Design para o sensível: política e ação social na contemporaneidade

Autores

  • Monica Cristina Moura UNESP - Universidade Estadual Paulista FAAC - Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Programa de Pós-Graduação em Design Departamento de Design

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630222018044

Resumo

O Design Contemporâneo atua perante as possibilidades e desafios de compreensão do ser humano em sua complexidade e a leitura e análise deste tempo, das pessoas e suas maneiras de estar no mundo, as possibilidades, expressões, projetos, produtos, objetos, ambientes e serviços – materiais ou imateriais – para dar voz e expressão às diversas sensibilidades e subjetividades diferenciadas (tanto do designer quanto do usuário) alterando métodos e destacando o papel da autoria individual ou coletiva expandindo percepções e diversidades. Tem como objetivo explorar no design contemporâneo o universo do sensível no caminho para a ação política, social e de cidadania a partir da consciência das problemáticas da atualidade. Nesse sentido este texto apresenta uma breve retomada histórica da questão social no campo do design examinando a constituição de novas fronteiras e territórios em sua relação com a sociedade entremeando a estética, a política e a questão do sensível. Toma como referência a “partilha do sensível” de Ranciére e de textos que fundamentam a questão da responsabilidade social dos designers, e como essa questão está sendo tratada na atualidade. O referencial teórico adotado compreende os seguintes autores: Manzini (2015), Rancière (2009), Weber (2008, 2010), Margolin (2006, 2004), Cooper (2005), Heller e Vienne (2003), McCoy (2003), Glaser (2003, 2013), Krippendorf (2000), Redig (1978, 1977), Papanek (1971). Este texto foi desenvolvido a partir do resultado de pesquisas exploratórias com abordagem qualitativa e adota as seguintes etapas metodológicas: revisão de literatura, pesquisa documental e estudos de caso que pautaram as análises e sínteses apresentadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Monica Cristina Moura, UNESP - Universidade Estadual Paulista FAAC - Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Programa de Pós-Graduação em Design Departamento de Design

Estágio Pós-Doutoral (2016) pela Universidade do Minho/ Departamento de Engenharia Têxtil, Guimarães, Portugal. Pós-Doutoramento (2012) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Artes & Design. Doutorado (2003) e Mestrado (1994) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PPG Comunicação e Semiótica. Bacharelado em Educação Artística | Arte Educação (1983) pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Técnico em Design de Interiores (1979) pela ETE Carlos de Campos. Desde 2010 atua como Professora Assistente Doutora na Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC), Departamento de Design (professora responsável das disciplinas de Oficina Gráfica e Projeto I e III para os cursos de Design Gráfico e Design de Produto) onde participa de diversos conselhos e comissões e atua no Programa de Pós-Graduação em Design (como professora credenciada e orientadora de doutorado e mestrado - responsável pela disciplina Design Contemporâneo). É Coordenadora do Laboratório de Pesquisa, Extensão e Ensino Design Contemporâneo (LabDesign) e Líder do Grupo de Pesquisa em Design Contemporâneo: sistemas, objetos, cultura (CNPq/UNESP). Atuou como professora colaboradora do PPG Artes do Instituto de Artes da UNESP (2013/2014). Parecerista ad hoc de agências brasileiras de fomento à pesquisa. Membro fundador da SBDI (Sociedade Brasileira de Design da Informação), 2002 e da ABEPEM (Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Moda), 2009 onde atuou na gestão, organização de eventos científicos e nas publicações. Foi colaboradora do Coletivo Brasil Design (2011/2014) e da ADG (Associação dos Designers Gráficos) na Comissão de Ensino e outras atividades (1996-2002). Membro de conselhos editoriais e parecerista de periódicos na área de Design e de Moda. Atua nos seguintes temas de interesse e pesquisa: Design Contemporâneo; Teoria e Crítica do Design; Interdisciplinaridade e Transdisciplinaridade Arte, Arquitetura, Design e Moda; Design, Corpo, Tecnologias, Metodologias e Processos; Design, Sustentabilidade e Inclusão na Contemporaneidade; Relações Arte/Artesanato/Design/Moda; Ensino e Pesquisa em Design. Foi professora, pesquisadora, coordenadora da área de Design, do Centro de Design e Moda, do Mestrado em Design e Diretora da Escola de Artes, Arquitetura, Design e Moda da Universidade Anhembi Morumbi (1991-2009). Atuou no mercado profissional nas áreas de Design de Interiores, de Mobiliário, Gráfico e de Moda (1979-1991).

