Liceu de Artes e Ofícios da Bahia: dos ofícios à formação cidadã através da arte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630712023e2874

Palavras-chave:

Artes e Ofícios, Educação, Cidadã

Resumo

Este artigo é fruto da vertente baiana da pesquisa interinstitucional Escolas de Artes e Ofícios no Brasil: história, propostas formativas e continuidades na formação do Bacharelado em Design de Moda. De natureza qualitativa, a pesquisa prioriza uma linha de investigação histórica, analisando o Liceu de Artes e Ofícios da Bahia (1872-2007), seus primórdios e desenvolvimento, na busca de vestígios do ensino voltado a atividades vestimentares, como corte e costura. Nesse percurso, tentamos compreender o papel da instituição na formação de cidadãos, sobretudo a partir da conjuntura social que se colocava à época do seu surgimento, de uma população recém-liberta da escravidão em uma cidade em vias de industrialização. Além disso, procura compreender qual papel o Liceu de Artes e Ofícios da Bahia cumpre na sociedade soteropolitana, sobretudo nas décadas de 1990 e 2000, inquerindo se teve como direcionamento o ensino de modelagem e costura. Em termos metodológicos, a investigação utilizou como principal recurso a pesquisa bibliográfica, reunindo informações sobre a instituição e o contexto socioeducativo baiano através dos trabalhos de Cunha (1979), Leal (1996), Trinchão (2008) e Reis (2012), com amparo em questionário com alguns profissionais que atuaram na instituição no período mais recente. Conclui-se que o Liceu de Artes e Ofícios da Bahia perpetuou seu objetivo principal de assistir e formar classes menos favorecidas economicamente. Não houve maior desenvolvimento de atividades relacionadas às práticas vestimentares, das quais somente foram encontrados vestígios. Nos seus últimos anos, o Liceu atuou para promover uma formação cidadã através das artes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Pitombo Cidreira, Federal University of Recôncavo da Bahia

Possui graduação em Comunicação (habilitação em Jornalismo - 1992), mestrado (1997) e doutorado (2003) em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia. Tem Pós-doutorados em sociologia pela Université René Descartes, Paris V-Sorbonne (2011) e em Comunicação e Artes/ Estudos da Cultura pela Universidade de Beira Interior (2021). Atualmente é professora associada na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, ministrando as disciplinas Teorias da Comunicação, Estética da Comunicação e Comunicação, Cultura e Arte. Lidera o grupo de pesquisa Corpo e Cultura, cadastrado no CNPq. Tem experiência na área de Comunicação, sobretudo em Estética da Comunicação, com ênfase nas investigações sobre a Moda, atuando principalmente nos seguintes temas: moda, estilo, aparência, figurino, corpo, sensibilidade, performance, cultura e crítica.

Renata Costa Leahy, Unime - Anhanguera Salvador

Professora no curso de Jornalismo da Faculdade Unime-Anhanguera Salvador. Doutora pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade (Pós-Cultura) da Universidade Federal da Bahia (bolsista CAPES), em co-tutela com a École Doctorale Lettres, Langues, Spectacles da Université Paris Nanterre (Paris 10), França (bolsista CAPES/PDSE). Mestre pelo Pós-Cultura/UFBA. Bacharel em Artes (BI Artes) com área de concentração em Políticas e Gestão da Cultura pelo Instituto de Humanidades, Artes e Ciências prof. Milton Santos (IHAC/UFBA). Membro do grupo de pesquisa Corpo e Cultura (CNPq-UFRB/UFBA). Atua principalmente com os seguintes temas: comunicação, arte, cultura, moda, corpo.

Referências

ALCÂNTARA, Paulo Henrique de. Liceu de Artes e Ofícios da Bahia. Questionário respondido e enviado a Renata Pitombo Cidreira. Salvador, 30 de julho de 2021.

ANDRADE, Mario de. O artista e o artesão. Aula inaugural dos cursos de Filosofia e História da Arte, do Instituto de Artes, Universidade do Distrito Federal, 1938.

CUNHA, Luiz Antônio. O ensino de ofícios manufatureiros em arsenais, asilos e liceus. Revista Fórum Educacional. Rio de Janeiro, v. 3, n. 3, p. 3-47, jul./set. 1979.

LICEU de Artes e Ofícios da Bahia. In: Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileira. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/instituicao17451/liceu-de-artes-e-oficios-da-bahia. Acesso em: 08 de abril de 2022. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7.

LEAL, Maria das Graças de Andrade. A arte de ter um ofício (1872-1996): Liceu de Artes e Ofícios da Bahia. Salvador: Liceu de Artes e Ofícios da Bahia, 1996, 402p.

LEAL, Maria das Graças de Andrade. Informação verbal concedida a Renata Pitombo Cidreira e Renata Costa Leahy, via plataforma de videoconferência Jitsi. Salvador, 26 de agosto de 2021.

PASSOS, Edvard. Liceu de Artes e Ofícios da Bahia. Questionário respondido e enviado a Renata Costa Leahy. Salvador, 12 de abril de 2021.

REIS, Lysie. A liberdade que veio do ofício: práticas sociais e cultura dos artífices na Bahia do século XIX. Salvador: EDUFBA, 2012.

SCALDAFERRI, Danilo. Liceu de Artes e Ofícios da Bahia. Questionário respondido e enviado a Renata Pitombo Cidreira. Salvador, 04 de abril de 2021.

SUASSUNA, Ariano. Iniciação à estética [recurso eletrônico]. 1. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2013.

TRINCHÃO, Gláucia Maria Costa. O desenho como objeto de ensino: História de uma disciplina a partir dos livros didáticos luso-brasileiros oitocentistas. Tese (doutorado em educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Vale do Rio dos Sinos. São Leopoldo - RS, 2008.

Publicado

2023-02-01

Como Citar

CIDREIRA, Renata Pitombo; LEAHY, Renata Costa. Liceu de Artes e Ofícios da Bahia: dos ofícios à formação cidadã através da arte. Revista de Ensino em Artes, Moda e Design, Florianópolis, v. 7, n. 1, p. 1–18, 2023. DOI: 10.5965/25944630712023e2874. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/22874. Acesso em: 24 abr. 2024.