Contra-narrativas visuais e interseccionalidades entre raça e gênero na produção da artista Hariel Revignet

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267712021160

Palavras-chave:

Arte afro-brasileira, Hariel Revignet, Autobiogeografia, Decolonialidade

Resumo

No presente texto apresento um breve panorama das obras da artista Hariel Revignet (Gabão/ Goiás, 1996) em diálogo com conceitos utilizados pela artista. Interesso-me por abordar a sua produção em relação ao contexto contemporâneo em que se encontram a produção de artistas negros e negras, na presente Arte afro-brasileira. Tendo como reflexão uma prática socialmente engajada em que a artista constrói uma prática coletiva entre vivências com mulheres negras e indígenas, como um fator essencial à sua existência e narrativas de si atreladas ao processo de pesquisa e criação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Silvio Luiz de. O que é racismo estrutural? Belo Horizonte (MG): Letramento, 2018.

ANAQUIRI, Mirna Kambeba Omágua-Yetê. Que memórias me atravessam? Meu percurso de estudante indígena. 2017. 151 f. Dissertação (Mestrado em Arte e Cultura Visual) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Rev. Bras. Ciênc. Polít. [online]. 2013, n.11, pp.89-117

BORGES, Rosane. Produção simbólica e diversidade da cultura afro-brasileira. São Paulo: Fundação Palmares, 2010

CHIARELLI, Tadeu. Territórios: artistas afrodescendentes no acervo da Pinacoteca. São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2016 (Catálogo da Exposição)

COLLINS, Patricia Hill. Pensamento Feminista Negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento. Tradução Jamille Pinheiro Dias. 1ª edição. São Paulo: Boitempo Editorial, 2019. 495 p.

CONDURU, Roberto. Arte Afro-brasileira. Belo Horizonte: Editora C/Arte, 2007

CUNHA, Carneiro Mariano da. História Geral da Arte no Brasil. Volume II. São Paulo: Instituto Walther Moreira Salles. Fundação Djalma Guimarães, 1983

DUBOIS, W.E.B. As Almas da Gente Negra. Rio de Janeiro: Lacerda Editores, 1999.Dumará: Núcleo de Antropologia da Política, 1999. – (Coleção Antropologia da política)

ESBELL, Jaider. Tardes de agosto, manhãs de setembro, noites de outubro. Boa Vista: Edição do Autor, 2013.

EVARISTO. Conceição. A Escrevivência e seus subtextos. In DUARTE, Constância Lima; NUNES, Isabella Rosado (org.) Escrevivência: a escrita de nós: reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte, 2020, p. 26-46

FELINTO, Renata. A representação do negro nas artes plásticas brasileiras: diálogos e identidades. O Manelick 2º Ato. São Paulo, 2013. Disponível em http://www.omenelick2ato.com/artes-plasticas/dialogos-e-identidades. Acesso em: 17 set. 2020.

FIGUEIREDO, Angela. Epistemologia insubmissa feminista negra decolonial. Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 12, n. 29, e0102, jan./abr. 2020.

GILROY, Paul. O Atlântico negro: modernidade e dupla consciência. São Paulo: Editora 34, 2012.

GOMES, Nilma Lino. Educação, identidade negra e formação de professores/as: um olhar sobre o corpo negro e o cabelo crespo. Educação e pesquisa, v. 29, n. 1, p. 167-182, 2003.

GONZALEZ, Lélia. A categoria político-cultural de amefricanidade. Revista Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, v. 92, n. 93, p. 69-82, 1988.

GONZALEZ, Lélia. A Mulher Negra na Sociedade Brasileira (Uma abordagem político-econômica). In: MADEL, Luz. (org.). O lugar da Mulher (Estudos sobre a condição feminina na sociedade atual). Rio de Janeiro: Graal, 1982

GUAJAJARA, Sônia. Sônia Guajajara. Organização de Sérgio Cohn e Idjahure Kadiwel. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2018 (Coleção Tembetá).

HOOKS, bell. Ensinando a transgredir: a educação como pratica da liberdade. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2013.

HOOKS, bell. Vivendo de Amor. Disponível em: https://www.geledes.org.br/vivendo-de-amor/. Acesso em 16 de fev 2021.

