Artes e ofícios na formação da moda cearense e sua relação com a cultura do algodão

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630712023e2918

Palavras-chave:

Escola de Arte e Ofícios, Educação, Formação em moda

Resumo

Este artigo contribui com a investigação sobre os processos formativos das artes e ofícios na implantação das escolas para aprendizes iniciada no século XIX. A partir das vocações orientadas aos educandos associa-se na cultura algodoeira do estado, a relação com a formação de moda cearense no século XX. As transformações alcançadas no decorrer do tempo registram entre outras propostas formativas, as relações artísticas, com destaque para as conexões econômicas originadas do algodão, o elo impulsionador da vocação têxtil e consequentemente, do desenvolvimento e consolidação do ensino de moda local. O presente estudo é de natureza qualitativa e adota como procedimentos a pesquisa bibliográfica ao selecionar e reunir dados a partir de estudos monográficos tais como: livros, monografias, teses e dissertações relacionadas ao tema em questão. Além da pesquisa documental por meio da compilação e análise de documentos, arquivos, matérias de jornal, imagens, registros imagéticos e textuais que apresentem dados relevantes acerca dos processos de ensino, configurando o início das artes e ofícios até o percurso contemporâneo na formação em moda no Ceará – Brasil. Os materiais foram catalogados e analisados atentando-se à ordem cronológica da institucionalização dos saberes relacionados às artes e ofícios no estado do Ceará, passando pelas oficinas e escolas até a formação acadêmica. A pesquisa apresenta as relações as artes e ofícios e a cultura do algodão no Ceará e sua contribuição para o desenvolvimento do setor têxtil no estado e a formação acadêmica em moda na atualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emanuelle Kelly Ribeiro da Silva, Universidade Federal do Ceará

Possui graduação em Estilismo e Moda pela Universidade Federal do Ceará, durante a graduação foi monitora das disciplinas de Pesquisa de Moda I e II e Tópicos Especiais em Corpo e Moda; bolsista de extensão pelo Programa Bolsa-Arte do Instituto de Cultura e Arte - ICA/UFC. Tem mestrado em Sociologia pelo PPGS-UFC e atualmente é doutoranda em Educação Brasileira pela Faculdade de Educação da UFC (FACED), desenvolvendo pesquisas nas áreas de: educação, moda e cultura. Professora efetiva do Curso de Design-Moda da Universidade Federal do Ceará, assistente nível I (20h)e co-tutora do Programa de Educação Tutorial - PETModa. Desenvolve estudos e ministra disciplinas nas áreas de Introdução ao Design, Pesquisa de Moda, História da Arte e História da Indumentária. Metodologia Projetual e Desenho de Moda.

Maria de Jesus Farias Medeiros, Federal University of Piauí

Mestre em Administração (Marketing) UFC-FEAAC; Especialista em Metodologia do Ensino em História UECE e Design Têxtil de Moda - MARISTA; Bacharel em Estilismo e Moda-UFC e em Direito UNIFOR. Docente do curso de Design de Moda-UFPI. E-mail: jesuspop@ufpi.edu.br

Referências

ALEGRE, Silvia Porto. Vaqueiros, agricultores, artesãos: origens do trabalho livre no Ceará colonial. In: Revista de Ciências Sociais. Fortaleza. v. 20/21 n° 1/2, p. 1-29, 1989/1990.

ALEGRE, Sylvia Porto. Fontes inéditas para a história indígena no Ceará. Fortaleza: EdUFC/NEPS, 1992.

ALEGRE, Silvia Porto. Arte e ofício de Artesão: histórias e trajetórias de um meio de sobrevivência.1988 (Mestrado em Ciências Humanas) – Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1988.

ALMANACH. Estatístico, administrativo, mercantil, industrial e literário do estado do Ceará para o ano de 1918. Fortaleza: Typ. Moderna, 1918.

ANDRADE, Francisco Ari. Instrução moral e ofício doméstico para meninas nas vilas de índio. CADERNOS DE PESQUISA RM EDUCAÇÃO-PPGE-UFES. V.17, n. 33 (janeiro/junho), 2011.

