Uma história da loucura no tempo presente: os caminhos da assistência e da reforma psiquiátrica no Estado do Paraná

Autores

Palavras-chave:

loucura, assistência psiquiátrica, reforma psiquiátrica

Resumo

São escassos no Brasil os estudos historiográficos sobre a loucura e seus correlativos como a assistência, as instituições, os saberes e as práticas que ultrapassem a marca dos anos trinta do século XX. Quando se enfatiza a história específica da assistência psiqui átrica, além de serem raros os estudos que discutem no campo da História, a etapa mais recente deste processo, ou s eja, a que correspond e ao movimento de Reforma Psiquiátrica, tampouco existem estudos sobre as especificidades do movimento, em todas as unidades da federação. Considerando tal premissa constitui objetivo principal deste texto, historicizar as nuanças deste processo no estado do Paraná. Para tanto, contextualizo inicialmente o processo de reforma em âmbito nacional e a seguir destaco aspectos relevantes da trajetória da assistência psiquiátrica no estado até o desenrolar do referido movimento de reforma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yonissa Marmitt Wadi, State University of West Paraná

Doutora em História pela Pontifícia Universidade Católica/ São Paulo (2002). É professora da Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Referências

Referências Bibliográficas

AMARANTE, Paulo. O homem e a serpente: outras histórias para a loucura e a psiquiatria. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 1996.

AMARANTE, Paulo. Loucos pela vida: a trajetória da reforma psiquiátrica no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. da FIOCRUZ, 1998.

AMARANTE, Paulo. Saúde mental e atenção psicossocial. Rio de Janeiro: Ed. da FIOCRUZ, 2007.

AMARANTE, Paulo (org.) Psiquiatria social e reforma psiquiátrica. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 1994.

AMARANTE, Paulo. (org.) Ensaios: subjetividade, saúde mental, sociedade. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2000.

BÉDARIDA, François. Tempo presente e presença da história. In: FERREIRA, Marieta de M.; AMADO, Janaína. Usos & abusos da história oral. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2000, p.219-229.

BORGES, Viviane T. Loucos (nem sempre) mansos da estância: controle e resistência no quotidiano do Centro Agrícola de Reabilitação (Viamão/RS, 1972-1982). Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós Graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, UFRGS, 2006.

CAMPOS, Paulo F. de S. Os enfermos da razão: cidade planejada, exclusão e doença mental (Maringá, 1960-1980). São Paulo: Annablume; Fapesp, 2004.

CHARTIER, Roger. A visão do historiador modernista. In: FERREIRA, Marieta de M.; AMADO, Janaína. Usos & abusos da história oral. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2000, p.215-218.

COSTA, Jurandir F. História da Psiquiatria no Brasil: um corte ideológico. Rio de Janeiro: Campus, 1981.

COSTA, Nilson do Rosário. Prefácio à segunda edição: Cidadania, singularidade e inovação. In: AMARANTE, Paulo. Loucos pela vida: a trajetória da reforma psiquiátrica no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. da FIOCRUZ, 1998.

CUNHA, Maria C. P. Loucura, gênero feminino: as mulheres do Juquery na São Paulo do início do século XX. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 9, n. 18, p. 121-144, ago./set. 1989.

CUNHA, Maria C. P. O espelho do mundo: Juquery, a história de um asilo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

DIAZ, Fernando S. Os Movimentos Sociais na Reforma Psiquiátrica: O “Novo” na História da Psiquiatria do Brasil. Tese (Doutorado em História das Ciências e da Saúde) – Casa de Oswaldo Cruz / Fiocruz. Rio de Janeiro, COC / Fiocruz, 2008.

ENGEL, Magali. Os delírios da razão: médicos, loucos e hospícios (Rio de Janeiro, 1830-1930). Rio de Janeiro: Fiocruz, 2001.

ENGEL, Magali. Psiquiatria e feminilidade. In: DEL PRIORE, Mary (Org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 1997. p. 322-361.

FERREIRA, Marieta de M. História, tempo presente e história oral. Topói, n. 5, Rio de Janeiro, dez. 2002, p.314-315.

FOUCAULT, Michel. Doença mental e Psicologia. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1975.

FOUCAULT, Michel. História da loucura na idade clássica. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1989a.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. História da violência nas prisões. 7. ed., Petrópolis: Vozes, 1989b.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

FOUCAULT, Michel. Problematização do sujeito: psicologia, psiquiatria e psicanálise. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999.

FOUCAULT, Michel. Os Anormais: Curso do Collège de France. (1974-1975). São Paulo: Martins Fontes, 2001.

FONSECA, Ana L. N. O cuidado transpessoal de enfermagem domiciliar ao portador de transtorno mental e sua família: uma contribuição para a reinserção social. Dissertação (Mestrado) – Setor de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Paraná. Curitiba, UFPR, 2004.

LENDZION, Kelli C. Vozes dissonantes: a reforma psiquiátrica em Ponta Grossa. Monografia (Bacharelado em História) – Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Ponta Grossa, UEPG, 2007.

