Dos paratextos como “protocolos de leitura” na tradução de clássicos: o caso de Romeu e Julieta (1940)

Autores

  • Henrique Brener Vertchenko Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102352019149

Resumo

Tendo como fontes primordiais a Introdução e as Notas da primeira tradução brasileira em livro de Romeu e Julieta, feita por Onestaldo de Pennafort e publicada em 1940 por iniciativa do Ministério da Educação e Saúde, este artigo discute o sentido e as estratégias desses paratextos editoriais no seio de um projeto estatal de tradução de clássicos do teatro. A partir desse estudo de caso, objetiva-se demonstrar como paratextos podem atuar de maneira contundente como protocolos de leitura, configurando-se como escritos que podem orientar a experiência de leitura de traduções, operando como dispositivos mediadores nesse complexo processo.

Biografia do Autor

Henrique Brener Vertchenko, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutorando em História pela UFMG. Mestre (2016) e licenciado (2010) em história pela mesma instituição e técnico em arte dramática pelo Centro de Formação Artística (CEFAR) da Fundação Clóvis Salgado (2012).  Em 2016 defendeu dissertação intitulada 'A Fabricação do Teatro Brasileiro Moderno: Vestido de Noiva e a crítica teatral (1928-1948)'. Desde 2011 é membro do grupo de pesquisa "Brasiliana: escritos e leituras da nação", trabalhando com história, teatro, crítica teatral, intelectuais, Nelson Rodrigues, teatro moderno, publicações e livros de teatro na primeira metade do século XX. Esteve em período sanduíche na Université de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines, França, sob coorientação do professor Jean-Claude Yon, entre setembro de 2018 e março de 2019.

Downloads

Publicado

2019-09-20

Como Citar

Vertchenko, H. B. (2019). Dos paratextos como “protocolos de leitura” na tradução de clássicos: o caso de Romeu e Julieta (1940). Urdimento - Revista De Estudos Em Artes Cênicas, 2(35), 149-162. https://doi.org/10.5965/1414573102352019149

Edição

Seção

Dossiê Temático - Sobre a Tradução no Teatro: abordagens histórico-culturais