HOOKS, bell. Olhares Negros, Raça e Representação. Editora Elefante. 2019.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação – Episódios de racismo cotidiano. Trad. Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

KOPENAWA, Davi; ALBERT, Bruce. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

KRENAK, Ailton. Encontros. Organização de Sérgio Cohn. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2015.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

MUNDURUKU, Daniel. Memórias de índio: uma quase autobiografia. Porto Alegre: EDELBRA, 2016.

MUNDURUKU, Daniel. O caráter educativo do movimento indígena brasileiro (1970-1980). São Paulo: Paulinas, 2012.

NASCIMENTO, Maria Beatriz (1985) O conceito de quilombo e a resistência cultural negra. Afrodiáspora Nos. 6-7, pp. 41-49

POTIGUARA, Eliane. Metade cara, metade máscara. Lorena: DM Projetos Especiais, 2018.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, Eurocentrismo e América Latina. CLACSO, Consejo Latino americano de Ciencias Sociales, Buenos Aires. 2005. Disponível em: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/clacso/sur-sur/20100624103322/12_Quijano.pdf. acesso em: 20 fev. 2021.

REVIGNET. Hariel C. O. Expor Agombenero Ancestrais. Goiânia. 18 dez. 2018. Instagram:@harielrevignet. Disponível em: https://www.instagram.com/p/BrddwLAnDug/. Acesso em: 20 jan. 2021.

REVIGNET. Hariel C. O. Axétetura: espaços do sagrado à margem; Perspectiva decolonial para estudo de caso autobiogeográfico do terreiro de umbanda Casa de Caridade Luz do Alvorecer. Trabalho de Conclusão de Curso. Graduação em Arquitetura e Urbanismo. Universidade Federal de Goiás - UFG. Goiânia/GO. 2019

REVIGNET, Hariel C. O. AMARRAÇÃO. Goiânia. 20 nov. 2020a. Instagram:@kuraarte. Disponível em: https://www.instagram.com/tv/CH0qn7CHU73/?utm_source=ig_web_copy_link%3E. Acesso em: 20 jan. 2021

REVIGNET, Hariel C. O. A tradição da pintura. KURA ENTREVISTA / NACIONAL TROVOA. Site Kuraarte. 2020b. Disponível em: http://www.kuraarte.com.br/blog/entrevista-trovoa/. Acesso em: 20 jan. 2021.

REVIGNET, Hariel C. O. Reivindicando uma herança escolhida. Ocupação Solar dos Abacaxis: projeto NTÚ. 13 fev. 2021. Instagram:@solardosabacaxis. Disponível em: https://www.instagram.com/p/CLPunBRJ3AD/. Acesso em: 13 fev. 2021

RODRIGUES, Manoela. Autobiogeografia como metodologia decolonial. 2017. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/320212758. Acesso em: 20 fev. 2021.

SANTOS. Renata A.F. Mesa saberes e práticas artísticas decoloniais. In PAIVA, Alessandra Mello Simões (org.) Anais da LXI Jornada da Associação Brasileira de Críticos de Arte, Itabuna, BA, 25 a 27 de nov. de 2020 [recurso eletrônico]: resistências poéticas: arte, crítica e direitos humanos. – Itabuna: UFSB, 2020. 211p.

SIMÕES, Igor Moraes. Fragmentos para uma história insubmissa da arte no Brasil: história da arte, epistemologias outras e visibilidades negras, In Anais do 27o Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas, 27o, 2018, São Paulo. Anais do 27o Encontro da Anpap. São Paulo: Universidade Estadual Paulista (UNESP), Instituto de Artes, 2018. p.2463-2474.

SIMÕES, Igor Moraes. Montagem Fílmica e Exposição: Vozes Negras no Cubo Branco da Arte Brasileira / Igor Moraes Simões.2019. 298 f. Tese (Doutorado) -- Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Artes, Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais, Porto Alegre, BR-RS, 2019.

Downloads

Publicado

2021-04-01

Como Citar

OLIVEIRA, Nutyelly Cena de; REVIGNET, Hariel Chrystinne Oliveira. Contra-narrativas visuais e interseccionalidades entre raça e gênero na produção da artista Hariel Revignet. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 7, n. 1, 2021. DOI: 10.5965/24471267712021160. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/19833. Acesso em: 14 abr. 2024.