Rupturas do vestir: articulações entre moda e feminismo

Autores

  • Juliana Teixeira Joaquim Universidade Anhembi Morumbi
  • Cristiane Mesquita Universidade Anhembi Morumbi/SP

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312906082011643

Palavras-chave:

movimento feminista, feminismo, história do feminismo, design de moda, gênero

Resumo

O presente artigo tem como intuito investigar o movimento feminista nas décadas de 1960 a 1980, identificar ideologias e propostas de ruptura e evidenciar alguns de seus questionamentos na sociedade, mais especificamente no que diz respeito às relações com o campo da moda. Esta breve investigação da história do feminismo articulada à moda do século XX aponta para a recriação da identidade feminina a partir do discurso feminista. Esta articulação entre o contexto social e modos de vestir é produtiva para a compreensão do campo do design de moda como um fenômeno social e como uma linguagem que carrega em si valores individuais, políticos e sociais. Para tanto, Alves e Pitanguy, Goldenberg e Toscano, e Baudot são os principais referenciais teóricos e iconográficos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-25

Como Citar

JOAQUIM, J. T.; MESQUITA, C. Rupturas do vestir: articulações entre moda e feminismo. DAPesquisa, Florianópolis, v. 6, n. 8, p. 643-659, 2018. DOI: 10.5965/1808312906082011643. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/14040. Acesso em: 30 jul. 2021.

Edição

Seção

Moda