O cinema brasileiro, Hollywood e a política da boa vizinhança da década de 1930: um panorama para Carmen Miranda

Autores

  • Káritha Bernardo de Macedo Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312906082011099

Palavras-chave:

cinema brasileiro, nacionalismo, Hollywood, Carmen Miranda

Resumo

Este artigo se presta a analisar o contexto cinematográfico da década de 1930 que alavancou Carmen Miranda como um símbolo nacional, envolvendo a profissionalização do cinema brasileiro, a penetração do cinema hollywoodiano, a influência da Política da Boa Vizinhança, e a relação destes fatores com a definição de uma identidade nacional. O estudo foi realizado a partir de análise de filmes hollywoodianos estrelados por Carmen Miranda e por revisão bibliográfica adequada. Na década de 1930 tem início as tentativas de industrialização do cinema brasileiro com os novos estúdios que se estabelecem no Rio de Janeiro. Nessa empreitada, o cinema brasileiro acaba descobrindo sua própria abordagem e transforma o carnaval em sua principal tópica, abrindo o caminho nas telas para a célebre cantora Carmen Miranda. Em pouco tempo Carmen foi cooptada pela Política da Boa Vizinhança estadunidense, como uma tática para penetrar a América Latina, abarcar aliados frente a Segunda Guerra Mundial e novos mercados para este país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-25

Como Citar

MACEDO, K. B. de. O cinema brasileiro, Hollywood e a política da boa vizinhança da década de 1930: um panorama para Carmen Miranda. DAPesquisa, Florianópolis, v. 6, n. 8, p. 099-114, 2018. DOI: 10.5965/1808312906082011099. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/13996. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

Artes Cênicas