Do quadro ao jogo de fruição: Bosch Adventure Game

Autores

  • Ana Beatriz Bahia Casthalia estúdio; CERFEaD-IFSC

Resumo

O artigo aborda o jogo digital Bosch Adventure Game que foi produzido pelo Museu Boijmans (Roterdã) e desenvolvido pelo V2_Lab para a exposição Hieronymus Bosch 1450-1516: Only Opportunity to See So Many Works Together. Realiza leitura (Roland Barthes) da interface (Lev Manovich) do jogo, enfocando o conceito de jogo, o gameplay, a narrativa e as obras de Bosch tomadas como referência: Os Sete Pecados Capitais e O Mascate. O artigo conclui apontando esse jogo como suplemento de obra e dispositivo de fruição para além dos limites da pintura.

Palavras-chave: Museu, Arte; Videogame, fruição; Bosch.

DOI: 10.5965/2175234606122014144

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Beatriz Bahia, Casthalia estúdio; CERFEaD-IFSC

Pesquisa e desenvolve tecnologias educacionais há 14 anos, com destaque para jogos digitais (videogames). É doutora em Educação (2008) pela Universidade Federal de Santa Catarina/Brasil; e bacharel em Artes Plásticas: Pintura (1998), com especialização em Arte Contemporânea (1999), pela Universidade do Estado de Santa Catarina/Brasil. Em 2000 fundou o estúdio www.casthalia.com.br, no qual atua como diretora de criação, por vezes sendo autora do roteiro e/ou produção artística visual. Dentre os jogos já lançados, destacam-se: A Mansão de Quelícera (2006, Casthalia & CEART/UDESC, é recomendado pelo Ministério da Educação/Brasil para o Ensino de Arte e hoje está sendo revisado para lançamento de versão online m 2014); "Mata Atlântica: o Bioma onde eu moro" (2011, LEC/UFSC & Casthalia, introduziu a tecnologia multimouse no Brasil e é recomendado pelo Ministério da Educação/Brasil para o Ensino de Ciências); Tecnologia de Mudança de Comportamento "Nutrição em jogo" (2013, SESI-SC & LEC/UFSC, com heatlh game como estratégia de promotora da mudança). É autora de artigos acadêmicos publicados no âmbito nacional e internacional, assim como de materiais de apoio ao educador e de livros infantis. Tem experiência como docente e pesquisadora acadêmica, abordando relações entre Linguagem Visual, Educação e Tecnologias Digitais.

Downloads

Publicado

2014-12-06

Como Citar

BAHIA, A. B. Do quadro ao jogo de fruição: Bosch Adventure Game. Palíndromo, Florianópolis, v. 6, n. 12, p. 144 - 172, 2014. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/4659. Acesso em: 3 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos Seção aberta