As representações do feminino no Teatro de José de Anchieta

Autores

  • Edélcio Mostaço Udesc
  • Carla Ladeira Machado Udesc

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312902042007048

Palavras-chave:

José de Anchieta, sexualidade, discurso, representação

Resumo

Este artigo analisa as figuras femininas na dramaturgia de José de Anchieta, tendo por objeto a verificação das características associadas à sexualidade feminina e o seu papel no teatro transplantado para as Américas. Para tanto emprega alguns princípios teóricos de Michel Foucault, verificando como Anchieta caracterizou questões da sexualidade enquanto fenômeno de discurso e dispositivo disciplinar na catequese indígena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANCHIETA, Joseph de. Teatro de Anchieta. São Paulo: Loyola, Originais acompanhados de tradução versificada, introdução e notas pelo P. Armando Cardoso S.

J. Obras Completas: 3° volume. Edições Loyola: São Paulo, 1977.

BRANDÃO, Helena H. Nagamine. Catequese e colonização no discurso jesuítico. In: Barros. D.L.P (org.) Os discursos do descobrimento. 500 e mais anos de discursos. São Paulo: EDUSP, 2000.

CARVALHO, Maristela Moreira de. Sexualidade, controle e constituição de sujeitos: a voz da oficialidade da Igreja Católica (1960-1980). Revista Esboços – Revista do Programa de Pós- Graduação em História da UFSC, Chapecó, v. v. 7, n. 9, p. 159-180, 2001.

GREGOLIN, Maria do Rosário Valencise. O enunciado e o arquivo: Foucault (entre)vistas. In: O enunciado e os Domínios da Linguagem: Discurso, poder, subjetividade. p. 28

LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Tomo II. Livro I. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1999. p.101

TORRES, D.ra Magda Maria Jaolino Torres, As práticas discursivas da Cia. De Jesus e a emergência do “Teatro Jesuítico da Missão” do Brasil no Século XVI. Tese em História. UnB: 2006.

Downloads

Publicado

2019-11-26

Como Citar

MOSTAÇO, E.; MACHADO, C. L. As representações do feminino no Teatro de José de Anchieta. DAPesquisa, Florianópolis, v. 2, n. 4, p. 048-055, 2019. DOI: 10.5965/1808312902042007048. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/15969. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artes Cênicas