Empresariado, ditadura e transição política: reflexões sobre o regime empresarial-militar no contexto do governo Ernesto Geisel (1974-1979)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180316412024e0101

Palavras-chave:

Empresariado, Ditadura empresarial-militar, Transição política

Resumo

O objetivo deste artigo é contribuir para o debate sobre o papel do empresariado na transição política brasileira, particularmente durante o governo de Ernesto Geisel (1974-1979). A perspectiva analítica central é a de que os representantes da empresa privada, independentemente da origem de seus capitais, atuaram em defesa de seus negócios, agindo politicamente para garantir a estabilidade dos países sob a influência do capital e assegurar sua dominação de classe. A pesquisa se baseia em análise teórica e empírica sobre a relação entre empresariado e ditadura, partindo do debate historiográfico sobre a produção acerca do tema, sugerindo o reconhecimento desses estudos como uma linha historiográfica consolidada na última década. A partir das produções dessa linha, o artigo desdobra a análise acerca da configuração do regime instaurado em 1964 como empresarial-militar. A interpretação se divide em dois movimentos distintos. Primeiramente, aborda a dimensão teórica, explorando os desdobramentos do período iniciado com o golpe empresarial-militar de 1964 e sua relação com o sistema capitalista e os Estados Unidos. Além disso, examina o papel dos empresários no regime político brasileiro, com foco especial na conjuntura do governo Geisel e no processo de transição política. O segundo movimento é empírico, utilizando documentos dos acervos pessoais de Ernesto Geisel e Antônio Azeredo da Silveira para fornecer exemplos concretos que sustentem a interpretação apresentada. A pesquisa utiliza a metodologia qualitativa de análise de conteúdo em fontes primárias para interpretar os dados da documentação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Martina Spohr, Fundação Getulio Vargas

Doutora em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Professora adjunta da Escola de Ciências Sociais FGV CPDOC, Rio de Janeriro, Brasil.

Referências

ALBERTI, Verena; SARMENTO, Carlos Eduardo. O dossiê Ministério da Fazenda do Arquivo Ernesto Geisel: fontes sobre a gestão de Mario Henrique Simonsen. In: CASTRO, Celso; D'ARAUJO, Maria Celina (orgs.). Dossiê Geisel. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2002. p. 63-75.

APRECIAÇÃO sumária n. 24/gab/78: campo interno. Brasília, DF, 06 jul. 1978. p. 4. Disponível em: https://docvirt.com/docreader.net/DocReader.aspx?bib=PREG&hf=www18.fgv.br&pagfis=7398. Acesso em: 06/03/2024.

BATISTA, Francieli Martins. Crise do capital e reordenamento político-econômico: o fim de Bretton Woods e o esgotamento do “milagre” brasileiro. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília, 2018.

BENEVIDES, Maria Victória de Mesquita. 1964: um golpe de classe? (Sobre um livro de René Dreifuss). Revista Lua Nova, São Paulo, v. 58, p. 255-261, 2003.

BOBBIO, Norberto e outros. Dicionário de Política. Brasília: Editora UNB, 2004. 2.v.

BORTONE, Elaine de Almeida. A presença de empresários do Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (IPES) nas empresas estatais federais: o caso do setor financeiro (1964-1967). In: Monica Piccolo (org.). Ditaduras e democracias no mundo contemporâneo: rupturas e continuidades. 1. ed. São Luiz: Editora UEMA, 2016. v. 1. p. 73-101.

BRANDÃO, Rafael Vaz Mota. ABDIB e a política industrial no Governo Geisel (1974-1979): texto apresentado ao Polis. Niterói: UFF, 2007.

BRAUDEL, Fernand. La Méditerranée et le monde méditerranéen à l'époque de Philippe II. Paris: Armand Colin. 1949.

CRUZ, Sebastião Velasco e. Empresariado e Estado na transição brasileira: um estudo sobre a economia política do autoritarismo (1974-1977). Campinas: Editora da Unicamp, 1995.

