A Arte Muralista: um breve tour

Cristiane Rubbi, Sandra Makowiecky

Resumo


A arte mural apresenta, em sua concepção, uma pujante composição de liberdade artística, que foge da rigidez acadêmica, encontrando, assim, uma grande potencialidade expressiva. Amparado pelo crítico Mario Pedrosa (1981) e pela historiadora de arte Annateresa Fabris (1996), este trabalho consolida-se na tentativa de uma análise histórico-iconográfica que inicia nos primórdios da História da Arte e segue até a contemporaneidade, enveredando pelos conceitos de Foucault (2009). Com base em Panofsky (1989) e seus estudos iconológicos e iconográficos, olhamos para as obras de Hassis, Martinho de Haro, Portinari, Di Cavalcanti, Picasso, entre outros. Valendo-nos dos princípios corbusianos da arquitetura moderna, finalizamos este trabalho na seara das Políticas de Artes Públicas, com destaque à cidade de Florianópolis, no Estado de Santa Catarina.

 

Palavras-chave


Arte mural; Arte pública; Muralismo; Arquitetura moderna

Texto completo:

PDF/A HTML EPUB

Referências


AMARAL, Aracy A. Arte para quê? A Preocupação Social da Arte Brasileira, 1930-1970: subsídios para uma história social da arte no Brasil. 3. ed. São Paulo: Nobel, 2003.

BONDONE, Giotto de. O Encontro de São Joaquim e Sant’Anna. 1304-06. Afresco 2,00 m x 1,85 m. Cappella Degli Scrovegni / Pádua - Itália.

BOPPRÉ, Fernando Chíquio. Hassis entre imagens ou A gaivota sempre está em movimento: do desenho ao Super 8 em Hassis. 2004. 150 f. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

BROCOS, Modesto. A Retórica dos pintores. Rio de Janeiro: Typ. d’industria do Livro, 1933.

CLOTTES, Jean. Le grand panneau de la salle du fond. [20--?]. 1 fotografia. Disponível em: http://archeologie.culture.fr/chauvet/fr/mediatheque. Acesso em: 18 nov. 2019.

CORBUSIER, Le. A Arquitetura e as Belas Artes. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Brasília, n. 19, p. 53, jan./jun. 1984. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/RevPat19_m.pdf. Acesso em: 14 nov. 2019.

DELACROIX, Eugène. A liberdade guiando o povo. 1830. Óleo sobre tela (2,60 m x 3,25 m). Acervo Museu do Louvre/Paris.

DI CAVALCANTI, Emiliano. [Sem Título]. 1952. Mosaico de pastilhas vítricas sobre parede. Edifício Hotel Jaraguá.

DI CAVALCANTI, Emiliano; GRACIANO, Clóvis. Os trabalhadores. 1954. Mural de 56m2 (16,00 m x 3,50 m). Acervo do Aeroporto de Congonhas/SP – Pavilhão das Autoridades.

FABRIS, Annateresa. Cândido Portinari. São Paulo: Edusp, 1996.

FABRIS, Annateresa. Portinari, Pintor Social. São Paulo: Perspectiva, 1990. (Coleção estudos, v. 112).

FERRAZ, Ana Lucia Machado de Oliveira. Insigne presença: arte e arquitetura na integração dos painéis na obra de Rino Levi. 1998. 189 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

FLORIANÓPOLIS. Decreto-Lei Municipal n° 3.255, de 03 de outubro de 1989. Autoriza execução de pinturas e/ou obras de arte nas edificações, cria incentivos e dá outras providências. Florianópolis: Câmara de Vereadores, 1989. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a/sc/f/florianopolis/lei-ordinaria/1989/325/3255/lei-ordinaria-n-3255-1989-autoriza-execucao-de-pinturas-e-ou-obras-de-arte-nas-edificacoes-cria-incentivo-e-da-outras-providencias. Acesso em: 14 nov. 2019.

GOMES, Arthur. Considerações sobre a produção de pinturas murais no Rio de Janeiro das primeiras décadas do século XX. In: SIMPÓSIO CIENTÍFICO DO ICOMOS-BRASIL, 2., 2018, Belo Horizonte. Anais eletrônicos [...]. Belo Horizonte: ICOMOS, 2018. p. 4758-4777. Disponível em: https://www.academia.edu/37990158/2018_-_Considera%C3%A7%C3%B5es_sobre_a_produ%C3%A7%C3%A3o_de_pinturas_murais_no_Rio_de_Janeiro_das_primeiras_d%C3%A9cadas_do_s%C3%A9culo_XX. Acesso em: 14 nov. 2019.

HARO, Martinho de. [Sem Título]. 1963. Mural em pastilhas. Sede da FATMA.

HASSIS. Mural Humanidade. 1978-79. Pintura em Parede, 160 m². Igrejinha da Universidade Federal de Santa Catarina.

