Platão e a Arte: algumas observações sobre as origens da Teoria da Arte no ocidente em perspectiva hermenêutica

Autores

  • Luciana da Costa Dias Visiting Research Fellow at Centre for Performance Philosophy - University of Surrey Aporia – Grupo de estudos em Filosofia e Artes da cena Departamento de Artes Programa de pós graduação em Artes Cênicas Instituto de Filosofia, Artes e Cultura Universidade Federal de Ouro Preto (Brazil) http://orcid.org/0000-0001-5627-5431

DOI:

https://doi.org/10.5965/18083129152020e0003

Palavras-chave:

Arte, Platão, Verdade, Hermenêutica, Heidegger

Resumo

Este artigo aborda como a relação entre arte e verdade (pode a arte expressar a verdade?) é colocada pela primeira vez no mundo ocidental em Platão, com isso se esboçando o horizonte possível de desenvolvimento e interpretação da questão. Objetiva destacar sua relevância para o início da discussão teórica sobre o que é arte, sua função, conceito e como pode ser entendida. Cabe observar que esta abordagem é construída em perspectiva hermenêutico-fenomenológica, a partir do diálogo, sobretudo, com o pensamento de Martin Heidegger.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana da Costa Dias, Visiting Research Fellow at Centre for Performance Philosophy - University of Surrey Aporia – Grupo de estudos em Filosofia e Artes da cena Departamento de Artes Programa de pós graduação em Artes Cênicas Instituto de Filosofia, Artes e Cultura Universidade Federal de Ouro Preto (Brazil)

Pós doutorado no Center for Performance Philosophy, da tradicional Guildford School of Acting, na University of Surrey, Inglaterra. Doutora em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, atua como Professora Adjunta de Teoria da Arte e Estética Teatral no Departamento de Artes Cênicas (DEART/IFAC) da UFOP, no Programa de Pós Graduação em Filosofia (PGFIL/UFOP) e no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGAC/UFOP), programa no qual atuou tanto na elaboração e aprovação do projeto quanto em sua implantação na Instituição (2012-2014), atualmente sendo sua vice-coordenadora. Pesquisadora vinculada ao Grupo de Pesquisa do CNPq: 'APORIA: Núcleo de Estudos em Filosofia e Artes da Cena (líder)', do qual é fundadora. Entre 2007 e 2008, desenvolveu parte dos estudos do doutoramento, com bolsa DAAD, na Freiburg Universität, sob orientação do Prof. Dr. Günther Figal. É ainda Bacharel, Licenciada e mestre em Filosofia pela UERJ, além de ter ampla formação em artes visuais, pintura, teatro e história da arte pela EAV - Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Rio de Janeiro. 

Referências

ALVES, Paulo César; RABELO, Míriam Cristina; SOUZA, Iara Maria. Hermenêutica-fenomenológica e compreensão nas ciências sociais. Sociedade e Estado. Brasília, v. 29, n. 1, p. 181-198, abr. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922014000100010. Acesso em: 14 nov. 2019.

BADIOU, Alain. Arte e Filosofia. In: BADIOU, Alain. Pequeno manual de inestética. São Paulo: Estação Liberdade, 2002. cap. 1, p. 11-28.

DANTO, Arthur Coleman. Após o fim da Arte: a Arte Contemporânea e os limites da História. São Paulo: Odysseus, 2006.

DIAS, Luciana da Costa. Arte e história do ser: algumas considerações sobre o caminho do pensamento de Heidegger a partir do ensaio A origem da obra de arte. Ekstasis: Revista de Hermenêutica e Fenomenologia, v. 3, n. 1, p. 67-77, 2014. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/Ekstasis/article/view/12792. Acesso em: 14 nov. 2019.

FERRATER-MORA, José. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Loyola, 1998.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método I. Petrópolis: Vozes, 2004.

HEIDEGGER, Martin. A teoría platónica da verdade. In: HEIDEGGER, Martin. Marcas do caminho. Petrópolis: Vozes, 2009. p. 215-250.

HEIDEGGER, Martin. A época das imagens de mundo. Tradução de Claudia Drucker. [S.l., s.n]: 2005. Disponível em: http://ghiraldelli.pro.br/wp-content/uploads/Heidegger-A-%C3%89poca-das-Imagens-de-Mundo.pdf. Acesso em: 19 nov. 2019.

HEIDEGGER, Martin. A origem da obra de arte. Lisboa: Edições 70, 2000.

HEIDEGGER, Martin. Sein und Zeit. Tübingen: Max Niemeyer Verlang, 1976.

HEIDEGGER, Martin. Nietzsche. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007. v. 1-2.

JAEGER, Werner. Paidéia: a formação do homem grego. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

KOSELLECK, Reinhart. Espaço e experiência e horizonte expectativa: duas categorias histórica. In: KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2006. p. 305-327.

KRAFT, Peter. Das anfängliche wesen der kunst: zur bedeutung von kunstwerk, dichtung und sprache im denken Martin Heideggers. Frankfurt: [s.n.], 1984.

LACOSTE, Jean. A filosofia da Arte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1986.

LE GOFF, Jacques; TRUONG, Nicolas. Uma história do corpo na Idade Média. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2006.

BRANDÃO, Jacyntho Lins. Nós e os gregos. In: MARQUES, Haroldo (org.). Os gregos. Belo Horizonte: PUC-Minas, 2002.

PARTENIE, Catalin; ROCKMORE, Tom. Heidegger and Plato: toward dialogue. Chicago: Northwestern University Press, 2005.

PLATÃO. A República. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1993.

PLATÃO. Timeu. Belém: EDUFPA, 2001.

PLATO. Symposium. Oxford University Press, 1994.

SALLIS, John. Mimesis and the end of art. In: RAJAN, Tilottama; CLARK, David (ed.). Intersections: nineteenth-century philosophy and contemporary theory. Albany: State University of New York Press, 1995. p. 147-169.

SUASSUNA, Ariano. Iniciação à estética. Rio de Janeiro, José Olympio, 2005.

Publicado

2020-02-11

Como Citar

DIAS, L. da C. Platão e a Arte: algumas observações sobre as origens da Teoria da Arte no ocidente em perspectiva hermenêutica. DAPesquisa, Florianópolis, v. 15, p. 01-13, 2020. DOI: 10.5965/18083129152020e0003. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/18083129152020e0003. Acesso em: 21 set. 2021.