Avaliação da influência do ruído ambiental emitido por enriquecimento físico e suínos em práticas de rotina exercidas na fase de maternidade

Autores

  • Gisele Dela Ricci Universidade de São Paulo.FZEA - Pirassununga.
  • Rafael Teixeira de Sousa Instituto Federal - Campus Boa Viagem
  • Késia Oliveira da Silva Miranda Universidade de São PauloEsalq - Piracicaba
  • Elder Tonon Universidade de São PauloFZEA - Pirassununga.
  • Ana Laura Alves de Matos Passere Universidade de São PauloFZEA - Pirassununga.
  • Cristiane Gonçalves Titto Universidade de São PauloFZEA - Pirassununga.

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711942020434

Palavras-chave:

aspersores de água, decibelímetro, suínos, temperatura retal, temperatura superficial, ventiladores

Resumo

A inserção de ventiladores e aspersores de água no telhado assim como o manejo de contenção de suínos podem aumentar a intensidade de ruídos dentro das instalações podendo, em longos exposições, prejudicar a saúde auditiva dos funcionários, permitindo a avaliação do estresse de leitões após práticas invasivas. O objetivo deste estudo foi estimar a intensidade do ruído emitido por enriquecimentos ambientais físicos (ventiladores e aspersores de água no telhado) e de leitões contidos para colheita da temperatura corporal e a influência dos ruídos emitidos na saúde auditiva de funcionários expostos por longos períodos e no bem-estar animal.  Vinte leitões machos e fêmeas foram utilizados, com idades entre cinco e 20 dias. A área de maternidade foi dividida em resfriada (ventiladores e aspersores de água no telhado) e área não resfriada. Para a análise da intensidade do ruído foram utilizados dois decibelímetros, sendo um para o ruído geral das instalações e um para os leitões, com cinco minutos de intervalo entre as análises. Para mensurar a temperatura retal foram utilizados termômetros digitais e para as temperaturas superficiais corporais termômetros infravermelhos. Utilizou-se ANOVA com efeito fixo de ambiente e período e comparação múltipla em 5%. A temperatura média do dorso dos leitões foi de 36 °C ± 1,2 na instalação refrigerada e 38,4 °C ± 0,5 no ambiente não refrigerado. Em ambos os períodos, a intensidade média máxima de ruído foi maior que 100 decibéis. No período da tarde, a intensidade máxima foi maior para o ambiente não refrigerado. Concluiu-se que os ventiladores e aspersores de água no telhado instalados no local não influenciaram a intensidade do ruído ambiental, assim como o grito emitido pelos leitões durante a contenção. No entanto, a alta intensidade do ruído emitido demonstra o estresse dos leitões e a necessidade de equipamentos de proteção pelos funcionários para manutenção da saúde auditiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRAZIL. 1992. Regulatory Standard for Personal Protective Equipment - NR 6: Ordinance No. 6, of 19/08/1992. Available in: http: // www.tem.gov.br/temas/SegSau/Normas Regulamentadoras. Accessed in: May 2020.

BRAZIL. 2000. Consolidation of work law. Decree-Law No. 5,452, of May 1, 1943. Approves the consolidation of labor laws. Atlas, São Paulo. Available in: http: // www.tem.gov.br/temas/SegSau/Normas Regulamentadoras. Access in: May 2020.

BRAZIL. 2011. Ministry of Labor and Employment. NR nº15: Unhealthy Activity and Operations. Available in: http: // www.tem.gov.br/temas/SegSau/Normas Reguladoras. Accessed in: Jun. 2020.

COLEMAN GJ & HEMSWORTH PH. 2014. Training to improve stockperson beliefs and behaviour towards livestock enhances welfare and productivity. Revue Scientifique et Technique (International Office of Epizootics) 33: 131-137.

CORDEIRO AFS et al. 2012. Efficiency of distinct data mining algorithms for classifying stress level in piglets from their vocalization. Engenharia Agrícola 32: 208-216.

DÜPJAN S et al. 2008. Differential vocal responses to physical and mental stressors in domestic pigs. Applied Animal Behavioral Science 114: 105-115.

GIRALT JM. 2002. Valoración del estrés de captura, transporte y manejo en el corzo (Capreolus capreolus): efecto de la acepromacina y de la cautividad. Tesis (Doctor em Veterinaria). Barcelona: Universitat Autònoma de Barcelona. 63p.

GONÇALVES CGO et al. 2009. Occupational exposition to noise in dentists of State Paraná: perception and effects onhearing. Revista de Odontologia UNESP 38: 235-243.

HESSING MJ et al. 1994. Individual behavioral and physiological strategies in pigs. Physiology & Behavior 55: 39-46.

KLATTE M et al. 2013. Does noise affect learning? A short review on noise effects on cognitive performance in children. Frontiers in Psychology 4: 578.

KÖPPEN. 2011. Clima dos Municípios Paulistas. Informações sobre o Clima-Pirassununga, São Paulo. Available in: http://www.cpa.unicamp.br/outras-informacoes/clima-dosmunicipiospaulistas.html. Accessed in: 20 apr. 2011.

LEAL PM & NÃÃS IA. 1992. Ambiência animal. In: CORTEZ LAB & MAGALHÃES PSG (Org.). Introdução à engenharia agrícola. Campinas: Unicamp. p.121-135.

MARCHANT JN et al. 2001. Vocalizations of the adult female domestic pig during a standard human approach test and their relationships with behavioral and heart rate measures. Applied Animal Behavioral Science 72: 23-39.

MARQUES AFS et al. 2016. Assessment of noise levels emitted by electro rural equipment used in the production of feed and fodder processing. Caderno de Ciências Agrárias 8: 1-6.

MOI M et al. 2014. Vocalization data mining for estimating swine stress conditions. Engenharia Agrícola 34: 445-450.

PMAC. 1994. Exposição ao ruído: Norma para a proteção de trabalhadores que trabalham em atividades com barulho. Revista Proteção 29: 136-138.

VIEIRA SDG. 1997. Análise ergonômica do trabalho em uma empresa de fabricação de móveis tubulares. Dissertação (Mestrado em Tecnologia). Florianópolis: UFSC. 25p.

WHO. 1999. WORLD HEALTH ORGANIZATION. Guidelines for community noise. Available in: http//:www.who.int/destore/peh/noise/guidelines2.html. Accessed in: 10 May 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-14

Como Citar

RICCI, Gisele Dela; SOUSA, Rafael Teixeira de; MIRANDA, Késia Oliveira da Silva; TONON, Elder; PASSERE, Ana Laura Alves de Matos; TITTO, Cristiane Gonçalves. Avaliação da influência do ruído ambiental emitido por enriquecimento físico e suínos em práticas de rotina exercidas na fase de maternidade. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 19, n. 4, p. 434–439, 2020. DOI: 10.5965/223811711942020434. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/15835. Acesso em: 24 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Animais e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)