Subversão e Dependência das Tecnoimagens: Paisagem e Câmara Escura na Arte Atual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234612282020062

Palavras-chave:

Paisagem, Imagens Técnicas, Fotografia, Câmara Escura

Resumo

Este artigo fala sobre a construção de câmaras escuras para o estudo da paisagem na Arte atual. Com tal foco, pensamos a estruturação da paisagem como da ordem da subjetividade através do conceito de stimmung, de Georg Simmel, e estabelecemos um diálogo com o sentido de tecnoimagem, de Vilem Flusser. Diante da experiência do sujeito com o “recorte” instituído pelas tecnoimagens e da larga disseminação permitida pela reprodução digital, pensamos os trabalhos de Abelardo Morell e Nilu Izadi como estratégias de subversão do olhar fotográfico. Tal subversão exigiria a presença do indivíduo como parte da construção e revelação do sentido da paisagem. Inclui-se, neste texto, a pergunta pelos limites das estratégias dos artistas citados, tendo em vista que a sobrevivência, difusão e estudo destas obras dependem, em certo nível, da produção e contato do público com tecnoimagens.

Biografia do Autor

Rodrigo Hipólito, Universidade Federal do Espírito Santo / Faculdade Europeia de Vitória

Mestrado em História e Crítica da Arte pelo Programa de Pós-Graduação em Artes da Universidade Federal do Espírito Santo (PPGA-UFES), bolsa Capes. Professor do Departamento de Teoria da Arte e Música (DTAM-UFES) e dos cursos de Pedagogia e Psicologia da Faculdade Europeia de Vitória (FAEV). Redator do site notamanuscrita.com, apresentador do podcast Não Pod Tocar; Editor da Revista do Colóquio (PPGA-UFES).

Fabiana Pedroni, IA-UNESP / Univesp

Doutoranda em Artes na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (IA-UNESP), mestra em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), licenciada em Artes Visuais pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Facilitadora na modalidade bolsista da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp). Desenvolve pesquisa na área de Arte Educação, sobre livros ilustrados infantis e na área de História das Imagens. Participa do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Imagem, História e Memória, Mediação, Arte e Educação (GPIHMAE - UNESP) e do Laboratório de Pesquisa em Teorias da Arte e Processos em Artes (LabArtes - UFES). Desenvolve pesquisa e produção na área de arte contemporânea; Redatora do site notamanuscrita.com; Artista, crítica e literária atuante pelos grupos Coletivo Monográfico e NOTAmanuscrita, com os quais tem produzido textos, vídeos, ações performáticas e instalações desde 2012. Podcaster no podcast Não Pod Tocar. Recebeu os prêmios Bolsa Ateliê, da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo com o projeto de instalações "Ínfimos Corriqueiros - Pormenores Possessivos" (2012-2013) e Prêmio de Iniciação Científica como Melhor Trabalho na Área de Humanidades (Ciências Humanas, Sociais Aplicadas, Linguística, Letras e Artes) (UFES- 2010).

Referências

COELHO, Letícia Castíllio. A Paisagem na Fotografia: os rastros da memória nas imagens. GPIT (Grupo de Pesquisa Identidade e Território), Porto Alegre: UFRGS, 2011. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/gpit/wp-content/uploads/2011/03/castilhos-leticia-a-paisagem-na-fotografia.pdf> Acesso em: 10 de out. 2019.

FLUSSER, Vilém. O Universo das Imagens Técnicas: Elogio da Superficialidade. São Paulo: Annablume, 2008.

_______. Filosofia da caixa preta: ensaios para uma futura filosofia da fotografia. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

HIPÓLITO, Rodrigo. O Mal da Imagem (?) e as estratégias de apropriação em

“Mouchette.org”. Orientador: Angela Maria Grando Bezerra. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Artes, 2015. Disponível em: <http://repositorio.ufes.br/handle/10/2131>. Acesso em 29 out. 2019.

O'DOHERTY, Brian; MCEVILLEY, Thomas. No interior do cubo branco: a ideologia do espaço da arte. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

SIMMEL, Georg. A Filosofia da Paisagem. Covilhã: Universidade da Beira Interior/LusoSofia Press, 2009.

TIBURI, M.. A Máquina de mundo: uma análise do conceito de aparelho em Vilém Flusser. Revista Ghrebh, Revista de Comunicação, Cultura e Teoria da Mídia. São Paulo, março/2008 n. 11, pp. 120-146. Disponível em: <https://www.cisc.org.br/portal/jdownloads/Ghrebh/Ghrebh-%2011/09_tiburi.pdf >. Acesso em: 07 out. 2019.

Downloads

Publicado

2020-08-29

Como Citar

HIPÓLITO, R.; PEDRONI, F. Subversão e Dependência das Tecnoimagens: Paisagem e Câmara Escura na Arte Atual. Palíndromo, Florianópolis, v. 12, n. 28, p. 062 - 075, 2020. DOI: 10.5965/2175234612282020062. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/16454. Acesso em: 1 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos Seção temática