Referências

CASA SEGURA. Desenvolvido por Robert Ransick, 2007. Disponível em: <http://www.casasegura.us/>. Acesso em: 28 nov. 2010.

CDMX. Cidade do México Capital do Design. Disponível em: <http://wdccdmx2018.com/medium.html>; <http://www.cdmx.gob.mx/vive-cdmx/post/cdmx-capital-mundial-del-diseno-2018>. Acesso em: 25 jan. 2018, 18h35.

GLASER, M. O Estado Atual da Profissão. In: HELLER, S.; PETTIT, E. Design em Diálogo. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

HELLER, S.; VIENNE, V. (Org.). Citizen Designer: Perspectives on Design Responsibility. Nova York: Allworth Press, 2003.

HUMAN RIGHTS WATCH. Brasil Eventos de 2016. Disponível em: https://www.hrw.org/pt/world-report/2018/country-chapters/313303. Acesso em: 27 jan. 2018, 23h54.

INTERNATIONAL COUNCIL OF DESIGN. Disponível em: http://www.ico-d.org. Acesso em: 28 jan. 2018, 23h59.

MANZINI, E. Design, When Everebody Designs: Na Introduction to Design for Social Innovation. London: The MIT Press, 2015.

MARGOLIN, V; MARGOLIN, S. Um Modelo Social de Design: questões de prática e pesquisa In: Revista Design em Foco, Salvador: EDUNEB, vol.1, n. 01, jul/dez, p. 43-48, 2004.

MARGOLIN, V. O Designer Cidadão. In: Revista Design em Foco, Salvador: EDUNEB, v. III, n.2, jul/dez, p. 154-150, 2006.

McCOY, K. Good Citizenship: Design as a Social and Political Force. In: HELLER, S.; VIENNE, V. (Org.). Citizen Designer: Perspectives on Design Responsibility. Nova York: Allworth Press, 2003, p. 2-8.

MOURA, M. C. de. O Design de Hipermídia. São Paulo: 2003. Tese(Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

OLIVEIRA, Caroline. 2017 foi ano de grave deterioração da situação dos direito humanos no Brasil. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/revista/987/2017-foi-ano-de-grave-deterioracao-da-situacao-dos-direitos-humanos-no-brasil. Acesso em: 19 jan. 2018, 14h10.

RANCIÈRE, Jacques. A Partilha do sensível. Estética e Política. São Paulo: Editora 34, 2009.

THE AMERICAN INSTITUTE OF GRAPHIC ARTS. Disponível em: https://www.aiga.org/. Acesso em: 12 jan. 2018, 15h30.

WEBER, C. Introduction: Design and Citizenship. In: Citizenship Studies, vol.14, No. 1, 2010, p. 1-16.

________. Designing safe citizens. In: Citizenship Studies, vol.12, No. 2, 2008, p. 125- 142.

WORLD DESIGN ORGANIZATION. Disponível em: http://wdo.org/; http://wdo.org/programmes/wdc/wdcmexicocity2018/. Acesso em: 29 jan. 2018, 12h40.

Publicado

2018-06-01

Como Citar

MOURA, M. C. Design para o sensível: política e ação social na contemporaneidade. Revista de Ensino em Artes, Moda e Design, Florianópolis, v. 2, n. 2, p. 044 - 067 | 068 , 2018. DOI: 10.5965/25944630222018044. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/11962. Acesso em: 5 fev. 2023.