DOCUMENTO dos oito. [S. l.], 2021. Disponível em: https://www.cesit.net.br/wp-content/uploads/2021/05/Documento-dos-Oito.pdf. Acesso em: 28 jul. 2023.

DREIFUSS, René. 1964, a conquista do Estado: ação política, poder e golpe de classe. Petrópolis: Vozes, 2006.

DREIFUSS, René. A internacional capitalista: estratégias e táticas do empresariado transnacional (1918-1986). Rio de Janeiro: Espaço e Tempo, 1986.

FICO, C. Ditadura militar brasileira: aproximações teóricas e historiográficas. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 9, n. 20, p. 05-74, 2017.

FONTES, Virginia. O Brasil e o capital-imperialismo: teoria e história. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2010.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006. v. 2.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006. v. 3.

HOEVELER, Rejane Carolina. As elites orgânicas transnacionais diante da crise: os primórdios da Comissão Trilateral (1973-1979). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niteroi, 2015.

HOEVELER, Rejane Carolina. (Neo)liberalismo, democracia e "diplomacia empresarial": a história do Council of the Americas (1965-2019). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niteroi, 2020.

I.T.T. CUTS off funding for Portugal branches. The New York Times, New York, Sept. 6, 1975. p. 2. Disponível em: https://www.nytimes.com/1975/09/06/archives/itt-cuts-off-funding-for-portugal-branches.html. Acesso em: 28 jul. 2023.

JOFFILY, Mariana. Aniversários do golpe de 1964: debates historiográficos, implicações políticas. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 10, n. 23, p. 204-251, 2018.

MIYAMOTO, Shiguenoli; GONÇALVES, William. Militares, diplomatas e política externa no Brasil pós-64. Jornal da Tarde, Campinas, v. 94, p. 4, 2000.

PAYNE, Leigh A. Brazilian industrialists and democratic change. Baltimore: The John Hopkins University Press, 1994.

PICCOLO, Mônica. Reformas neoliberais no Brasil: a privatização nos governos Fernando Collor e Fernando Henrique Cardoso. São Luis: EDUEMA, 2022.

RIBEIRO, Orlando Leite. [Correspondência]. Destinatário: Antonio Azeredo da Silveira. Lisboa, 26 abr. 1978. Disponível em: https://docvirt.com/docreader.net/DocReader.aspx?bib=AAS_MRE&hf=www18.fgv.br&pagfis=62028. Acesso em: 06/03/2024.

RUFER, Mario. El Archivo: de la metáfora extractiva a la ruptura pós-colonial. In: GORBACH, Frida; RUFER, Mario (coord.). (In)disciplinar la investigación: archivo, trabajo de campo y escritura. México: Siglo XXI-UAM, 2016.

SILVEIRA, Antônio Azeredo da. Foreign policy of Brazil. New York, Sept. 24, 1974. Disponível em: https://docvirt.com/docreader.net/DocReader.aspx?bib=AAS_MRE&hf=www18.fgv.br&pagfis=41210. Acesso em: 06/03/2024.

SIMONSEN, Mário Henrique. Agenda para despacho com o excelentíssimo senhor presidente da República. [S. l.], 24 jun. 1974a. p. 1. Disponível em: https://docvirt.com/docreader.net/DocReader.aspx?bib=PREG&hf=www18.fgv.br&pagfis=4717. Acesso em: 06/03/2024.

SIMONSEN, Mário Henrique . Brazil’s economic policy. [New York], 17 June 1974b. p. 1. Disponível em: https://docvirt.com/docreader.net/DocReader.aspx?bib=PREG&hf=www18.fgv.br&pagfis=4770. Acesso em: 06/03/2024.

SIMONSEN, Mário Henrique. Agenda para despacho com o excelentíssimo senhor presidente da República. [S. l.], 03 dez. 1974c. Disponível em: https://docvirt.com/docreader.net/DocReader.aspx?bib=PREG&hf=www18.fgv.br&pagfis=4930. Acesso em: 06/03/2024.

