Graduando em Agronomia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa

Resíduos agrícolas incorporados a substrato comercial na produção de mudas de repolho

Juliana Menegassi, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa

Graduando em Agronomia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo- Ifes- campus Santa Teresa

Referências

ALEMAN CC & CHAVES TC. 2016. Efeito da adubação nitrogenada via fertirrigação em capim limão. Nucleus 13: 199-204.

ARAÚJO NETO SE et al. 2009. Produção de muda orgânica de pimentão com diferentes substratos. Ciência Rural 39: 1408-1413.

CAMPANHARO M et al. 2006. Características físicas de diferentes substratos para produção de mudas de tomateiro. Caatinga 19: 140-145.

COSTA LAM et al. 2013. Avaliação de substratos para a produção de mudas de tomate e pepino. Revista Ceres 60: 675-682.

COSTA LAM et al. 2014. Substratos alternativos para produção de repolho e beterraba em consórcio e monocultivo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 18: 150-156.

COUTO TR et al. 2012. Resíduos da agroindústria como substrato na aclimatização de mudas micropropagadas de bromélia. Revista Brasileira de Ciências Agrárias 7: 242-246.

D’AVILA FS et al. 2011. Efeito do potássio na fase de rustificação de mudas clonais de eucalipto. Revista Árvore 35: 13-19.

FERREIRA DF. 2015. Sisvar. Versão 5.6. Lavras: UFLA/DEX.

FRANÇA S et al. 2011. Nitrogênio disponível ao milho: Crescimento, absorção e rendimento de grãos. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 11: 1143-1151.

LOPES JC et al. 2012. Broccoli production depending on the seed production system and organic and mineral fertilizer. Horticultura Brasileira 30: 143-150.

LOPES EC et al. 2013. Growth of mangrove seedlings under different levels of shading at the Peninsula of Ajuruteua, Bragança, Pará. Acta Amazonica 43: 291-296.

MACHADO BAS et al. 2014. Obtenção de nanocelulose da fibra de coco verde e incorporação em filmes biodegradáveis de amido plastificados com glicerol. Química Nova 37: 1275-1282.

MATOS AT. 2015. Manual de análise de resíduos sólidos e águas residuárias. 1.ed. Viçosa: Editora UFV. 149p.

MEDEIROS AS et al. 2010. Utilização de compostos orgânicos para uso como substratos na produção de mudas de alface. Revista Agrarian 3: 261-266.

MEDEIROS FM & ALVES MGM. 2014. Qualidade de ovos comerciais. Revista Eletrônica Nutri Time 11: 3515-3524.

MENEGHELLI CM et al. 2016. Resíduo da secagem dos grãos de café como substrato alternativo em mudas de café conilon. Coffee Science 11: 330-335.

MESQUITA EF et al. 2012. Produção de mudas de mamoeiro em função de substratos contendo esterco bovino e volumes de recipientes. Revista Brasileira de Ciências Agrárias 7: 58-65.

OLIVEIRA JR et al. 2013. Húmus de minhoca associado a composto orgânico para a produção de mudas de tomate. Revista Agrogeoambiental 5: 79-86.

ROSA LS et al. 2009. Emergência, crescimento e padrão de qualidade de mudas de Schizolobium amazonicum Huber ex Ducke sob diferentes níveis de sombreamento e profundidades de semeadura. Revista de Ciências Agrárias 52: 87-98.

SANTOS MR et al. 2010. Produção de mudas de pimentão em substratos à base de vermicomposto. Bioscience Journal 26: 572-578.

SILVA FAS. 2016. Assistat 7.7. Campina Grande. UFCG.

SOARES LR et al. 2009. Avaliação de Substratos Alternativos para Produção de Mudas de Repolho. Revista Brasileira de Agroecologia 4: 1780-1783.

TAIZ L & ZEIGER E. 2013. Fisiologia vegetal. 5.ed. Porto Alegre: Artmed. 954p.

Downloads

Publicado

2018-11-14

Como Citar

MENEGHELLI, L. A. M.; LO MONACO, P. A. V.; KRAUSE, M. R.; MENEGHELLI, C. M.; GUISOLFI, L. P.; MENEGASSI, J. Resíduos agrícolas incorporados a substrato comercial na produção de mudas de repolho. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 17, n. 4, p. 491-497, 2018. DOI: 10.5965/223811711732018491. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/9270. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados