Representações históricas e investigações sobre as exposições de arte escolar

Autores

Palavras-chave:

Ensino de Arte, Exposições escolares, História da arte-educação,

Resumo

Este artigo apresenta um estudo que, a partir de uma perspectiva histórica e de levantamento bibliográfico e de pesquisas já realizadas, teve, como objetivo, investigar o surgimento, dentro e fora do contexto escolar formal, das exposições escolares resultantes do ensino da arte. Para tanto, identificou aspectos históricos que influenciaram a adoção da exposição da arte escolar como prática pedagógica e mapeou pesquisas já realizadas. A relevância deste estudo reside na possibilidade de suscitar reflexões acerca das estratégias de aprendizagem que permeiam o ensino de arte e das contribuições tanto dessas reflexões quanto das investigações disponibilizadas nas bases de dados consultadas. Entre os resultados, estão: a) nas práticas dessas exposições, há alguns resquícios advindos de teorias psicopedagógicas que nomearam os trabalhos produzidos pelas crianças como arte infantil e defendem veementemente que tais produções deveriam receber a menor interferência adulta possível; b) os estudantes relacionam as exposições de arte ao sentimento de satisfação e criam laços afetivos com os trabalhos que produzem; e c) tais exposições, no ambiente escolar, apresentam potencialidade como mecanismo de estratégica para a aprendizagem. A pesquisa ora apresentada permitiu olhar o presente de uma forma crítica, além de que trouxe contribuições para a área de educação em artes.

Biografia do Autor

Emanuele Cristina Siebert, Universidade do Porto Instituto Federal Catarinense - IFC

Doutoranda em Educação Artística,na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (Portugal). Mestre em Educação pela Universidade Regional de Blumenau- FURB (2010). Especialista em Arte, Educação e Tecnologias Contemporâneas pela Universidade de Brasília- UNB (2007) Especialista em Educação A distância: Gestão e Tutoria pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci-Uniasselvi (2011). Graduada em Artes - com habilitação em Artes Plásticas (licenciatura) pela Fundação Universidade Regional de Blumenau -FURB(2006). Atualmente é Professora no Instituto Federal Catarinense- Campus Rio do Sul (IFC-Rio do Sul). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Processos metodológicos.

Referências

ACASO, M; NUERE, S. El currículum oculto visual: aprender a obedecer a través de la imagen. Arte, Individuo y Sociedad. 2005, vol. 17. p. 205-218. Disponível em: http://revistas.ucm.es/index.php/ARIS/article/view/6657. Acesso em 10/10/2017

ALMEIDA, A. B. Notas para uma didáctica do desenho livre. In: Palestra: Revista de Pedagogia e Cultura do Liceu Normal de Pedro Nunes. Lisboa. Ano lectivo 1965-66. Dez. V.26.

BARBOSA, A. M. A imagem no ensino da arte. São Paulo: Perspectiva, 1991.

______. Teoria e prática da educação artística. 3. ed. São Paulo: Cultrix, 115p. (color.). 1979.

BRAGA, M. L. A.; KRIECK, S. L. R. A contribuição do programa institucional arte na escola, polo Furb, nas ações que envolvem arte e educação na rede pública Municipal de Indaial. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação. Blumenau: FURB, v.6, n.3, p. 294-301, set./dez.2012. Disponível em: file:///C:/Users/artem/Downloads/3975-13064-3-PB.pdf. Acesso em 10/10/2017.

BREDARIOLLI, R. L. B. Dos estudos psicopedagógicos à livre-expressão, histórias das relações entre arte e educação no Brasil em quatro atos. Apresentação de trabalho na Universidade do Porto. 2013. Texto cedido pela autora.

BUGMANN, S. R. C. O espaço da arte na escola: a exposição dos trabalhos artísticos dos alunos. São Leopoldo: UNIrevista, v. 1, n. 2, abr. 2006.

EFLAND, A. The School Art Style: A Functional Analysis Author(s). Arthur Efland Reviewed work(s):Source: Studies in Art Education, Vol. 17, No. 2 (1976), pp. 37-44.Published by: National Art Education Association Stable. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/1319979 . Acesso em 29/12/2011.

FUSER, Carlos. Os sentidos das atividades realizadas pelos alunos nas aulas de arte: um estudo fenomenológico em uma escola da periferia de São Paulo. São Paulo, 2001. 182p. Dissertação (Mestrado em Psicologia da Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

ILADI, Aline. Colônia de férias cultural em Criciúma/SC como espaço não formal de educação em arte. Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de Licenciada no curso de Artes Visuais da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC. Criciúma, 2015. Disponível em: http://repositorio.unesc.net/bitstream/1/3718/1/Aline%20Iladi.pdf. Acesso em 10/10/2017.

KIM, H.; PARK, E.; LEE, J. Arts and Young Children. “All done! Take it home.” Then into a Trashcan?: Displaying and Using Children’s Art Projects. Early Childhood Education Journal, Vol. 29, No. 1, [41-50]. 2001. Kluwer Academic Publishers-Plenum Publishers. Disponível em: https://doi.org/10.1023/A:1011308906808.

KUHNERT, Michelle. Running Head: Displaying Children’s Artwork. A Master’s Paper Submitted in Partial Fulfillment of The Requirements for the Degree of Master of Science in Education – Montessori. University of Wisconsin. 2014.

MACDONALD, S. Primitive Art and Child Art in: The History and Philosophy of Art Education. Cambridge: The Lutterworth Press (1ªedição: 1970) [331-354] .2004.

OLIVEIRA, Cláudia Mara de Souza. Arte no cotidiano escolar: um estudo sobre as exposições das produções dos estudantes da Rede Pública Municipal de Criciúma – SC. Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de licenciada do curso de Artes Visuais da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC. 2010. Disponível em: http://www.bib.unesc.net/biblioteca/sumario/00004B/00004B2F.pdf. Acesso em 10/10/2017.

OLIVEIRA, Daniele Rocha de. O espaço expositivo das produções artísticas dos alunos nas escolas do município de Maracajá. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado para obtenção do grau de licenciada no curso de Artes Visuais da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC, 2013.

OSINSKI, D. R. B.; ANTONIO, R. C. Criança Livre ou Artista Mirim? Exposições de Arte Infantil no Paraná (1940-1960). Impulso, 20(50), [49-61]. 2010a.

______. Exposições de arte infantil: bandeiras modernas pela construção do novo homem. Maringá: Acta Scientiarum. Education. v. 32, n. 2, [269-285]. 2010b.

______. Primeira Exposição de Desenho Infantil e Juvenil do Paraná: uma renovação no conceito das exposições escolares (1943). Rev. Bras. Educ.[online]. 2014, vol.19, n.57, pp.375-398. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782014000200006. Acesso em 26/05/2016.

PILLÃO, Delma. A pesquisa no âmbito das relações didáticas entre matemática e música: Estado da Arte. 2009. 109f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo.

PINTO, Júlia Rocha. Reflexões sobre o meio: O espaço entre a Escola e o Museu de Arte Contemporânea. Tese, Programa Doutoral em Educação Artística da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Portugal. 2015. Disponível em: http://hdl.handle.net/10216/80772. Acesso em 12/06/2016.

REBOUÇAS, M. M. Museu de Arte Contemporânea de Serralves: Projectos com Escolas. Revista Palíndromo, n. 10, jul.-dez. 2013. 15-38. Disponível em: http://www.revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/4217/2981. Acesso em 24/08/2017.

ROBERTS, S. Exhibiting children at risk: child art, international exhibitions and Save the Children Fund in Vienna, 1919-1923. Paedagogica Historica, 45(1/2), 171-190. 2009.

SAURA, A. Proyectos ARTespacios (participación internacional). Disponível em http://proyectoartespacios.blogspot.pt/. Acesso em 22/08/2017.

SIEBERT, Emanuele Cristina. ´´Quando eles terminam, eu recolho, exponho e nunca escolho´´: encaminhamentos pedagógicos nas aulas de artes. 2010. 191 f, il. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Centro de Ciências da Educação, Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, 2010. Disponível em: <http://www.bc.furb.br/docs/DS/2010/341718_1_1.PDF>. Acesso em 30/04/2010.

SPENCER, H. Da educação intelectual, moral e physica. Lisboa: Empreza Literária Fluminense. Collecção Sciencias e Artes- XII. (1886)

STANKIEWICZ, M. A. Roots of Art Education Practice. Worcester: Davis Publications, 2011.

VIOLA, W. Child art. London: University of London Press, 1944.

Downloads

Publicado

2018-07-01