Micro-história e história da imigração: pensando o problema do equilíbrio e da complexidade

Autores

  • Maíra Ines Vendrame unisinos

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180310252018267

Resumo

O presente artigo tem por objetivo mostrar de que maneira a metodologia da micro-história italiana propiciou o desenvolvimento dos estudos ligados aos movimentos migratórios. Inspiradas em tal metodologia, as pesquisas começaram a dar destaque às experiências particulares de deslocamento, indicando para o papel ativo dos indivíduos e das famílias na articulação dos deslocamentos. Os conceitos de cadeias migratórias, redes e estratégias passaram a ser utilizados propiciando, assim, que as explicações que entendiam as transferências como consequência de fatores estruturais econômicos fossem colocadas em novos termos. A busca pelo entendimento do mundo de saída dos camponeses europeus e os recursos acionados pelas famílias quando chegavam à América, bem como as conexões entre os locais de origem e os de chegada, aparecem ainda como pontos que merecem ser aprofundados quando se fala da imigração para regiões de colonização no Brasil. Por tudo isso, indicar-se-á de que modo o método da micro-história pode ainda contribuir significativamente para o desenvolvimento das pesquisas no campo dos deslocamentos humanos.

Palavras-chave: Emigração e Imigração. Italianos. América Latina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maíra Ines Vendrame, unisinos

Professora no Programa de Pós-graduação em História da Universidade do Vale do Rio do Sinos

Referências

BAILY, Samuel; RAMELLA, Franco. One family, two worlds: an italian family’s correspondence across the atlantic, 1901-1922. New Brunswick: Rutgers University Press.1988.

BAILY, Samuel L. Cadenas migratórias de italianos a la Argentina: algunos comentarios. Studios migratórios, v.3, n.8, p. 125-135, 1988.

BJERG, M.; OTERO, H. (Comp.). Inmigracón y redes sociales en la Argentina Moderna. Tandil: CEMLA-IEHS, 1995.

CARVALHO, Rosane Aparecida Bartholazzi de. Os italianos no noroeste Fluminense: estratégias familiares e mobilidade social 1897-1950. 2009. 285 f. Tese (Doutorado em História), Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense, Niterói.

CONSTANTINO, Núncia Santoro de. O italiano da esquina: meridionais na sociedade de Porto Alegre. Porto Alegre: EST, 2008.

CORTI, Paola. Identità e comunità d’origine nelle vechie e nelle nuove generazioni di emigranti: due paesi, due storie familiari. In: ROSOLI, G. et al. Identità e integrazione: Famiglie e paesi, percorsi e immagini di sè nell’ emigrazione Biellese. Milano: Electa, 1990.

CIAFARDO, Eduardo. Cadenas migratorias e inmigración italiana. Reflexiones a partir de correspondencia dos inmigrantes italianos en Argentina, 1921-1938. Studi Emigrazione, v.XXVIII, 102, p. 233-255, 1991.

CROCI, Federico. As cartas de chamada: vestígios das redes sociais e familiares transnacionais. In: CARNEIRO, Maria Luiz Tucci; CROCI, Federico; FRANZINA, Emilio (a cura di). História do trabalho e histórias da imigração: trabalhadores italianos e sindicatos no Brasil (séculos XIX e XX). São Paulo: Edusp: Fapesp, p. 299-321, 2010.

DA ORDEN, María. Liderazgo étnico, relaciones personales y participación política: los espanõles de Mar del Plata, 1883-1930. In: BJERG, María; OTERO, Hernán (Comp.). Inmigración y redes sociales en la Argentina moderna. Tandil: CEMLA- IEHS, 1995, p. 133-168.

DEVOTO, Fernando. Las cadenas migratórias italianas: algumas reflexiones a la luz del caso argentino. Studi Emigrazione, v. XXIV, n.87, p. 355-373, 1988.

DEVOTO, Fernando. Le migrazioni italiane in Argentina: un saggio interpretativo. Napoli: L’Officina Tipografica, 1994.

FRANZINA, Emilio. Merica! Merica! emigrazione e colonizzazione nelle lettere dei contadini Veneti in America Latina 1876-1902. Milano: Fertrinelli, 1979.

GIBELLI, Antonio. Fatemi un po sapere...: scrittura e fotografia nella corrispondenza degli emigrane liguri. In: GIBELLI, Antonio (a cura di). La via delle Americhe: l’ emigrazione ligure tra evento e racconto - catalogo della mostra. Genova: Sagep Editrice, 1989.

