Corpo, corpus e corpa: da violência de Goody, de Vinegar Tom

Autores

  • Fátima Costa de Lima Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101122009133

Resumo

Reflexões de uma atriz sobre a interpretação de Goody, personagem da montagem teatral de Vinegar Tom , encenada pelos formandos da Universidade do Estado de Santa Catarina no ano de 2008, sob a direção de Maria Brígida de Miranda. Goody tortura mulheres, seu ofício na Inquisição inglesa do século XVII. Os corpos torturados tornam-se, neste artigo, espelhos que revelam a violência de Goody contra seu próprio corpo de caçadora de bruxas.

Biografia do Autor

Fátima Costa de Lima, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Professora do Departamento de Artes Cênicas da UDESC. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação da História-CFH-UFSC. Atriz e cenógrafa.

Downloads

Publicado

2018-09-27

Como Citar

LIMA, F. C. de. Corpo, corpus e corpa: da violência de Goody, de Vinegar Tom. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 12, p. 133-141, 2018. DOI: 10.5965/1414573101122009133. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101122009133. Acesso em: 19 out. 2021.