Elke Otte Hülse: narrativas ancestrais e técnicas expandidas na tapeçaria

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234612262020138

Palavras-chave:

Elke Otte Hülse, tapeçaria, história da arte, história da tapeçaria, narrativa

Resumo

As tapeçarias compreendem e podem ser consideradas como uma forma narrativa de arte ancestral, que tem na história grande importância, e no contemporâneo, encontramos artistas que extrapolam e expandem a técnica, problematizando conceitos e questões pertinentes a esta. Elke Otte Hülse, artista catarinense com trânsito internacional, rompe fronteiras geográficas e fronteiras do desconhecimento desta técnica secular e é apresentada junto a um breve histórico da tapeçaria, com o intuito de apresentar sua atualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciane Ruschel Nascimento Garcez, Universidade do Estado de Santa Catarina

Professora e crítica de arte. Professora na graduação e pós-graduação nas áreas de Cerâmica; Teoria e História da Arte; História da Arte de Santa Catarina; Metodologia do Ensino da História da Arte. Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade do Estado de Santa Catarina, UDESC (2006). Mestre em Teoria e História da Arte, pela mesma instituição (PPGAV-CEART, UDESC - 2009), bolsista Capes. Doutora pela Université Aix-Marseille, França, na área de Estudos e Ciências da Arte. Pós-doutoranda na linha de Teoria e História da Arte, pelo PPGAV-CEART, UDESC; bolsista CAPES/ PNPD, sob orientação de Sandra Makowiecky. É membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte Seção Brasil Aica Unesco (ABCA); membro da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA/UNESCO); membro da Associação Nacional de Pesquisadores de Artes Plásticas (ANPAP). Atuando principalmente nos seguintes temas: artes visuais, história da arte, arte contemporânea, Hubert Duprat, ouro, anacronismo na arte; cerâmica. Produção plástica artística em cerâmica.

Sandra Makowiecky, Universidade do Estado de Santa Catarina

Possui graduação em Lic. Ed. Artística Habilitação Artes Plásticas pela Universidade do Estado de Santa Catarina, especialização em Arte - Educação pela UDESC; Mestrado em Gestão do Desenvolvimento e Cooperação Internacional pela Universidade Moderna de Lisboa e Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina, Conceito Capes 6. Atualmente é professora Titular da Universidade do Estado de Santa Catarina - graduação, mestrado e doutorado em Artes Visuais do Centro de Artes, conceito capes 4. Membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte Seção Brasil Aica Unesco - ABCA. Membro da Associacao Internacional de Criticos de Arte- AICA. Membro do Cômite Brasileiro de História da Arte - CBHA. Membro da Associação Nacional de Pesquisadores de Artes Plásticas - ANPAP. Membro do Instituto Histórico e Geográfico de SC - IHGSC. Membro do Fórum de Pró Reitores de Graduação de 2004 a 2012- FORGRAD. Pró Reitora de ensino de graduação da Udesc nos anos de 1994 a 1998, de 2004 a 2008 e de 2008 a 2012 , em três gestões diferentes. Vice - Presidente ANPAP - Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas no biênio 2007-2008. Vice coordenadora do Forum de pró - reitores de graduação da região sul - 2010-2011. Coordenadora do MESC-UDESC Museu da Escola Catarinense. Tem experiência na área de Artes atuando principalmente nos seguintes temas: arte, cultura, artes plásticas, representação, imagem, memória, patrimônio histórico, cidades e ensino.Coordena o grupo de pesquisa - História da arte: Imagem- Acontecimento, cadastrado no CNPq e possui diversas publicações na área de teoria e História da arte. Foi Indicada ao Prêmio Sergio Milliet por pesquisa publicada no ano de 2012, pela Associação Brasileira de Críticos de arte - ABCA - e recebeu o Prêmio Gonzaga Duque, atribuído pela ABCA - pela Associação Brasileira de Críticos de arte, em 2015, por sua atuação na crítica de arte. Premio Gonzaga Duque para critica de arte pela atuação no ano de 2014, pela Associação Brasileira de Críticos de arte.Indicação ao Prêmio Rodrigo Mello Franco de Andrade, em 2017, em ação pré- selecionada pelo Estado de Santa Catarina, com o processo de recuperação dos painéis de formatura da Academia de Comércio de SC. Prêmio Rodrigo Mello Franco de Andrade - pela Curadoria Polo SC na Bienal Internacional de Curitiba, no ano de 2017, atribuído pela ABCA - Associação Brasileira de Críticos de arte, quando a Instituição contemplada foi a Bienal Internacional de Curitiba.

