“Porque a Criança Cozinha na Polenta”: Aglaja Veteranyi na adaptação da Cia. Teatral Mungunzá

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103422021e0207

Palavras-chave:

Teatro, Multimodalidade, Multimidialidade

Resumo

Este artigo buscou observar a adoção de recursos multimodais na construção dramatúrgica de “Porque a Criança Cozinha na Polenta“, dirigido por Nelson Baskerville. Trata-se da adaptação para a teatro do romance autobiográfico de Aglaja Veteranyi, escritora, diretora e atriz romena que fugira para a Europa ocidental com a família durante a ditadura de Nicolae Ceausescu. A partir de análise multimodal, com exemplos comentados por Mondada e Lehmann como a noção de densidade modal e o uso de multimídia no teatro pós dramático, investiguei as escolhas estéticas da encenação. Considerei a importância da recepção como elemento de efetivação da questão fenomenológica, pois a relação com o público é elemento fundante da poética teatral contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Pablos Calligaris, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Doutoranda em Artes da Cena pelo Instituto de Artes (UNICAMP). Mestrado em Linguística, Teatro e Semiótica pelo Instituto de Estudos da Linguagem (UNICAMP). Bacharel em Artes Cênicas/UNICAMP. Licenciatura em Filosofia/UNICAMP.MP.

Referências

CALLIGARIS, Juliana Pablos. A Dimensão Multissemiótica do Jogo Teatral: a Experiência de Elaboração de uma Peça Radiofônica no Programa de Expressão Teatral do Centro de Convivência de Afásicos (CCA - IEL/UNICAMP). 2016. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/270633. Acesso em: 31 jul. 2020.

FIRICĂ, Ștefan. A Figure of Transgression in Literature, Theatre, and Cinema: Aglaja. Ekphrasis – Transnational Cinema Dialogues, p. 93-107. University of Bucharest: 2012,

FIRICĂ, Ștefan. Adapting In-Betweenness: Transpositions of Aglaja Veteranyi´s Literature in Theatre, Music, and Film. Postsocialist Mobilities: Studies in Eastern European Cinema. Edited by Hajnal Király Zsolt Gyõri. Cambridge Scholars Publishing: 2021

LEHMANN, Hans-Ties. O Teatro Pós Dramático. Tradução de Pedro Süssekind. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

LEHMANN, Hans-Thies. Teatro Pós-Dramático e Teatro Político. O Pós-dramático: um conceito operativo? J. Guinsburg e Sílvia Fernandes (orgs.). São Paulo: Perspectiva, 2010.

FERNANDES, Silvia. Subversão no palco. Revista Humanidades. Brasília, edição especial, n. 52, p.07-18, novembro de 2006.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça.; MORATO, Edwiges Morato. & BENTES, Anna Chistina. Referenciação e Discurso. São Paulo: Editora Contexto, 2005.

MACCHI, Fabiana. Arcas de Babel: Fabiana Macchi Traduz Aglaja Veteranyi. Curadoria de Patrícia Lavelle. Revista Cult, Edição 261. São Paulo: Editora Bregantini, 2020

MATHIAS, Dionei. MÜLLER, Juliana Cássia. Pureza e Violência: Imagens da Infância em A. Veteranyi. Literatura e Autoritarismo, Santa Maria, n. 35: Imagens da Violência entre Transgressões e Tensões, p.83-94. UFSM, 2020

MONDADA, Lorenza. Challenges of multimodality: Language and the body in social interaction. Journal of Sociolinguistics, 20(30) p. 336–366, 2016

MONDADA, Lorenza. Corpos Interagindo: Recursos Multimodais para Organização da Interação Social. In: 6ª. Conferência Internacional de Multimodalidade: Instituto de Educação, Londres, 2012.

PINCON-VALLIN, Beatrice. Os Novos Desafios da Imagem e do Som para o Ator: Em Direção a um Super-Ator? Tradução de Marta Isaacsson. Revista Cena, Porto Alegre, n. 7, p.66-76, 2009.

VETERANYI, Aglaja. Por que a Criança Cozinha na Polenta. Tradução de Fabiana Macchi. São Paulo: DBA, 2004.

Downloads

Publicado

2021-12-13

Como Citar

CALLIGARIS, J. P. “Porque a Criança Cozinha na Polenta”: Aglaja Veteranyi na adaptação da Cia. Teatral Mungunzá. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 42, p. 1-33, 2021. DOI: 10.5965/1414573103422021e0207. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18762. Acesso em: 18 maio. 2022.