SIMONSEN, Mário Henrique. [Correspondência]. Destinatário: Acessoria do Presidente Eleito. Washington, 03 dez. 1976. Disponível em: https://docvirt.com/docreader.net/DocReader.aspx?bib=AAS_MRE&hf=www18.fgv.br&pagfis=24568. Acesso em: 06/03/2024.

SPOHR, Martina. Contrarrevolução preventiva, “diplomacia privada empresarial” e expansão de capital: o caso do International Executive Service Corps (IESC). Tempos Históricos (Edunioeste), Marechal Rondon, p. 116-134, 2023.

TOLEDO, Caio Navarro. 1964: golpismo e democracia: as falácias do revisionismo. Crítica Marxista, São Paulo: Boitempo, n. 19, p. 27-48, 2004.

VIZENTINI, Paulo F. A política externa do regime militar: da ideologia ao pragmatismo. Locus: Revista De História, Juiz de Fora, v. 28, n. 1, p. 38-63, 2022.

Apêndice – Leitura complementar

BORTONE, Elaine de Almeida. A participação do Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (IPES) na construção da reforma administrativa na ditadura civil-militar (1964-1968). Dissertação (Mestrado em Administração Pública) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2013

BORTONE, Elaine de Almeida. O Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (IPES) e a ditadura empresarial-militar: os casos das empresas estatais federais e da indústria farmacêutica (1964-1967). Tese (Doutorado em História Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018

BRANDÃO, Rafael Vaz Mota. ABDIB e a política industrial no Governo Geisel (1974-1979): texto apresentado ao Polis. Niterói: UFF, 2007

BRANDÃO, Rafael Vaz Mota. O negócio do Século: o acordo de cooperação nuclear Brasil-Alemanha. 1. ed. Rio de Janeiro: Autografia, 2017. v. 1

BRANDAO, Rafael Vaz Mota; CAMPOS, Pedro Henrique P. (org.). Os donos do capital: a trajetória das principais famílias do capitalismo brasileiro. 1. ed. Rio de Janeiro: Autografia, 2017

BRANDÃO, Rafael Vaz da Motta; CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira (org.). Dimensões do empresariado brasileiro: história, organizações e ação política. Rio de Janeiro: Consequência, 2019

BRANDÃO, Rafael Vaz da Motta; CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira; LEMOS, Renato Luis do Couto Neto e (org.). Empresariado e ditadura no Brasil. Rio de Janeiro: Consequência, 2020

BRASIL, Rafael do Nascimento Souza. A Fundação Getúlio Vargas: intelectualidade orgânica e modernização conservadora (1951-1967). 2020. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. Estranhas catedrais: as empreiteiras brasileiras e a ditadura civil-militar, 1964-1988. Niterói: Eduff, 2014a;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. O processo de transnacionalização das empreiteiras brasileiras, 1969-2010: uma abordagem quantitativa. Tensões Mundiais (Impresso), Fortaleza, v. 10, p. 103-123, 2014b;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. Empresários, ditadura e política externa brasileira. Revista Continentes, Rio de Janeiro, v. 4, p. 112-137, 2014c;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. Empresários e Estado no Brasil na transição da ditadura para a democracia: o caso dos empreiteiros de obras públicas. Revista de História da Unisinos, Porto Alegre, v. 22, p. 478-489, 2018a;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. Outras dimensões de 1968: o AI-5 enquanto instrumento de política econômica. Revista Ars Histórica, Rio de Janeiro, v. 17, p. 1-17, 2018b;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. Empresariado e ditadura no Brasil: fontes, métodos e historiografia, Sillogés, v. 3, p. 15-42, 2020a;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. O empresariado, Defim Netto e a ditadura civil-militar brasileira. Revista Continentes, Rio de Janeiro, v. 9, p. 227-255, 2020b;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. O voo do Ícaro: a internacionalização das construtoras brasileiras durante a ditadura empresarial-militar (1968-1988). 1. ed. Jundiaí: Paco, 2022a;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. A diplomacia das empreiteiras: o apoio do Itamaraty à internacionalização das construtoras brasileiras durante a ditadura empresarial-militar. Revista del CESLA, Warsaw, v. 28, p. 55-74, 2022b;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. Empresas e ditadura, o outro lado: os grupos econômicos perseguidos pelo regime civil-militar brasileiro: O caso das empreiteiras. Varia Historia, Belo Horizonte, v. 39, p. 1-34, 2023;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira; VASCONCELOS, Claudio Bessera. A aliança empresarial-militar e a ditadura brasileira: a atuação de empresários em escolas militares e de integrantes das forças armadas em companhias privadas durante o regime pós-1964. Brasiliana: Journal for Bazilian Studies, Londres, v. 10, p. 200-220, 2021;