ANDRADE, Francisco Ari de. A EDUCAÇÃO FEMININA NAS VILAS DE ÍNDIO NA CAPITANIA DO CEARÁ: FONTES E ITINERÁRIOS METODOLÓGICOS.XVIII Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação. São Luís - MA. 2010

ANUÁRIO DA MODA DO CEARÁ. GOVERNO DO ESTADO. Fortaleza: Diário do Nordeste, 2011.

ARAGÃO, Elizabeth Fiúza. O fiar e o tecer: 120 anos de indústria têxtil no Ceará. Fortaleza: SINDITEXTIL/FIEC, 2002.

BRASIL. Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909. Cria nas capitais dos Estados as Escolas de Aprendizes Artífices, para o ensino profissional, primário e gratuito. Rio de Janeiro, RJ, 1909. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/decreto_7566_1909.pdf.

CANDIDO, F. G., Jucá, S. C. S., da Silva, S. A., & Alves, F. R. V. (2019). Educação para o trabalho: a Escola de Aprendizes Artífices do Ceará. Educação, 44, e44/ 1–22. https://doi.org/10.5902/1984644434813

COLOMBO. Irineu Mario. Escola de Aprendizes Artífices ou Escola de Aprendizes e Artífices? Educar em Revista, Curitiba, v. 36, e71886, 2020 DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.71886

CUNHA, Luiz Antônio. Ensino de ofícios artesanais e manufatureiros no Brasil escravocrata. 2ª ed. São Paulo: Editora UNESP; Brasília DF: Editora Flacso, 2005

CUNHA, Luiz Antônio Constant Rodrigues da. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. São Paulo: Unesp, Brasília, DF: Flacso, 2000.

LIMA, Ana Cristina Pereira de. MENINAS ÓRFÃS, IRMÃS VICENTINAS E PROFISSIONALIZAÇÃO FEMININA NO SÉCULO XIX EM FORTALEZA (CE) DOSSIÊ Hist. R., Goiânia, v. 25, n. 2, p. 309-330, mai./ago. 2020

MESQUITA, Simone V. de. COLLEGIO DE EDUCANDOS ARTÍFICES: ENSINO PÚBLICO PROFISSIONALIZANTE PARA MENORES ÓRFÃOS E DESVALIDOS EM FORTALEZA (1856-1867) Anais do XV Congresso de História da Educação do Ceará. 2016, ISSN 2237-2229

MOURA, Dante Henrique. Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectivas de integração. Holos, Natal, v. 2, p.4-30, 19 mar. 2008. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). http://dx.doi.org/10.15628/holos.2007.11.

MOURA, Dante Henrique. Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectivas de integração. Holos, v. 2, 2007.

PIRES. Dorotéia Baduy. A história dos cursos de design de moda no Brasil. Revista Nexos: Estudos em Comunicação e Educação. Especial Moda/Universidade Anhembi Morumbi – Ano VI, nº 9 (2002) – São Paulo: Editora Anhembi Morumbi, 112 p. ISNN 1415-3610.

Projeto Pedagógico do Curso de Design-Moda da UFC. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ. Fortaleza, 2022.

QUEIROZ, Cyntia Tavares Marques de. Do estilismo ao design: Os currículos do bacharelado em moda da Universidade Federal do Ceará. 2014. 197f. – Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2014.

SEBRAE. Estudo Setorial: artesanato. Fortaleza. SEBRAE-CE, 2009.

SILVA, Jose Borzacchiello (1989, p.79) O algodão na organização do espaço. IN. HISTÓRIA DO CEARA SOUZA, Simone. História do Ceará. Fortaleza: Universidade Federal do Ceara/ Fundação Demócrito Rocha, 1989.

VIANA, Fernando Luiz Emerenciano. A Industria têxtil e de confecção no Nordeste: características e oportunidades. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 2005.

VICTOR, Dijane Maria Rocha. A criação do curso de moda da Universidade Federal do Ceará: história, memória e narrativas (1986 – 1993). 2014. 228f. – Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2014.

Publicado

2023-02-01

Como Citar

SILVA, Emanuelle Kelly Ribeiro da; MEDEIROS, Maria de Jesus Farias. Artes e ofícios na formação da moda cearense e sua relação com a cultura do algodão. Revista de Ensino em Artes, Moda e Design, Florianópolis, v. 7, n. 1, p. 1–17, 2023. DOI: 10.5965/25944630712023e2918. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/22918. Acesso em: 28 fev. 2024.