LUZIO, Cristina A. A atenção em saúde mental em municípios de pequeno porte. Jornal Brasileiro de História da Medicina, v. 7, suplemento 1, nov.2004, p.70.

LUZIO, Cristina A. A atenção em saúde mental em municípios de pequeno e médio porte: ressonâncias da reforma psiquiátrica. Tese (Doutorado) – Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, UNICAMP, 1994.

MACHADO, Roberto et al. Danação da norma: medicina social e constituição da psiquiatria no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

MAFTUN, Mariluci A. O ensino de enfermagem em saúde mental e psiquiátrica no Estado do Paraná. Tese (Doutorado) – Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. São Paulo, USP, 2004.

MESSAS, Guilherme P. O espírito das leis e as leis do espírito: a evolução do pensamento legislativo brasileiro em saúde mental. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 15, n. 1, p. 65-98, jan.-mar. 2008.

ODA, Ana Maria G. R.; DALGALARRONDO Paulo. História das primeiras instituições para alienados no Brasil. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 12, n. 3, p. 983-1010, set./dez. 2005.

OUYAMA, Maurício. Uma máquina de curar: o hospício Nossa Senhora da Luz em Curitiba e a formação da tecnologia asilar (final do século XIX e início do século XX). Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós Graduação em História, Universidade Federal do Paraná. Curitiba, UFPR, 2006.

PASERINI, Luisa. A “lacuna” do presente. In: FERREIRA, Marieta de M.; AMADO, Janaína. Usos & abusos da história oral. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2000, p. 211-214.

PAULIN, Luiz F.; TURATO, Egberto R. Antecedentes da Reforma Psiquiátrica no Brasil. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 11, n. 2, 2004, p. 241-258.

PESSOTTI, Isaías. A loucura e as épocas. 2 a ed. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995. PEREIRA, João Frayse. O que é loucura. São Paulo: Brasiliense, 1993.

PICCININI, Walmor J.; ODA, Ana Maria G. R. História da psiquiatria: a loucura e os legisladores. Psychiatry one line Brasil, v. 11, n. 3, março 2006. http://www.polbr.med.br/ano06/ wal0306.php

POMBO, Riciele M. R. A nova política de saúde mental: entre o precipício e paredes sem muros. (Uberlândia 1984 -2006). Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, UFU, 2007.

PORTER, Roy. Uma história social da loucura. Rio de Janeiro: Zahar, 1991.

PORTOCARRERO, Vera. Arquivos da loucura: Juliano Moreira e a descontinuidade histórica da psiquiatria. Rio de Janeiro: Ed. da FIOCRUZ, 2002.

RESENDE, Heitor. Política de saúde mental no Brasil. In: TUNDIS, S. A.; COSTA, N. do R. (org.) Cidadania e loucura: políticas de saúde mental no Brasil. 3. Ed. Petrópolis: Vozes, 1992, p. 15-73.

RUSSO, Jane; SILVA FILHO, João F. da S. F. (org.). Duzentos anos de psiquiatria. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1993.

RUSSO, Jane et al. Entre o corpo e a mente: a noção de indivíduo na assistência de um hospital universitário. In: LEIBING, A. Tecnologias do corpo: uma antropologia das medicinas no Brasil. Rio de Janeiro: NAU Editora, 2004, p.37-56.

SANTOS, Nádia Maria W.Histórias de sensibilidades: espaços e narrativas da loucura em três tempos – Brasil 1905, 1920, 1937. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pó Graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, UFRGS, 2005a.

SANTOS, Nádia Maria W. Histórias de vidas ausentes: a tênue fronteira entre a saúde e a doença mental, Passo Fundo: editora da UPF, 2005b.

TENÓRIO, Fernando. A reforma psiquiátrica brasileira, da década de 1980 aos dias atuais: história e conceitos. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 9, n. 1, p.25-29, jan.-abr. 2002.

TUNDIS, S. A.; COSTA, N. do R. (org.) Cidadania e loucura: políticas de saúde mental no Brasil. 3. Ed. Petrópolis: Vozes, 1992.

VENÂNCIO, A. T. A. Ciência psiquiátrica e política assistencial: a criação do Instituto de Psiquiatria da Universidade do Brasil. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 10, n. 3, 2003, p. 883-900.

VENTURINI, E. Prefácio à primeira edição. In: AMARANTE, P. (Coord.). Loucos pela vida: a trajetória da reforma psiquiátrica no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 1995, p.15-16.

WADI, Yonissa M. Palácio para guardar doidos: uma história das lutas pela construção do hospital de alienados e da psiquiatria no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2002a.

WADI, Yonissa M. Louca pela vida: a história de Pierina. Tese (Doutorado em História) -Programa de Estudos Pós-Graduados em História, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, PUCSP, 2002b.

WELLAUSEN, Saly. Michel Foucault: parrhésiae cinismo. Tempo Social – Revista de Sociologia da USP, v.8, n.1, p.113-125, maio de 1996.

