Vagalampos, vagalampi: fantasmagorias na dramaturgia e na tradução pirandellianas no Brasil

Autores

  • Maria de Lourdes Rabetti Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, RJ - Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas Universidade Federal de São João del - Rey (UFSJ). São Joao del-Rey, MG- Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas. (prof. visitante - 2018-2020)

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102352019224

Resumo

O presente texto deseja compreender formas de mapeamentos e de leituras da presença de Pirandello no Brasil, relacionadas a modos de ver, ou não ver, sua recepção, crítica e de cena. Formas que, seletivas e predominantes, acarretam delimitações inquietantes também para o exercício tradutório. O “cerebralismo” presente na produção artística do autor seria o principal fio histórico condutor de modos de ler o dramaturgo no Brasil, a ponto de nos levar a considerar o “mito” Os gigantes da montanha, em seu inacabamento e alta e fantasmagórica voltagem poética, “obra falha”. Nessa esteira, traduções brasileiras desse texto tornaram-se invisíveis, ausentes, inexistentes.

 

Biografia do Autor

Maria de Lourdes Rabetti, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, RJ - Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas Universidade Federal de São João del - Rey (UFSJ). São Joao del-Rey, MG- Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas. (prof. visitante - 2018-2020)

Professora Associada - membro do “quadro permanente”/Mestrado e Doutorado / Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas/ Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) – Rio de Janeiro – Brasil

Professora Visitante – Mestrado/ Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas/Universidade Federal de São João del – Rey – Minas Gerais – Brasil

Especialidade: História do Teatro , Teatro Brasileiro, Dramaturgia, Tradução

- Pesquisadora  1 A/ Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) – Brasil.

-Representante da área Teatro junto ao Comitê de Artes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) – Brasil (2007- 2010)

-Presidente da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas (Abrace: 2004 – 2006)

Professora Maria de Lourdes (Beti Rabetti) é uma historiadora do teatro com especialização em teatro cômico popular, história da tradução teatral e dramaturgismo. Seus interesses de pesquisa incluem o estudo do trabalho do dramaturg como intermediador, co autor, da cena teatral.  Dedica-se aos estudos sobre a “Tradução em cena: contribuição para uma história da tradução teatral no Brasil - confrontos e experimentações”, nesse momento dedicado ao tema “Traduções, tradutores:  invisibilidade e anonimato na história do teatro”.

Atuou como dramaturgista de diferentes companhias teatrais. Como dramaturgista e tradutora, dedica-se, desde 2010, aos estudos da História da tradução teatral no Brasil, com foco em coleções pirandellianas.

Traduziu várias peças, algumas publicadas, todas encenadas no Brasil: Os gigantes da montanha (Luigi Pirandello),  Maratona de Nova York e A noite de Picasso (Edoardo Erba)

Publica em importantes periódicos brasileiros indexados, como Revista Presença; Revista Sala Preta e Revista Urdimento, para a qual, em 2019, coordena o Dossiê Sobre a Tradução no Teatro: 2019 / 2.

Pesquisa (2011 -    ): Tradução em cena: contribuição para uma história da tradução teatral no Brasil - confrontos e experimentações (2011) Parte 2: Traduções, tradutores:  invisibilidade e anonimato na história do teatro

Downloads

Publicado

2019-09-20

Como Citar

Rabetti, M. de L. (2019). Vagalampos, vagalampi: fantasmagorias na dramaturgia e na tradução pirandellianas no Brasil. Urdimento - Revista De Estudos Em Artes Cênicas, 2(35), 224-248. https://doi.org/10.5965/1414573102352019224

Edição

Seção

Dossiê Temático - Sobre a Tradução no Teatro: abordagens histórico-culturais