Aspectos cartográficos das peças Odisseia 116 e BR3

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103422021e0205

Palavras-chave:

Viagem, Dramaturgia, Cartografia

Resumo

Este artigo é uma análise do processo de escrita da dramaturgia Odisseia 116 a partir de uma viagem que durou seis dias de ida e volta de ônibus entre o Rio de Janeiro e o Ceará. A dramaturgia se estrutura sobre uma tríade: as características autobiográficas; a possibilidade de entrevistar pessoas e fotografar as paisagens em viagem e a Odisseia homérica, obra inspiradora dessa escrita. Uma cartografia surge como metodologia a partir da viagem e se consolida na dramaturgia. Dialogo com entrevistas cedidas por Antônio Araújo e Bernardo Carvalho sobre o espetáculo BR3. Nas considerações finais, aponto para três cartografias possíveis: a cartografia da viagem, a cartografia da dramaturgia e a cartografia da sala de ensaio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleilson Queiroz Lopes, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Doutorando em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (PPGT/CEART/UDESC). Mestrado em artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Riod e Janeiro (UNIRIO). Licenciado em Artes Cênicas pela UNIRIO. Professor do ensino médio de Artes na Escola Dr. José Gondin (Ceará).

 

Referências

ARAÚJO, Antônio. Cartografia de BR3 - Entrevista com Antônio Araújo. Sala Preta, São Paulo, v.5, p.169-173, 2005.

ARAÚJO, Antônio. Entrevista cedida a Cleilson Queiroz Lopes. O Percevejo, Rio de Janeiro, v. 9, n.1, p.242-251, 2017.

CARVALHO, Bernardo. Entrevista cedida a Cleilson Queiroz Lopes. O Percevejo, Rio de Janeiro, V. 9, n.1, p.252-263, 2017.

CHAVES DE SOUSA, Otavio Miguel; FERRACINI, Renato. Por uma Investigação em Artes Cênicas: um caminho cartográfico possível. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 34, p.378-395, 2019.

DELEUZE, Gilles; Guattari, Félix. Mil Platôs (Capitalismo e Esquizofrenia) Vol. 1. Editora 34, 1ª Ed. 1995.

LOPES, Cleilson Queiroz. Odisseia 116. Dramaturgia. 2017. Manuscrito inédito.

LOPES, Cleilson Queiroz. O trauma e a cicatriz na escrita da Odisseia 116. Revista Cena, Porto Alegre, n. 33, p. 86-98, 2021.

ROLNIK, Suely. Cartografia ou de como pensar com o corpo vibrátil. São Paulo: Editora Estação Liberdade, 1989.

SUN, William Huizhu; FEI, Faye Chunfang. In: RILEY, Shannon Rose; HUNTER, Lynette. Social Performance Studies (in China): Between the Real and the Virtual. Mapping Landscapes for Performance as Research. Palgrave MacMillan, London, 2009.

YASUDA, Kim. Action Research. In: RILEY, Shannon Rose; HUNTER, Lynette (orgs). Mapping Landscapes for Performance as Research. Palgrave MacMillan, London, 2009.

Filme:

Viajo porque preciso volto porque te amo. Direção: Karim Ainouz e Marcelo Gomes. Produção: João Vieira Jr. e Daniela Capelato. Duração: 75 min, 2009.

Publicado

2021-12-13

Como Citar

LOPES, C. Q. Aspectos cartográficos das peças Odisseia 116 e BR3. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 42, p. 1-21, 2021. DOI: 10.5965/1414573103422021e0205. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/20165. Acesso em: 3 jul. 2022.