Referências

BENJAMIN, Walter. O narrador - Considerações sobre a obra Nicolai Leskov. IN: BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas: Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo: Brasiliense, 1996, p.197-221.

BOUTY, Alessandra Marinho. Letras por um Fio: A tradução intersemiótica do conto A Moça Tecelã, de Marina Colasanti, nos bordados de Matizes Dumont / Alessandra Marinho Bouty. – 2018. 173 f.: il. color. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Instituto de cultura e Arte, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Fortaleza, 2018. Orientação: Profa. Dra. Gabriela Frota Reinaldo.

BOXALL, Ian. The Apocalypse Unveiled: Reflections on The Reception History of Revelation. In: The Expository Times. 125 (6): 261-271, 2014.

DELEUZE, Gilles. Imagem- tempo. Cinema 2. São Paulo: Editora Brasiliense, 1990.

GRADIM, Maria Isabel de Souza. Tapeçaria no Brasil nas décadas de 1960 e 1980. USP -Instituto de Estudos Brasileiros. PPG em Culturas e Identidades brasileiras. São Paulo, 2018. Dissertação de mestrado.

HÜLSE, Elke O. As tramas dos tapeceiros narradores: técnica e criação. Florianópolis: UDESC, 2009. Dissertação de Mestrado.

__________. A memória do cartão e a potência da tapeçaria. In: PALÍNDROMO Nº 9 /2013 – Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais – CEART/UDESC.

ANTONELLO, Sergio. Exposição Kinder Glauben valoriza a crença infantil no Museu de Arte de Blumenau - Artista Elke Hülse faz arte inspirada na linguagem da tapeçaria. In: Fundação Cultural de Blumenau, postada em 02/03/2017, com acesso em 09/04/2019. Disponível em: https://www.blumenau.sc.gov.br/secretarias/fundacao-cultural/fcblu/elke-hulse-faz-arte-inspirada-na-crenca-infantil45 Acesso em jan. 2019

BŁASZCZYK, Dobromiła. THE RENAISSANCE OF TEXTILES. In: Contemporary Lynx. Nov 3, 2018. Disponível em: https://contemporarylynx.co.uk/the-renaissance-of-textiles, com acesso em mar. 2019

CHANT DU MONDE. Disponível em: http://musees.angers.fr/langues-etrangeres/english/musee-jean-lurcat-et-de-la-tapisserie-contemporaine/the-collections/le-chant-du-monde/index.html. Acesso em mar. 2019

CHATEAU ANGERS. Disponível em: http://www.chateau-angers.fr/Explorer/La-Tapisserie-de-l-Apocalypse. Acesso em jan. 2019

LA TAPISSERIE DE L’APOCALYPSE. Musèe de la Château d’Angers. France 2016. Disponível em: http://www.chateau-angers.fr/Explorer/La-Tapisserie-de-l-Apocalypse. Acesso em mar. 2019

LORETTE, Jacky - Mary Tudor – Suffolk - … Dame à la Licorne. Sem data. Disponível em: http://dame-licorne.pagesperso-orange.fr/VERSION%20LONGUE/01-%20avant%20propos.htm. Acesso em abr. 2019

OWIDZKA, Jolanta. Tapeçaria na Polônia. 2007. Disponível em: https://www.catalogodasartes.com.br/historia_arte/zze/. Acesso em fev. 2019

TANTON, Kristine. The Bayeux Tapestry. Artigo publicado por Khan Academy. Disponível em: https://www.khanacademy.org/humanities/ap-art-history/early-europe-and-colonial-americas/medieval-europe-islamic-world/a/bayeux-tapestry >. Acesso em mar. 2019

https://www.musee-moyenage.fr/collection/oeuvre/la-dame-a-la-licorne.html. Acesso em fev. 2019

http://musees.angers.fr/langues-etrangeres/english/musee-jean-lurcat-et-de-la-tapisserie-contemporaine/the-collections/le-chant-du-monde/index.html. Acesso em jan. 2019

Downloads

Publicado

2020-01-01

Como Citar

GARCEZ, Luciane Ruschel Nascimento; MAKOWIECKY, Sandra. Elke Otte Hülse: narrativas ancestrais e técnicas expandidas na tapeçaria. Palíndromo, Florianópolis, v. 12, n. 26, p. 138–158, 2020. DOI: 10.5965/2175234612262020138. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/15141. Acesso em: 14 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção aberta