A formação do dalang em Bali: o marionetista no teatro de sombras wayang kulit

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102322018330

Resumo

O wayang kulit, o teatro de sombras de Bali é a forma espetacular herdeira da tradição indobudista vinda de Java, no século XV, e uma das responsáveis pela indianização de Bali, através da utilização dramatúrgica das epopeias indianas. O processo de formação do dalang, o marionetista, é complexo, abrangendo um extenso aprendizado literário, linguístico, ritualístico e vocal. O dalang deve articular os mitos ancestrais e a contemporaneidade, dispensando ensinamentos filosóficos e religiosos e comentando aspectos da sociedade atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Coelho de Souza Ladeira, Laboratoire "Scènes et Savoirs" / Université Paris 8 e Grupo de Pesquisa CRIA - Artes e Transdisciplinaridade (UFMG)

Juliana Coelho é mestre e doutora pela Universidade Paris 8/ França, tendo pesquisado práticas transculturais relacionadas ao topeng. Em Bali, estudou o topeng, o gabor e cantos tradicionais balineses. Foi professora da Universidade de Rennes 2 (2014-2015). É graduada em Teatro pela UFMG, onde lecionou em 2006. Desde 2004, realiza pesquisas práticas e teóricas sobre o trabalho de criação do ator.

Downloads

Publicado

2018-09-11

Como Citar

LADEIRA, Juliana Coelho de Souza. A formação do dalang em Bali: o marionetista no teatro de sombras wayang kulit. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 32, p. 330–347, 2018. DOI: 10.5965/1414573102322018330. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573102322018330. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Sessão Especial - Teatro de Animação: Memórias e Metafóras