Libretos de Criação: experiência de brincar com sons em Rodas Poéticas na Educação Infantil

Autores

  • Dulcimarta Lemos Lino Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Sandra Regina Simonis Richter Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530402022017069

Palavras-chave:

Formação de professores, Educação infantil, Educação musical

Resumo

O projeto Libretos de Criação: experiência de brincar com sons em Rodas Poéticas na educação infantil” instalou-se no ateliê da universidade com o objetivo de perseguir modos de registrar a experiência lúdica de convivência linguageira. A metodologia das Rodas Poéticas sustentou-se no processo de interação propositiva intensa tomando o corpo como instrumento por excelência do fazer poético com o movimento da música, da dança e da literatura, na intenção de ampliar repertórios tanto das crianças quanto dos adultos-pesquisadores. Ao afirmar a relevância pedagógica da música em estado de encontro, experimentada no complexo processo de aprender o poder inventivo de habitar a linguagem, o presente estudo tomou como foco reflexivo a experiência de brincar com sons. A investigação em andamento contribui para ampliar a abordagem temática da documentação pedagógica na educação musical, convidando-nos ao exercício diário de narrar e interrogar o currículo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dulcimarta Lemos Lino, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), no Departamento de Estudos Especializados da Faculdade de Educação. Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Sandra Regina Simonis Richter, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Curso de Pedagogia da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), Brasil. Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Infância e História: ensayo sobre la destrucción de la Experiência. Buenos Aires: Adriana Hidalgo Editora, 2011.

AKOSCHKY, Judith et al. La musica em la escuela infantil (0-6). 2. ed. Barcelona: Editora GRAÓ, 2009.

APPEL, Geneviève; DAVID, Myriam. Lóczy, una insolita atencion personal. Barcelona: Octaedro, 2010.

ATTALI, Jacques. Bruits: essai sur l'économie politique de la musique. Paris: Presses Universitaires de France, 1977.

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

BARBOSA, Maria Carmen; FOCHI, Paulo Sérgio. Os bebês no berçário: ideias-chave. In: FLORES, Maria Luiza; ALBUQUERQUE, Simone Santos (Orgs.). Implementação do Proinfância no Rio Grande do Sul: perspectivas políticas e pedagógicas. Dados Eletrônicos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2015. p. 57-68.

BARBOSA, Maria Carmen; RICHTER, Sandra Regina Simonis. Campos de Experiência: uma possibilidade para interrogar o currículo. In: FINCO, Daniela; BARBOSA, Maria Carmen; FARIA, Ana Lúcia Goulart. Campos de experiências na escola da infância: contribuições para inventar um currículo de educação infantil brasileiro. Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2015. p. 185-198.

BELLOQUIO, Claudia Ribeiro (Org.). Educação Musical e Unidocência: pesquisas, narrativas e modos de ser professor de referência. Porto Alegre: Sulina, 2017.

BERLE, Simone. Infância e linguagem: educar os começos. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Santa Cruz do Sul, 2013.

BERTOLA, Regina et al. Pra Nhá Terra. Ponto de Partida & Meninos de Araçuaí. Biscoito Fino (DVD), 2011.

BEYER, Esther. Musikalische und sprachliche Entwicklung in der fruhen Kindheit. Hamburg: Framer, 1994.

BONDIOLI, Anna (Org.). O tempo no cotidiano infantil: perspectivas de pesquisa e estudo de casos. São Paulo: Cortez, 2004.

BORGHI, Battista; GUERRA, Luigi. Manuale di didattica per l’asilo nido. Roma: Laterza, 1999.

BOURSCHEID, Clarice Campos. Escuta estética/poética na creche: encontros musicais com bebês e crianças pequenas. 2014. 228 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – UNISC, Santa Cruz do Sul, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CEB n. 05, 17 dez. 2009. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Diário Oficial República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 18 dez. 2009. Seção 1, p. 18.

______. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2017. Disponível em: . Acesso em: 5 set. 2017.

BRITO, Teca Alencar. Koellreutter educador: o humano como objetivo da educação musical. São Paulo: Editora da Fundação Peirópolis, 2001.

______. A música na Educação Infantil: propostas para a formação integral da criança. São Paulo: Peirópolis, 2003.

______. Quantas músicas tem a Música? Ou algo estranho no museu! São Paulo: Peirópolis, 2009.

CABANELLAS, Isabel; ESLAVA, Juan; ESLAVA, Clara; POLÔNIO, Raquel. Ritmos Infantiles: tejidos de um paisaje interior. Temas de Infancia, 22. Barcelona: Editorial Octaedro, 2007.

