Artista.Professora.Pesquisadora em continuum

Autores

  • Lucimar Bello Pereira Frange PUC/SP

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267512019063

Palavras-chave:

arte contemporânea , literatura , arte educação

Resumo

Ser e Estar mergulhada em estados de criação tem sido há anos, uma escolha fundante. Invento ao mesmo tempo palavras, imagens e proposições artísticas. Nesse artigo recorto parte dessa produção e faço elos entre o Poema IX do livro de poemas Caracol é uma casa que se anda e Ações Performáticas – A Casa Vestida. O tema central, em ambos, é a CASA em sentido bastante ampliado. Dialogo com escritores, filósofos, artistas e arte educadores. Neles ancoro minhas inquietações e os modos de ativar miúdos do mundo para que virem formas potentes de arte em vidas acesas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucimar Bello Pereira Frange, PUC/SP

Lucimar Bello P. Frange, artista visua, professora, pesquisadora e escritora. Atua em trabalhos pessoais e colaborativos em instituições de ensino e em comunidades. Trabalha com desenhos, assemblages, instalações, vídeos, performances. Atua na área de pesquisa em poéticas visuais, arte e seu ensino, arte e comunidade, em literatura. Realizou exposições no Brasil, Argentina, Chile, Portugal, Espanha, Japão, Cuba, China. Doutora em Artes pela ECA/USP. Pós-Doutora, Centro de Pesquisas Sócio-Semióticas/Comunicação Social, PUC/SP. Pós Doutora, Núcleo de Estudos da Subjetividade, PUC/SP. Pertence, desde os anos 80, à FAEB – Federação de Arte-Educadores do Brasil e à ANPAP – Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas.

Referências

BARBOSA, Ana Mae e CUNHA, Fernanda Pereira da. (org.). Abordagem Triangular no ensino das artes e culturas visuais. São Paulo, Cortez, 2010.

BARROS, Manoel de. “Olhos parados”. In: Poesia completa. São Paulo, Ed. Leya, 2010.

BARROS, Manoel de. Retrato do artista quando coisa. Rio de Janeiro/São Paulo, Ed. Record, 2007.

BELLO, Lucimar. Caracol é uma casa que se anda. São Paulo. Ed. Labrador, 2016.

BREDARIOLLI, Rita. “Choque e formação: sobre a origem de uma proposta para o Ensino de Arte”. In: BARBOSA, Ana Mae e

CUNHA, Fernanda Pereira da. (org.). Abordagem Triangular no ensino das artes e culturas visuais. São Paulo, Cortez, 2010.

CLARK, Lygia. Carta a Mario Pedrosa. In: Carta citada por Sonia Lins, Artes, 1996.

COCCHIARALE, Fernando. Quem tem medo da arte contemporânea? Recife, Fundação Joaquim Nabuco, Ed. Massangana, 2006.

DELEUZE, Gilles. Diálogos. São Paulo, Ed. Escuta, 1998.

DIONÍSIO, Emerson. Quase casa. In: MOSCHETA, Marcelo. São Paulo, Ed. Bei, 2011 (Catálogo).

GABLIK, Susi. The reenchantment of art. London, Ed. Thames and Hudson, 1992.

GUIMARÃES, Leda. “Processos de triangularização na trajetória docente: da educação artística à educação à distância”. In:

BARBOSA, Ana Mae e CUNHA, Fernanda Pereira da. (org.). Abordagem Triangular no ensino das artes e culturas visuais.

São Paulo, Cortez, 2010.

LAMPERT, Jociele. “Deambulações sobre a contemporaneidade e o ensino de Artes Visuais e da Cultura Visual. In:

BARBOSA, Ana Mae e CUNHA, Fernanda Pereira da. (org.). Abordagem Triangular no ensino das artes e culturas visuais. São Paulo, Cortez, 2010.

LEVY, Tatiana Salem. A experiência do fora, Blanchot, Foucault e Deleuze. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2011.

MACHADO, Regina. “Sobre mapas e bússolas: apontamentos a respeito da Abordagem Triangular”. In: BARBOSA, Ana Mae e CUNHA, Fernanda Pereira da. (org.). Abordagem Triangular no ensino das artes e culturas visuais. São Paulo, Cortez, 2010.

PESSANHA, Juliano Garcia. A recusa do não-lugar. São Paulo, Ed. Ubu, 2018.

ROLNIK, Suely; In: Lygia Clark: da obra ao acontecimento. Somos o sopro. A você cabe o corpo. Org. Mussée des Beaux-Art de Nantes, França, 2005 e Pinacoteca de São Paulo, SP, 2006. (Catálogo).

ROLNIK, Suely. Lygia Clark e o híbrido arte/clínica. In: Caosmose.net/suelyrolnik.pdf/Arteclic, em 10/02/2019.

Downloads

Publicado

2019-04-30

Como Citar

FRANGE, L. B. P. Artista.Professora.Pesquisadora em continuum. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 5, n. 1, 2019. DOI: 10.5965/24471267512019063. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/14777. Acesso em: 5 fev. 2023.