Espaço vivido e Aprendizagem significativa: o educando com deficiência visual nos anos iniciais do Ensino Fundamental

Autores

  • Larissa Oliveira Mesquita Ribeiro Faculdade Integrada Brasil-Amazônia
  • Willame de Oliveira Ribeiro Universidade do Estado do Pará

Palavras-chave:

Espaço vivido, Deficiência visual, Inclusão, Práticas docentes, Aprendizagem significativa

Resumo

A pesquisa tem como objetivo compreender a importância do espaço vivido nas práticas docentes para educandos dos anos iniciais do ensino fundamental com deficiência visual, considerando os preceitos da aprendizagem significativa (AUSUBEL, 2000). Por meio de levantamentos bibliográficos concernentes aos conceitos de espaço vivido, aprendizagem significativa, práticas docentes e educandos com deficiência visual, tornou-se possível o entendimento de que indivíduos com deficiência visual, assim como aqueles com outras deficiências, devem estar inclusos no sistema regular de ensino, atendendo aos princípios da educação inclusiva e de uma escola para todos. Nesse sentido, o espaço vivido desempenha um papel fundamental, pois fornece ao docente importante ferramenta para a compreensão das particularidades dos educandos com essas características, bem como informações relevantes a respeito de seus conhecimentos prévios, o que se torna estratégico ao alcance da aprendizagem, considerando que o significado dos novos conhecimentos para o educando somente se estabelece mediante as conexões construídas com suas compreensões prévias. 

Biografia do Autor

Larissa Oliveira Mesquita Ribeiro, Faculdade Integrada Brasil-Amazônia

Pedagoga, especialista em Educação Especial na Perspectiva da Inclusão

Willame de Oliveira Ribeiro, Universidade do Estado do Pará

Geógrafo, Doutor em Geografia e Professor do Departamento de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade do Estado do Pará.

Referências

AUSUBEL, David P. Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano Edições Técnicas, 2000.

AUSUBEL, David P.; NOVAK, Joseph D.; HANESIAN, Helen. Psicologia educacional. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases Nacionais da Educação. Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996.

_______. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais/ Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

_______. Programa de Capacitação de Recursos Humanos do Ensino Fundamental: deficiência visual. Vol 1. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2001.

BRUNO, Marilda Moraes Garcia. Educação infantil: saberes e práticas da inclusão. 4 ed. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Especial, 2006.

CALLAI, Helena Copetti. Estudar o lugar para compreender o mundo. In: CASTROGIOVANNI, Antônio Carlos. (org.) Ensino de geografia: práticas e textualizações no cotidiano. 5 ed. Porto Alegre: Mediação, 2009.

CARLOS, Ana Fani Alessandri. O lugar no/do mundo. São Paulo: Labur Edições, 2007.

DORNELES, Claunice Maria. A concepção dos professores sobre in/exclusão de estudantes com deficiência visual na educação básica. Tese (doutorado em educação) - Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2014.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. 25 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo escolar 2015: notas estatísticas. Brasília: INEP/MEC, 2016.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do trabalho científico. 7 ed. São Paulo: Atlas, 2011.

MASINI, Elcie F. Salzano. A educação do portador de deficiência visual: As perspectivas do vidente e do não vidente. Brasília, ano 13 n.60, out./dez. 1993.

NÓVOA, Antônio. Os professores e sua formação. Lisboa-Portugal: Dom Quixote, 1997.

PELIZZARI, Adriana; KRIEGL, Maria de Lurdes; BARON, Márcia Pirih; FINCK, Nelcy Teresinha Lubi; DOROCINSKI, Solange Inês. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. In: Rev. PEC, Curitiba, v.2, n.1, 2002.

SANTOS, Júlio César Furtado dos. O desafio de promover a aprendizagem significativa. Revista UNIABEU, v. 20, p. 29-37, 2006.

SÁ, Elizabet Dias de; CAMPOS, Izilda Maria de; SILVA, Myriam Beatriz Campolina. Atendimento educacional especializado: deficiência visual. SEESP / SEED / MEC Brasília/DF – 2007.

RELPH, Edward. Reflexões sobre a emergência, aspectos e essência de lugar. MARANDOLA JR, Eduardo; HOLZER, Werther; OLIVEIRA, Lívia de. Qual o espaço do lugar? geografia, epistemologia, fenomenologia. São Paulo: perspectiva, 2014.

TUAN, Yi-Fu. Espaço e lugar. São Paulo: Difel, 1983.

UNESCO. Declaração de Salamanca e enquadramento da acção na área das necessidades educativas especiais. Salamanca - Espanha, 1994.

Downloads

Publicado

2018-10-01