Avaliação do potencial agrícola e conflitos de uso das terras na microbacia Lajeado Pessegueiro, Santa Catarina

Autores

  • Ludmila Nascimento Machado UFSC
  • Arcângelo Loss UFSC
  • Ivan Luiz Zilli Bacic EPAGRI
  • Denilson Dortzbach
  • Heloísa de Campos Lalane

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711632017308

Palavras-chave:

sistema de informações geográficas, aptidão agrícola, planejamento racional do solo.

Resumo

Este trabalho propôs o uso da Metodologia para Classificação da Aptidão de Uso das Terras do Estado de SC (MCAUTSC) e o Sistema de Avaliação da Aptidão Agrícola das Terras (SAAAT), para a avaliação da aptidão agrícola das terras e posterior identificação dos conflitos de uso na microbacia Lajeado Pessegueiro, Guarujá do Sul, SC. Para a elaboração do mapa de aptidão de uso das terras foi feita a sobreposição dos polígonos de fisiografia e do mapa de solos da microbacia. O mapa de Conflito de Uso das Terras resultou da sobreposição do Mapa de Aptidão Agrícola com os mapas de Uso e Cobertura das Terras. Por meio da metodologia de MCAUTSC, as classes de aptidão predominantes foram para lavouras (2d e 2e), com 35,92% da área e pastagens (3dpr e 3 prp), com 45,21% da área. Para os conflitos de uso, verificou-se o predomínio das classes subutilização (31,20%), seguido das classes conflitos de uso (28,45%) e uso com restrição (23,43%), sendo a menor proporção para a classe uso sem restrição (16,92%). Para o SAAAT, as classes de aptidão predominantes foram pastagens (4p = 32,6%) e lavouras (2 = 29,3%). Para os conflitos de uso, verificou-se predomínio da classe de uso sem restrição (52,76%) e conflitos de uso (23,61%), com menor proporção para a classe de uso com restrição (6,25%). Na maior parte da área da microbacia, os dois métodos indicaram aptidão para pastagens, divergindo apenas em algumas áreas em que MCAUTSC indica pastagem e SAAAT indica aptidão regular para lavouras. No geral, as indicações para as áreas de lavouras também foram as mesmas nos dois métodos. O que difere os métodos entre si é que MCAUTSC define bem os fatores limitantes da área em questão, enquanto que o SAAAT demonstra mais os níveis de manejo baseado no nível tecnológico disponível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ludmila Nascimento Machado, UFSC

Engenheira Agrônoma. Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Agroecossistemas da Universidade Federal de Santa Catarina, Rod. Admar Gonzaga, 1346, Centro de Ciencias Agrarias, Itacorubi, Florianopolis, 88034-000, SC.

Arcângelo Loss, UFSC

Professor do Programa de posgraduação em Agroecossistemas, UFSC, Centro de Ciencias Agrarias, Itacorubi, Florianopolia, 88034-000,

Ivan Luiz Zilli Bacic, EPAGRI

Pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de SC (EPAGRI), Rod. Admar Gonzaga, 1347, Itacorubi, Florianópolis, 88034-000, SC

Denilson Dortzbach

Pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de SC (EPAGRI), Rod. Admar Gonzaga, 1347, Itacorubi, Florianópolis, 88034-000, SC

Heloísa de Campos Lalane

Geógrafa. Mestre em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental. EPAGRI, Rod. Admar Gonzaga, 1347, Itacorubi, Florianópolis, 88034-000, SC.

Downloads

Publicado

2017-09-25

Como Citar

MACHADO, Ludmila Nascimento; LOSS, Arcângelo; BACIC, Ivan Luiz Zilli; DORTZBACH, Denilson; LALANE, Heloísa de Campos. Avaliação do potencial agrícola e conflitos de uso das terras na microbacia Lajeado Pessegueiro, Santa Catarina. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 16, n. 3, p. 308–323, 2017. DOI: 10.5965/223811711632017308. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/223811711632017308. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigo Completo - Ciência do Solo e do Ambiente

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.