Variações do corpo selvagem: a potência nômade de Hélio Oiticica e Waly Salomão

Autores

  • Laura Castro Professora do campo das Artes na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102272016154

Resumo

O presente artigo pretende articular entendimentos a respeito de corpo, performance e antropologia nos experimentos engendrados na obra de Hélio Oiticica e Waly Salomão, a partir de imagens de Ivan Cardoso e o trabalho do antropólogo Eduardo Viveiros de Castro, sobretudo a partir de sua teoria do perspectivismo ameríndio e suas noções de corpo expostas na obra A inconstância da alma selvagem.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laura Castro, Professora do campo das Artes na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).

Doutora em Artes Cênicas e Mestre em Literatura, Laura Castro é escritora e pesquisa as possibilidades materiais da escrita. É professora do Bacharelado e da Licienciatura Interdisciplinar em Artes na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).

Downloads

Publicado

2016-12-24

Como Citar

CASTRO, L. Variações do corpo selvagem: a potência nômade de Hélio Oiticica e Waly Salomão. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 27, p. 154-167, 2016. DOI: 10.5965/1414573102272016154. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/8720. Acesso em: 4 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Corpo, Performance e Antropologia - Olhares transversais