HASSIS. O contestado: terra contestada. 1985. Pintura em acrílico sobre eucatex (1,26 m x 2,83 m). Acervo Museu do Contestado em Caçador/SC.

LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.

LEONARDO Da Vinci. In: GUIA 101 gênios que mudaram a história da humanidade. Barueri: On Line Editora, 2016.

LUZ, Tânia da; PIRES, Lú. Arte pública em Florianópolis: 1990-2015. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2016.

MARIANI, Ceci Maria Costa Baptista. Narrar artisticamente o Mistério Santo que habita entre nós: leitura místico-teológica da obra “Guerra e Paz” de Cândido Portinari. HORIZONTE: Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 11, n. 31, p. 867-890, jul./set. 2013. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/horizonte/article/view/P.2175-5841.2013v11n31p867. Acesso em: 27 nov. 2019.

PANOFSKY, Erwin. O significado nas Artes Visuais. Rio de Janeiro: Editora Presença, 1989.

PEDROSA, Mário. Dos murais de Portinari aos espaços de Brasília. São Paulo: Perspectiva, 1981. (Coleção Debates, v. 170).

PICASSO, Pablo. Guernica. 1937. Óleo sobre tela (3,49 m x 7,77 m). Coleção Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofía / Madri - Espanha.

PORTINARI, Cândido. Painéis Guerra e Paz. 1952-56. Óleo sobre madeira (14,00 m x 10,58 m). Sede da ONU / Nova York – EUA.

PORTINARI, João Cândido. Guerra e Paz: Portinari. Rio de Janeiro: Dom Quixote Editora, 2010.

PORTINARI, Cândido (1947: Buenos Aires, Argentina). In: Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileira. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento81203/portinari-1947-buenos-aires-argentina. Acesso em: 14 nov. 2019.

PRICE, Aimée Brown. L’esthetique decorative de Puvis de Chavannes. In: FOUCART, Jacques (org.). Paris: Editions Des Musees Nationaux, 1976.

ROSSETTO, Tania Regina; MORI, Nerli Nonato Ribeiro. Guernica: ancoragens e objetivações. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 17, n. 45, p. 203-217, abr./jun. 2016. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/24604. Acesso em: 14 nov. 2019.

RUBBI, Cristiane. Mural Humanidade, de Hassis (1978-79). 1 Composição iconográfica contendo 4 fotografias. Acervo Pessoal, álbum Hassis, de julho de 2018.

SANTA CATARINA. Decreto-Lei Estadual n° 14.128, de 05 de outubro de 2007. Declara como Patrimônio Cultural de Santa Catarina os murais artísticos de Martinho de Haro. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 2007. Disponível em: http://www.leisestaduais.com.br/sc/lei-ordinaria-n-14128-2007-santa-catarina-declara-patrimonio-cultural-do-estado-de-santa-catarina-os-murais-artisticos-de-autoria-de-martinho-de-haro-localizados-no-colegio-industrial-do-municipio-de-lages-e-no-antigo-palacio-das-industrias-no-municipio-de-florianopolis. Acesso em: 14 nov. 2019.

SOUZA, Adelson Matias. O Muralismo de Rivera e Portinari: a arte como possibilidade de reflexão crítica e mediação com a realidade social. 2012. 60 f. Trabalho de conclusão de curso (licenciatura em Artes Visuais) do Instituto de Artes da Universidade de Brasília, 2012. Disponível em: http://bdm.unb.br/bitstream/10483/5650/1/2012_AdelsonMatiasSouza.pdf. Acesso em: 14 nov. 2019.

VALLE, Arthur. Prolegômenos ao estudo da pintura decorativa no Brasil das primeiras décadas do século 20. Arquitextos, São Paulo, 212.02, ano 18, jan. 2018. Disponível em: https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/18.212/6863. Acesso em: 27 nov. 2019.

WERNER, Clóvis. Memória e patrimônio cultural: lembranças de um artista. Um exercício de justificativa para a preservação da antiga Igrejinha da Trindade. 1993. 125 f. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1993.

WILHELM, Vera Regina B. A arte mural do Grupo Santa Helena, um estudo para preservação. 2006. 150 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

ZANINI, Walter. A Arte no Brasil nas décadas de 1930-40: o Grupo Santa Helena. São Paulo: Nobel, EDUSP, 1991.




DOI: https://doi.org/10.5965/18083129152020e0002



Direitos autorais 2020 Cristiane Rubbi, Sandra Makowiecky

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores, diretórios e bases de dados

                   


Revista DAPesquisa - Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC - Centro de Artes - CEART

Endereço: Av. Madre Benvenuta, 1907 - Itacorubi - Florianópolis - SC - CEP: 88035-001

Email: dapesquisa@gmail.com       

ISSN 1808-3129

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Software de verificação de originalidade e prevenção de plágio