GANDOLFO, R. Notas sobre la élite de uma comunidad emigrada en cadena: El caso de los agnoneses. In: DEVOTO, F. J; ROSOLI, G. F. (a cura di). L’ Itália nella società argentina. Contributi sull’emigrazione italiana in Argentina. Roma, Centro Studi Emigrazione, p. 160-177, 1988.

GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela Inquisição. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

GINZBURG, Carlo. Os andarilhos do bem: feitiçarias e cultos agrários nos séculos XVI e XVII. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

GINZBURG, Carlo. O nome e o como: troca desigual e mercado historiográfico. In: GINZBURG, Carlo; PONI, Carlo; CASTELNUOVO, Enrico. A Micro-História e outros ensaios. Tradução de António Narino. Lisboa: DIFEL, 1989b.

GINZBURG, Carlo. O fio e os rastros: verdadeiro, falso e fictício. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas e sinais. 2ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

GRENDI, Edoardo. Microanalisi e storia sociale. In: Quaderni Storici, nº 35, 1977, p. 506-520.

GRENDI, Edoardo. Polanyi: dall’ antropologia economica alla microanalise storica. Milão: Etas libri, 1978.

GRENDI, Edoardo. O sistema político di una comunità lígure: Cervo fra cinquecento e seicento. Quaderni Storici, nº 46, p. 92-129, .apr., 1981,

GRENDI, Edoardo. Il Cervo e la republica: il modello lìgure di antico regime. Torino: Giulio Einaudi Editore, 1993.

GRENDI, Edoardo. Storia di uma storia locale: l’ esperienza lìgure 1792-1992. Venezia: Marsilio Editori, 1996.

LEVI, Giovanni. Centro e periferia di uno stato assoluto: tre saggi su Piemonte e Liguria in etá moderna. Turin: Rosemberg & Seller, 1985.

LEVI, Giovani; RAMELLA, Franco. Immigrazione e doppio lavoro lungo il corso della vita: alcune osservazioni sul Piemonte dell’ottocento. Annali Alcide Cervi, 11, 1989, p. 88-101.

LEVI, Giovanni. A herança imaterial: trajetória de um exorcista no Pienonte do século XVII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

LEVI, Giovanni. Micro-história e história da imigração. In: VENDRAME, Maíra et. al. (Orgs.). Micro-história, trajetórias e imigração. São Leopoldo: Editora OIKOS, 2015, p. 246-262.

LEVI, Giovanni. 30 anos depois: repensando a Micro-História. In: VENDRAME, Maíra Ines; KARSBURG, Alexandre; MOREIRA, Paulo Roberto Staudt (Orgs.). Ensaios de Micro-História, trajetórias e imigração. São Leopoldo: OIKOS, 2016a, p. 18-31.

LEVI, Giovanni. História Total versus Global History: a historiografia antes e depois da queda do Muro de Berlin. In: VENDRAME, Maíra; KARSBURG, Alexandre; MOREIRA, Paulo Staudt. Ensaios de micro-história, trajetórias e imigração. São Leopoldo: OIKOS; Editora Unisinos, 2016b, p. 72-85.

LIMA, Henrique Espada. A micro-história italiana: escalas, indícios e singularidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

MAcDONALD, J. S; L. D. MAcDONALD. Chain Migration, Ethnic Neighborhood and Social Networs. The Milbank Memorial Fun Quaterly, v. XLII, n.1, p. 82-96, 1964.

MARQUIEGUI, Dedier N. Migración em cadena, redes sociales y movilidad. Reflexiones a partir de los casos de los Sorianos y Albaneses de Luján, 1889-1920. In: BJERG, María; OTERO, Hernán (compiladores). Inmigración y redes sociales en la Argentina moderna. Tandil: CEMLA- IEHS, 1995, p. 35-60.

MARQUIEGUI, Dedier N. ¿Existió la microhistoria?. História Unisinos, São Leopoldo, v. 20, n.3, p. 249-259, Set./Dez. 2016. Disponivel em: <http://revistas.unisinos.br/index.php/historia/article/view/htu.2016.203.02/5735>. Acessado 12 de junho de 2017.

OTERO, Hernán. Redes sociales primarias, mobilidade espacial e inserción social de los inmigrantes en Argentina. Los franceses de Tandil, 1850-1914. In: BJERG, María; OTERO, Hernán (Comp.). Inmigración y redes sociales en la Argentina moderna. Tandil: CEMLA- IEHS, 1995, p. 81-106.