CABANELLAS, Isabel; HOYUELOS, Alfredo. Momentos: cantos entre balbuceos. Navarra: Universidad Pública de Navarra, 1998.

DAHLBERG, Gunilla; MOSS, Peter; PENCE, Alan. Qualidade na educação da primeira infância: perspectivas pós-modernas. Porto Alegre: Artmed, 2003.

DAVIDSON, Lyle; SCRIPP, Larry. Educación y desarollo musicales desde um punto de vista cognitivo. In: HARGREAVES, D. J. Infancia y educación artística. Madrid: Morata, 1991. p. 80-111.

EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George. As cem linguagens da criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

FOCHI, Paulo Sergio. Mas os bebês fazem o que no berçário, heim? Documentação ações de comunicação, autonomia e saber-fazer de crianças de 6 a 14 meses em contextos de vida coletiva. 171 f. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

FONTERRADA, Marisa. O lobo no labirinto: uma incursão à obra de Murray Schafer. São Paulo: Editora da UNESP, 2004.

______. De tramas e fios: um ensaio sobre música e educação. São Paulo: Editora UNESP; Rio de Janeiro, FUNARTE, 2008.

______. Ciranda de sons: práticas criativas em Educação Musical. São Paulo: UNESP, 2015.

FREIRE, Madalena. A paixão de conhecer o mundo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

______. Observação, registro e reflexão: Instrumentos metodológicos I. São Paulo: Espaço Pedagógico, 1996.

GOBBI, Márcia. Múltiplas linguagens de meninos e meninas no cotidiano da Educação Infantil, 2010. Consulta Pública sobre Orientações Curriculares Nacionais na Educação Infantil. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=1096&id=15860&option=com_content&view=article>. Acesso em: 01 abr. 2016.

GORDON, E. Teoria da aprendizagem musical para recém-nascidos e crianças em idade pré-escolar. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2000.

HEYWOOD, Colin. Uma história da infância: da Idade Média á época contemporânea no Ocidente. Porto Alegre: Artmed, 2004.

HOYUELOS, Alfredo. La ética em el pensamento y obra pedagógica de Loris Malaguzzi. Barcelona: Octaedro, 2004.

______. Prólogo. In: CABANELLAS, Isabel; ESLAVA, Juan; ESLAVA, Clara; POLÔNIO, Raquel. Ritmos Infantiles: tejidos de um paisaje interior. Temas de Infancia, 22. Editorial Octaedro: Barcelona, 2007.

ILARI, Beatriz; BROOK, Angelita (Orgs.). Música e educação infantil. Campinas, SP: Papirus, 2013.

ILARI, Beatriz; YOUNG, Susan (Orgs.). Children’s home musical experiencies across the world. Bloomington: Indiana University Press, 2016.

KAERCHER, Gládis Elise Pereira da Silva. As linguagens, a formação do leitor e a ação pedagógica na Educação Infantil: apontamentos. In: FLORES, Maria Luiza Rodrigues; ALBUQUERQUE, Simone. Implementação do Proinfância no Rio Grande do Sul: perspectivas políticas e pedagógicas . Porto Alegre: EDIPUCRS, 2015. p. 322.

KATER, Carlos; LOBÃO, Paulo. Musicalização através da Canção Popular Brasileira. Cadernos de Estudo. São Paulo: Atravéz e Escola de Música da UFMG, 2001.

______. Musicantes e o boi brasileiro: uma história com [a] música. São Paulo: Musa, 2013.

______. A Música da Gente. CEU, São Bernardo, SP: Scania; Secretaria Municipal de Educação de São Bernardo, 2016.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Tradução João Wanderley Geraldi. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 19, p. 20-28, jan./fev./mar./abr. 2002.

LE BRETON, David. As paixões ordinárias: antropologia das emoções. Petrópolis: Vozes, 2009.

LINO, Dulcimarta Lemos. Barulhar: a escuta sensível da música nas culturas da infância. 395 f. 2008. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

______. Corpos no som: ensaios de escuta. In: CAMARGO, Ieda (Org.). Escola hoje [recurso eletrônico] quem te define? Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2014. p. 63-75. Disponível em: <http://www.unisc.br/edunisc>. Acesso em: 23 jun. 2014.

______. Abracadabra: o encontro de bebês e crianças pequenas com música. Revista Eventos Pedagógicos – Educação de 0 a 3 anos em espaços de vida coletiva, v. 6, n. 3, 16. ed., edição especial temática, p. 116-131, ago./out. 2015.

