Ancoradas no Corpo, Ancoradas na Experiência: Etnografia, Autoetnografia e Estudos em Dança

Autores

  • Mônica Fagundes Dantas Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre RS

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102272016168

Resumo

O crescimento e a consolidação de Cursos de Pós-Graduação em Artes Cênicas no Brasil tem alavancado discussões sobre abordagens e procedimentos metodológicos voltados para as pesquisa em artes cênicas. Este artigo tem por propósito refletir sobre a contribuição – e os limites – da etnografia e da autoetnografia para pesquisa em dança. Situa a etnografia e a autoetnografia, traçando relações com estudos no campo da dança e apresenta alguns estudos que, servindo-se de uma abordagem etnográfica ou auto-etnográfica, ancoram-se radicalmente no corpo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mônica Fagundes Dantas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre RS

Professora Adjunta da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), no Curso de Graduação em Dança e no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (Mestrado/Doutorado) Pós-doutorado na Universidade de Coventry (Reino Unido) Doutora em Estudos e Práticas Artísticas pela Université du Québec à Montréal (UQAM/Canadá) Mestre em Ciências do Movimento Humano pela UFRGS

Downloads

Publicado

2016-12-24

Como Citar

DANTAS, Mônica Fagundes. Ancoradas no Corpo, Ancoradas na Experiência: Etnografia, Autoetnografia e Estudos em Dança. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 27, p. 168–183, 2016. DOI: 10.5965/1414573102272016168. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/8731. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Corpo, Performance e Antropologia - Olhares transversais