O que a tragédia à brasileira nos ensina sobre justiça? Orestes, um fragmento fílmico da história construída

Autores

  • Paula Franco Udesc

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180308172016409

Resumo

Resenha da obra:

Orestes. Produção 7Estrelo Filmes, direção de Rodrigo Siqueira. Brasil, 2015. 93 min. color.

A presente resenha debruça-se sobre a irreverência do documentário brasileiro Orestes  do diretor Rodrigo Siqueira. Com expectativa de gravar um filme sobre os resquícios da ditadura, Siqueira inicia a narrativa fílmica a partir da alegórica história da tragédia grega homônima e a relaciona com a história real de Ñsaindy, filha de guerrilheiros mortos durante a ditadura. O fio que rege o roteiro, todavia, não se limita à história do passado (será mesmo que é passado?) da ditadura, mas adentra a seara da discussão sobre justiça e violência como temas que atravessam o tempo na realidade brasileira. Fugindo da compossição clássica documental, trata-se de uma produção que visa refletir profundamente sobre a realidade atual e ousar novas formas e linguagens de contar uma história através do cinema.

Referências

ORESTES. Produção 7Estrelo Filmes, direção de Rodrigo Siqueira. Brasil, 2015. 93 min. color.

Downloads

Publicado

2016-04-30

Como Citar

FRANCO, P. O que a tragédia à brasileira nos ensina sobre justiça? Orestes, um fragmento fílmico da história construída. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 8, n. 17, p. 409 - 415, 2016. DOI: 10.5965/2175180308172016409. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180308172016409. Acesso em: 28 set. 2021.