YASUI, S. De movimento social a política pública: conquistas e riscos da Reforma Psiquiátrica. Jornal Brasileiro de História da Medicina, v. 7, suplemento 1, nov.2004, p.73.

FONTES

BRASIL. Câmara dos Deputados. PL-3657/1989. Disponível em http://www.2.camara.gov.br/proposições, acesso em 22/09/2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Legislação em saúde mental 1990-2004. 5.ed. ampl. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO PARANÁ. Hospital Espírita Bom Retiro. Disponível em http://www.feparana.com.br/histórico/espiritismo _parana02.htm, acesso em 23/09/2008.

BRASIL. Ministério da Educação e Saúde. Departamento Nacional de Saúde. Plano Hospitalar Psiquiátrico. Sugestões para a ação supletiva da União. 1941. CPDOC – FGV, Arquivo Gustavo Capanema – GCh 34.08.03 – doc. n.II-14. Mimeo.

PARANÁ. Assembléia Legislativa. Mensagem apresentada a Assembléia Legislativa do Estado por ocasião da abertura da 1ª Sessão Legislativa Ordinária da 8ª Legislatura 1961, pelo Senhor Antonio Annibelli, Governador do Estado. Curitiba: Assembléia Legislativa do Paraná, 1955.

PARANÁ. Assembléia Legislativa. Mensagem apresentada a Assembléia Legislativa do Estado por ocasião da abertura da Sessão Legislativa Ordinária de 1961, pelo Senhor Ney A. de Barros Braga, Governador do Estado. Curitiba: Assembléia Legislativa do Paraná, 1961.

PARANÁ. Assembléia Legislativa. Mensagem apresentada a Assembléia Legislativa do Estado por ocasião da abertura da Sessão Legislativa Ordinária de 1962, pelo Senhor Ney A. de Barros Braga, Governador do Estado. Curitiba: Assembléia Legislativa do Paraná, 1962.

PARANÁ. Assembléia Legislativa. Mensagem apresentada a Assembléia Legislativa do Estado por ocasião da abertura da Sessão Legislativa Ordinária de 1963, pelo Senhor Ney A. de Barros Braga, Governador do Estado. Curitiba: Assembléia Legislativa do Paraná, 1963.

PARANÁ. Assembléia Legislativa. Mensagem apresentada a Assembléia Legislativa do Estado por ocasião da abertura da Sessão Legislativa Ordinária de 1966, pelo Senhor Paulo Cruz Pimentel, Governador do Estado. Curitiba: Assembléia Legislativa do Paraná, 1966.

PARANÁ. Assembléia Legislativa. Mensagem apresentada a Assembléia Legislativa do Estado por ocasião da abertura da Sessão Legislativa Ordinária de 1974, pelo Senhor Emílio Hoffmann Gomes, Governador do Estado. Curitiba: Assembléia Legislativa do Paraná, 1974.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Saúde. Paraná mais saúde: Política estadual de saúde mental. Curitiba: SESA, 1995.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Saúde. Paraná mais saúde: Análise da implementação das diretrizes básicas da Política de Saúde Mental. Curitiba: SESA, 1998a.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Saúde. Paraná mais saúde: O papel do estado na construção do novo modelo de assistência à saúde mental. Curitiba: SESA, 1998b.

PARANÁ. Secretária de Estado da Saúde. Endereços da rede de atenção em saúde mental. Curitiba: SESA / ISEP / DSS / Coordenação de Saúde Mental, 2007. Disponível em: http://200.189.113.52/saudemental/index.html, acesso em 01 de junho de 2007.

PARANÁ. Secretaria do Estado da Saúde e do Bem Estar Social. Fundação de Saúde Caetano Munhoz da Rocha. Grupos de Apoio a Saúde Mental. Proposta para uma política de Saúde Mental. Curitiba: SESB / FSCMR, 1983. Paginação irregular.

PARANÁ. Secretaria do Estado da Saúde e do Bem Estar Social. Fundação de Saúde Caetano Munhoz da Rocha. Situação da saúde no Paraná: diretrizes, principais realizações. Curitiba: SESB / FSCMR, 1984. Não paginado.

PARANÁ. Conselho Estadual de Saúde do Paraná. Organização dos serviços de saúde mental. s.d. Disponível em http://200.189.11.52:2080/CES-Bole.nsf/c6ff2e26d, acesso em 05/10/2008.

SECH, Maderli. Hospital Espírita de Psiquiatria Bom Retiro 55 anos a serviço da comunidade. [2000?] Disponível em: http://www.mundoespirita.com.br/antigo/jornal/ jornal2000/ hospital_espirita_ de_psiqui..., acesso em 10/09/2008.

Downloads

Publicado

2009-06-18

Como Citar

WADI, Yonissa Marmitt. Uma história da loucura no tempo presente: os caminhos da assistência e da reforma psiquiátrica no Estado do Paraná. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 68–98, 2009. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/710. Acesso em: 23 maio. 2024.