______. Diário de Campo. Pesquisa: Educação Musical no Curso de Pedagogia da UFRGS. Projeto de Pesquisa, FACED-UFRGS, 2017.

MALAGUZZI, Loris. Histórias ideias e filosofia básica. In: EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George. As cem linguagens da criança. Porto Alegre: Artes Médica, 1999.

______. La educación infantil em Reggio Emilia. Barcelona: Octaedro; Rosa Sensat, 2001.

MERLEAU-PONTY, Maurice. A linguagem indireta e as vozes do silêncio. In: Signos. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

______. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1999a.

______. O visível e o invisível. São Paulo: Editora Perspectiva, 1999b.

NUNES, Maria Fernanda Rezende; CORSINO, Patricia; DIDONET, Vital. Educação Infantil no Brasil: primeira etapa da educação básica. Brasília: UNESCO, Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica, Fundação Orsa, 2011. p. 102.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. Encontros e encantamentos na educação infantil. Campinas, SP: Papirus, 2000.

OSTETTO, Luciana. A arte no itinerário da formação de professores: acender coisas por dentro. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 14, n. 1, p. 29-43, jan./jun. 2006.

______. Educação Infantil: saberes e fazeres da formação de professores. Campinas, SP: Papirus, 2008.

OSTETTO, Luciana (Org.). Educação Infantil: saberes e fazeres da formação de professores. Campinas,SP: Papirus, 2015 [2012].

PEREIRA, Maria Amélia. Casa Redonda: Centro de Estudos. São Paulo: Livre, 2013.

RICHTER, Sandra R S; FRONCKOWIAK, A. C. Experiência poética e aprendizagem na infância. 93 f. Relatório Técnico Processo N. 477709/2007-09 CNPq. 2010.

______. A tensão lúdica entre brincar e aprender na infância. Pátio Educação Infantil, ano IX, n. 27, p. 39-41, 2011.

RICHTER, Sandra R. S.; BOURSCHEID, Clarice. Encontros estéticos/poéticos entre música e bebês na creche. Reflexão&Ação, Santa Cruz do Sul, v. 22, n. 1, p. 32-58, jan./jun. 2014.

RICHTER, Sandra R. S.; BERLE, Simone. A pedagogia como gesto poético. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 40, n. 4, p. 1027-1043, out./dez. 2015.

RICHTER, Sandra R. S.; FRONCKOWIAK, A. C.; LINO, Dulcimarta L. Dimensão poética das linguagens e educação da infância. 82 f. Relatório Técnico. UNISC/ ProPPG, PPGEdu, 2013.

RICOEUR, Paul. Interpretação e ideologias. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1988.

RINALDI, Carla. Diálogos com Reggio Emilia: escutar, investigar, aprender. São Paulo: Paz e Terra, 2012.

ROCHA, Eloisa Acires Candal. A pedagogia e a educação infantil. Revista Brasileira de Educação, n. 16, p. 27-34, jan./mar. 2001.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Imaginário e culturas da infância. Cadernos de Educação FaE/UFPel, Pelotas, p. 51 jul/.dez. 2003.

SERAFINE, Mary L. Music as cognition. New York: Columbia University Press, 1988.

SILVA, Lucilene. Eu vi as três meninas: música tradicional da infância na Aldeia de Carapicuíba. Carapicuíba, SP: Zerinho ou Um, 2014.

SLOBODA, J. (Org.). Generative processes in music. Oxford: Clarendon, 1988.

SLOBODA, J; DELIEGE, Irene. Origins and development of musical competence. New York: Oxford University, 1996.

SOARES, Magda B. Didática, uma disciplina em busca de sua identidade. Ande, São Paulo, v. 5, n. 9, p. 39-42, 1985.

SOTO, Claudia; VIOLANTE, Rosa. Experiencias estéticas en los primeiros anos: reflexiones y propuestas de enseñanza. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Paidós, 2016.

TOMASELLI, Anna; ZOCHI, Alessandra. Perché documentare. In: FIRENZE. Linea guida: per i servisi educativi ala prima infanza – Documentazione. Azzano São Paolo: Edizioni Junior, 2009.

WAUSCHAUER, Cecilia. A roda e o registro: uma parceria entre o professor, alunos e o conhecimento. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

Downloads

Publicado

2017-12-19

Como Citar

LINO, D. L.; RICHTER, S. R. S. Libretos de Criação: experiência de brincar com sons em Rodas Poéticas na Educação Infantil. Orfeu, Florianópolis, v. 2, n. 2, p. 069-090, 2017. DOI: 10.5965/2525530402022017069. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/1059652525530402022017069. Acesso em: 5 fev. 2023.