Samba e relações de gênero na Ilha de Santa Catarina

Autores

  • Rodrigo Cantos Savelli Gomes Udesc
  • Maria Ignez Cruz Mello Udesc
  • Acácio Tadeu Camargo Piedade Udesc

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312903052008802

Palavras-chave:

Mulheres no Samba, Etnomusicologia, Samba de Florianópolis, Gênero

Resumo

A partir da perspectiva dos Estudos de Gênero e da Etnomusicologia, esta investigação procura lançar um olhar sobre o samba de Florianópolis de modo a analisar a atuação feminina neste universo musical. Destacamos neste trabalho os diversos modos de atuação das mulheres, as estratégias usadas atualmente pelas musicistas locais para se estabelecerem no samba da Ilha de Santa Catarina, bem como de que forma a sua atuação tem possibilitado a contestação e a transformação dos papéis de gênero ali vigentes. Para isso, tomamos como ponto de partida três diferentes segmentos: o samba de raiz, as escolas de samba e o pagode. A partir de observações, entrevistas com as musicistas esta pesquisa aponta que a atuação das mulheres no samba não se dá apenas meras coadjuvantes, mas sim como transformadoras deste movimento musical.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-08-14

Como Citar

GOMES, R. C. S.; MELLO, M. I. C.; PIEDADE, A. T. C. Samba e relações de gênero na Ilha de Santa Catarina. DAPesquisa, Florianópolis, v. 3, n. 5, p. 802-815, 2019. DOI: 10.5965/1808312903052008802. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/15587. Acesso em: 1 ago. 2021.

Edição

Seção

Música