Presença oswaldiana no Teatro Estádio de José Celso Martinez Corrêa: antropofagia, mestiçagem cultural, terreiro eletrônico

Autores

  • Nanci de Freitas Universidade do Estado do Rio de Janeiro - (UERJ), Rio de Janeiro, RJ

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101162011109

Resumo

O artigo analisa as formas adotadas na construção do Teatro Oficina, de São Paulo, e a proposta de ampliação do espaço em um Teatro Estádio, à maneira “greco-tropical”, como diz José Celso Martinez Corrêa, diretor do Teatro Oficina Uzyna Uzona. O projeto, inspirado no manifesto de Oswald de Andrade, Do teatro que é bom..., retoma questões da antropofagia para a contemporaneidade, propondo a criação de um “terreiro eletrônico”, espaço de reinvenção do teatro  ede sua recepção, buscando a comunhão com o público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nanci de Freitas, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - (UERJ), Rio de Janeiro, RJ

Professora adjunta no Instituto de Artes da Universidadedo Estado do Rio de Janeiro - UERJ e doutora em teatro pela UNIRIO. Atua na área de artes cênicas como diretorae pesquisadora. Na UERJ, coordena o projeto Mirateatro! Espaço de estudos e criação cênica.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

FREITAS, N. de. Presença oswaldiana no Teatro Estádio de José Celso Martinez Corrêa: antropofagia, mestiçagem cultural, terreiro eletrônico. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 16, p. 109-117, 2020. DOI: 10.5965/1414573101162011109. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101162011109. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Fluxo Continuo