Expressões da mulher na dramaturgia do teatro operário anarquistas

Ana Ribeiro Grossi Araújo, Fabiana Lazzari de Oliveira, Rosimeire da Silva, Vera Collaço

Resumo


O presente artigo analisa, a partir das questões do anarquismo referentes às mulheres, três peças dramatúrgicas do livro Antologia do Teatro Anarquista, de Maria Thereza Vargas: O Semeador de Avelino Fóscolo, A Bandeira Proletária de Marino Spagnolo e Uma Mulher Diferente de Pedro Catallo. Inicialmente, apresentam-se alguns ideais do movimento anarquista e da vertente chamada anarcofeminista, da virada do século XIX para o século XX, mostrando a luta e a importância da mulher no mesmo. Em seguida, a análise dos textos demonstra a expressão dos ideais anarquistas apresentados, assim como a percepção que as peças nos mostram sobre a realidade da época. Esses traços aparecem ora explícitos, ora implícitos nas características das personagens, no enredo, nos diálogos, nas rubricas e demais aspectos estruturais das peças. A importância que a expressão desses ideais tem nessas peças atesta o fato já conhecido de que o teatro era um dos principais meios para se despertar a consciência social, o veículo de uma educação popular para a conscientização libertária. 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/1414573102212013020

Direitos autorais




Indexadores


 

 

         

Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - Centro de Artes (CEART) - Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas - (PPGT) – E-ISSN: 2358.6958 - Endereço: Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Centro de Artes - Av. Madre Benvenuta, 2007, Itacorubi. Florianópolis. SC, Brasil. CEP: 88.035-001 – E-mail: urdimento.ceart@udesc.br - Tel. 3664.8353

Licença Creative Commons

  Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.