PEREIRA, Syrléa Marques. Entre histórias, fotografias e objetos: imigração italiana e memórias de mulheres. Niterói: Universidade Federal Fluminense, Departamento de História, 2008.

RAMELLA, Franco. Mobilidad geográfica y mobilidad social. Notas sobre la emigración rural de la Itália del Noroeste (1880-1914). Estudios Migratórios Latinoamericanos, v.6, n.17, p. 107-118, 1991.

RAMELLA, Franco. Por um uso flerte del concepto de red em los estúdios migratórios. In: BJERG, María; OTERO, Hernán (Comp.). Inmigración y redes sociales en la Argentina moderna. Tandil: CEMLA- IEHS, 1995, p. 9-22.

RAMELLA, Franco. Reti sociali, famiglia e strategie migratorie. In: BEVILACQUA, Piero; DE CLEMENTI, Andreina; FRANZINA, Emilio. Storia dell’emigrazione italiana: partenze. Roma: Donzelli Editore, 2001, p. 143-160.

RAMELLA, Franco. Gli studi sull’ emigrazione tra vecchi paradigmi e nuove prospettive. In: SAIJA, M. (a cura di) L’ emigrazione italiana transoceânica tra Otto e novecento e la storia delle comunitá derivate. Atti del Covegno Internazionale di Studi. Salina 1-6, guigno 1999. V. I – II. Messina: Edizione TRISFORM, 2003, p. 25-34.

SCOTT, Ana Sílvia Volpi. Entre idas e vindas: a contribuição da Micro-História para o estudo da migração entre Portugal e Brasil. In: VENDRAME, Maíra; KARSBURG, Alexandre; MOREIRA, Paulo Staudt. Ensaios de micro-história: trajetória e imigração. São Leopoldo: OIKOS; Editora Unisinos, 2016, p. 211-268.

STURINO, F. Emigracion italiana: reconsideracion de los eslabones de la cadena migratória. In: Estudos Migratórios Latinoamericanos, v.3, n.8, p. 5-25. 1988.

VENDRAME, Maíra Ines et. al. (Orgs.). Micro-história, trajetórias e imigração. São Leopoldo: Editora OIKOS, 2015a.

VENDRAME, Maíra Ines et. al. (Orgs.).Mobilidade, redes e experiências migratórias: reflexões sobre as estrátegias de transferência dos imigrantes italianos pra o Brasil meridional. In: VENDRAME, Maíra et. al. (Orgs.). Micro-história, trajetórias e imigração. São Leopoldo: Editora OIKOS, 2015b, p. 200-223.

VENDRAME, Maíra Ines. O poder na aldeia: redes sociais, honra familiar e práticas de justiça entre os camponeses italianos (Brasil/Itália). São Leopoldo: Editora Oikos, 2016a.

VENDRAME, Maíra Ines; KARSBURG, Alexandre; MOREIRA, Paulo Staudt (Org.). Ensaios de micro-história, trajetórias e imigração. São Leopoldo: OIKOS; Editora Unisinos, 2016b.

VENDRAME, Maíra Ines. “Com tinta do meu sangue”: redes e mobilidades através das cartas de um imigrante italiano. In: BENEDUZZI, Fernando; DADALTO, Maria Cristina. Mobilidade humana e circularidade de ideia: dialógos entre América Latina e Europa. Venezia: Edizioni Ca’Foscari – Digital Publishig, 2017a, p. 67-78. (E-book disponível em: <http://edizionicafoscari.unive.it/media/pdf/chapter/978-88-6969-123-2/978-88-6969-123-2-ch-05.pdf>. Acessado 12 de junho de 2017.

VENDRAME, Maíra Ines. “Em busca da República de Deus”: revoltas camponesas e agentes de emigração no norte italiano (século XIX). Revista Tempo, V.23, n.1, Jan./Abr., p. 23-42, 2017, Disponível em, <http://www.scielo.br/pdf/tem/v23n1/1980-542X-tem-23-01-00022.pdf>. Acessado 19 de junho de 2017b.

Downloads

Publicado

2018-11-24

Como Citar

VENDRAME, M. I. Micro-história e história da imigração: pensando o problema do equilíbrio e da complexidade. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 10, n. 25, p. 267 - 288, 2018. DOI: 10.5965/2175180310252018267. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180310252018267. Acesso em: 8 jun. 2023.