Uma reflexão acerca dos fardamentos militares femininos em Pernambuco: entre o justo da cultura e as categorias ergonômicas de conforto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630332019134

Resumo

Os uniformes tem por função demarcar sentidos simbólicos e atividades laborais, além de proteger corpo do profissional, proporcionando bem-estar e auxiliando o seu desempenho. Sua adequação ao corpo depende de considerar suas dimensões e proporções, além das características próprias ao posto de trabalho, tais como os riscos próprios ao ambiente e a extensão e dinâmica dos movimentos da articulação motora exigidas pelas tarefas. Contudo, quando se trata da polícia militar feminina, não é incomum observar no cotidiano da cidade o quanto justas são essas peças de vestuário, especialmente as calças, que marcam as formas do corpo. Considerando as categorias do conforto para o vestuário, à luz do pensamento de Bourdieu, a questão nos levou a refletir os motivos e as possíveis consequências do desenvolvimento do gosto por tal estética. Nossos resultados apontaram que o gosto, uma questão cultural, afeta e pode colocar em risco a segurança da usuária em sua atividade laboral.

Biografia do Autor

Flávia Zimmerle da Nóbrega Costa, Universidade Federal de Pernambuco

Doutora em Administração pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora Adjunta da Universidade Federal de Pernambuco do Núcleo de Design e Comunicação do Centro Acadêmico do Agreste. 

 

Julia Atroch de Queiroz

Mestre em Consumo Cotidiano de Desenvolvimento Social pela Universidade Federal Rural de Pernambuco.

Iris Fideliz de Silva, Universidade Federal de Pernambuco.

Graduanda no curso de Design pela Universidade Federal de Pernambuco do Núcleo de Design e Comunicação do Centro Acadêmico do Agreste.

Referências

ALMEIDA, A. J. Uniformes da Guarda Nacional (1831-1852): a indumentária na organização e funcionamento de uma associação armada. Anais do Museu Paulista. v.8, n.9, São Paulo, p.77-147, 2003.

BECK, D. Q. Uniformes escolares: delineando identidades de gênero. Revista HISTEDBR On-Line, v.14, n.58, p.136-150, 2015.

BRASIL. Decreto nº 5289, de 29 de novembro de 2004. Brasília, 2004.

BROEGA, A. C.; SILVA; M. E. C. O Conforto Total do Vestuário: Design para os Cincos Sentidos. Actas de Diseño, v. 9, p. 59-64, 2010.

BOTTINI, E. C. Análise das Propriedades Têxteis dos Tecidos para Vestimenta Militar. 2016. 84 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.

BOURDIEU, P. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp, 2007.

DAS A.; ALAGIRUSAMY R. Science in Clothing Comfort. New Delhi: Woodhead Publishing, 2011.

DIAS, S. F. P. O fardamento na indústria: desenvolvimento do fardamento na empresa Celtejo. 2017. 148 f. Dissertação (Mestrado em Design de Vestuário e Têxtil) - Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, ESART, Castelo Branco, Portugal, 2017.

GOLDENBERG, M. O corpo como capital: para compreender a cultura brasileira. Arquivos em Movimento, Rio de Janeiro, v.2, n.2, p. 115-123, julho/dezembro, 2006.

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO. Decreto nº 26.261, de 22 de dezembro de 2003. Lex: Regulamento de Uniformes da Polícia Militar de Pernambuco. Recife, 2003.

KLANOVICZ. L. R. F. Moda na saia justa. Caderno Espaço Feminino, v.20, n.02, p. 183-2017, Ago./Dez. 2008.

LANA, L. C. C.; CORRÊA, L. G.; ROSA, M.G. A cartilha da mulher adequada: ser piriguete e ser feminina no Esquadrão da Moda. Contracampo. Niterói/ RJ, v.24, n.1, p.120- 139, 2012.

LURIE, A. A linguagem das roupas. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

MARANEZI, F. B. A moda e os uniformes e seu contexto comportamental: uma reflexão aos usos sociais e significados simbólicos. In: Congresso Internacional de História, VIII, 2017, Maringá. Anais [...]. Maringá, 2017.

MENDES, T. B.; GONÇALVES, M. Metarepresentação da sexualidade feminina nas mídias sociais digitais: universo das piriguetes nas telenovelas da Rede Globo. In: Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, XIX, 2014, Vila Velha – ES. Anais [...]. Vila Velha, 2014.

MENEGUCCI, F.; SANTOS FILHO, A. Gs. Materiais Têxteis: uma discussão sobre os atributos táteis nos tecidos. In: Colóquio de Moda, 8, 2012, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: Senai/Cetiqt, 2012.

SETTON, M. G. J. A teoria do habitus em Pierre Bourdieu: uma leitura contemporânea. Rev. Bras. Educ. n.20, Rio de Janeiro, p.60-70, May/Aug. 2002

SPELIĆ, I.; MIHELIĆ-BOGDANIĆ, A.; SAJATOVIĆ, A. H. Standard Methods for Thermal Comfort Assessment of Clothing. Boca Raton, FL: CRC Press/ Taylor & Francis, 2018.

THIRY-CHERQUES, H. R. Métodos estruturalistas: pesquisas em ciência de gestão. São Paulo: Atlas, 2008.

Downloads

Publicado

2019-11-28

Como Citar

COSTA, F. Z. da N.; QUEIROZ, J. A. de; SILVA, I. F. de. Uma reflexão acerca dos fardamentos militares femininos em Pernambuco: entre o justo da cultura e as categorias ergonômicas de conforto. Revista de Ensino em Artes, Moda e Design, Florianópolis, v. 3, n. 3, p. 134 - 148, 2019. DOI: 10.5965/25944630332019134. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/16046. Acesso em: 4 dez. 2021.