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira; COSTA, Alessandra; SILVA, Marcelo Almeida de Carvalho. A Volkswagen e a ditadura: a colaboração da montadora alemã com a repressão aos trabalhadores durante o regime civil-militar brasileiro. Revista Brasileira de História (Impresso), São Paulo, v. 42, p. 141-164, 2022.

LEMOS, Renato Luis do Couto Neto e. Contrarrevolução e ditadura: ensaio sobre o processo político brasileiro pós-1964. Marx e o Marxismo, Niteroi, v. 2, n. 2, p. 111-138, jan./jul. 2014;

LEMOS, Renato Luis do Couto Neto. Ditadura, anistia e transição política no Brasil 1964-1979. Rio de Janeiro: Consequência, 2018;

LOUREIRO, Felipe Pereira. Empresários, trabalhadores e grupos de interesse: a política econômica nos governos Jânio Quadros e João Goulart, 1961-1964. São Paulo: Edunesp, 2017;

MAGALHAES, Viviane de Fatima. Antônio Delfim Netto: trajetória acadêmica, interface junto ao empresariado e atuação como ministro da ditadura de um intelectual orgânico da burguesia brasileira (1948-1973). 2019. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2019;

MARQUES, Marlon Rodrigues. Nos átrios do golpismo: associações civis empresariais e religiosas católicas na desestabilização do governo de João Goulart (1958-1964). 2020. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2020;

MORAES, Ana Carolina Reginatto. A ditadura empresarial-militar e as mineradoras (1964-1988). 2019. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

SOUZA, Jonathas Duarte Oliveira de. O empresariado e a ditadura militar (1964-1985) – Aliança Agrária na Amazônia. 2022. 115 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2022;

SPOHR, Martina. Páginas Golpistas: anticomunismo e democracia no projeto editorial do Ipes (1961-1964). 2010. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2010.

SPOHR, Martina. American Way of Business: o empresariado brasileiro e norte-americano no golpe empresarial-militar de 1964. 2016. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016;

SPOHR, Martina. American Way of Business: empresariado e contrarrevolução preventiva no caminho do golpe empresarial-militar de 1964 no Brasil. In: A contribuição do pensamento latino-americano: resistir e mudar a realidade do lado de cá. 1. ed. Uberlândia: Navegando Publicações, 2019. p. 155-170;

SPOHR, Martina. A Aliança para o Progresso e o empresariado brasileiro na crise dos anos 1960. In: Empresariado e Ditadura no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Consequência Editora, 2020. v.1. p. 329-349;

SPOHR, Martina. American way of business. Curitiba: Appris, 2020b.

VASCONCELOS, Cláudio Beserra de. Os tecnoempresários, a ESG e a ditadura brasileira. In: LEMOS, Renato Luis do Couto Neto e; CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira; BRANDÃO, Rafael Vaz da Motta (org.). Empresariado e ditadura no Brasil. Rio de Janeiro: Consequência, 2020. p. 211-223.

Downloads

Publicado

2024-04-29

Como Citar

SPOHR, Martina. Empresariado, ditadura e transição política: reflexões sobre o regime empresarial-militar no contexto do governo Ernesto Geisel (1974-1979). Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 16, n. 41, p. e0101, 2024. DOI: 10.5965/2175180316412024e0101. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180316412024e0101. Acesso em: 13 jun. 2024.